A Contribuição dos Sonhos Lúcidos para o Estudo da Consciência

     Quando estamos em um sonho lúcido, conseguimos manter nossa consciência presente durante o sonho. Significa que apesar do corpo estar paralisado (no sonho típico de REM, em atonia muscular de fase REM), com um forte isolamento sensorial, ainda assim, somos capazes de raciocinar, usar a memória e vivenciar sensações tão intensas como no estado desperto. Algumas experiências, devido ao diferente estado de ativação cerebral, podem ser ainda mais marcantes ou vívidas¹.
By Marcin nderivative work: Luis Felipe Schenone (talk) – Barin_in_a_vat_(template).svgSport.svg, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=9809594
     Em minha banca de monografia, com o tema “Sonhos são experiências? As Relações entre o Sonho e a Consciência a partir da questão proposta por Daniel Dennett“, fui questionado pelo professor Dr. Ronei Mocellin (UFPR), sobre “que finalidade afinal ofereceria as pesquisas sobre sonhos lúcidos?”. 
   Tratando-se é claro de uma banca de filosofia, comentei que uma das principais áreas com implicações interessantes é com relação ao estudo da consciência, estado mental no qual é oferecida uma oportunidade de se estudar um modelo diferente do estado desperto. Ao adentrarmos no estado mental do sonho lúcido, obtemos o que seria a experiência mais próxima possível do modelo do “cérebro numa cuba”.   Pode-se lembrar do “argumento do sonho” proposto por Descartes em suas Meditações:
“Mas agora, é certamente com olhos despertos que olho este papel, não está
adormecida esta cabeça que movo. Estendo e sinto esta mão, cuidadosa e
coincidentemente. Alguém que dormisse não experimentaria isso de forma
tão clara. Como se não me lembrasse de já ter sido enganado por tais
pensamentos em sonhos! Pensando mais profundamente, vejo que não há
indícios certos que permitam distinguir o sonho da vigília. Isso me espanta,
e esse espanto é tal, que talvez confirme mesmo que possa estar dormindo” ²

         
Por Gaetan Lee . Tilt corrected by Kaldari. – originally posted to Flickr as Chimp Brain in a jar, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=28819747

   Seja através da ideia do Cérebro em uma Cuba, do argumento de Zhuangzi (“sonhei que era uma borboleta…), do argumento do sonho de Descartes ou mais simplesmente do filme Matrix, a experiência dos sonhos conscientes, permite-nos explorar um estado mental em que presenciamos uma forma existencial diferenciada da vigília. 
  Certas áreas do cérebro estarão mais ativas que outras, a frequência das atividades eletro-encefálicas se realiza de modo distinto³, possibilitando um mergulho investigativo nas relações psíquico-físicas, como as alterações mentais de memória e capacidade de raciocínio… assim como a capacidade de percepção de todo um mundo meramente ilusório (janela preciosa de estudo frente ao problema da esquizofrenia, conforme comentou Sérgio Rolim em entrevista por aqui); construído pela mente do sonhador e capaz de produzir experiências tão vívidas.

Referências Bibliográficas:
1 – METZINGER
T; Windt J. The Philosophy of Dreaming
and Self-Consciousness: What Happens to the Experiential Subject during the Dream
State?
In D. Barret & McNamara (Ed). The new science of dreaming: Volume
3. Cultural and theoretical perspectives, (pp. 193-248). Westport & London:
Praeger Perspectives, 2007.
2 -DESCARTES,
R. Discurso do método, As Paixões da Alma e Meditações (Coleção Os Pensadores,
vol. Descartes). São Paulo, Nova Cultural, 1999.
3 -MOTA ROLIM, Sergio Arthuro Mota. Aspectos epidemiológicos, cognitivo-comportamentais e neurofisiológicos do sonho lúcido. 2012. 331 f. Tese (Doutorado em Estudos de Comportamento; Psicologia Fisiológica) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Olá Márlon, meus parabens pelo seu ótimo trabalho, continue assim
    Eu te enviei um email, com algumas duvidas, iria me ajudar muito se responde-se
    Obrigado

  2. Olá Gustavo
    Vou conferir e te retorno assim q possível.

  3. Olá Gustavo
    Vou conferir e te retorno assim q possível.

  4. yuri lemes disse:

    muito bom o post…
    ao entrarmos no sono MOR(ou REM) ativamos uma frequência alta de atividade no tálamo e hipotálamo, que trocam informações com o córtex frontal(área que fica em plena atividade quando estamos em vigília, porém em segundo plano durante o sono) pelo fato do córtex frontal receber e enviar grandes quantidades de informações enquanto acordados, alguns traços dessas informações ficam "retidos" e são enviadas como disparos neuronais para outras áreas de plena atividade durante o sono(como os irmãos tálamos e o hipocampo)… bom é só uma teoria, mas imagino que essa transição de informação seja responsável por boa parte do que sonhamos diariamente, junto com as informações já retidas é claro(como memórias mais longínquas)

  5. game news disse:

    Merely wished to state I am glad that i stumbled in your internet page!.

  6. madden 17 disse:

    Thanks meant for giving many of these awesome details

  7. madden 17 disse:

    I love reading through your internet site. Many thanks!

  8. When the time for Nationals came, the McKinley High students were all down to business. Lindsay Lohan (“America’s sweetheart,” pro-New Directions) and Perez Hilton (“gossip legend,” pro-Vocal Adrenaline) served as two of the judges at this year’s Nationals competition, which kicked off with Mercedes, Tina, Santana and Quinn singing a cover of Lady Gaga’s “Edge of Glory” followed by Rachel’s rendition of Celine Dion’s ballad “It’s All Coming Back to Me Now.”

  9. Acauã disse:

    Bom dia a todos,
    se acharem interessante, na amazon.com.br (ou no app KINDLE), tem um romance baseado em aventuras dentro de sonhos lucidos, a história é interessante e o romance é emocionante.
    “além do tempo e da memória”, o título do livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *