Entrevistando o Dr. Sergio Rolim: Últimos Avanços nas Pesquisas sobre Sonhos Lúcidos.

  Nosso entrevistado, Sérgio Arthuro Mota Rolim, graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2004), com iniciação científica na área de sono, memória e ansiedade. É mestre em Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina (2007), trabalhando com a influência dos ritmos biológicos no sono e na memória. Concluiu seu doutorado pela UFRN, tendo como objeto os aspectos sócio-demográficos, cognitivo-comportamentais e neuro-psicológicos do sonho lúcido.

Dr. Sérgio Arthuro Mota Rolim representa o Brasil, na área de pesquisa sobre a presença da consciência nos sonhos.

1)Como os sonhos lúcidos poderiam auxiliar no estudo e/ou tratamento de alguns tipos de psicose? Que relação existe entre esse tipo de transtorno e a consciência nos sonhos?

Sérgio: Durante o sonho, o cérebro gera imagens e sons que não são decorrentes da estimulação vinda do ambiente (ao contrário do que acontece quando estamos acordados), o que é bastante semelhante as alucinações visuais e auditivas dos pacientes esquizofrênicos. Além disso, nossa capacidade de julgamento racional durante os sonhos está bastante diminuída (com a exceção dos sonhos lúcidos), pois acreditamos que as coisas bizarras que aparecem nos sonhos estão acontecendo de verdade, o que é bastante parecido com os delírios presentes na esquizofrenia. Dessa forma, vários trabalhos têm demonstrado que o sonho é um excelente modelo para o estudo da esquizofrenia. Assim, o estudo dos sonhos (lúcidos ou não) pode também nos ajudar a compreender melhor a psicose.

     Com relação ao tratamento em si, ainda estamos apenas engatinhando… No entanto, eu e uma brilhante estudante de medicina que colabora comigo – Adara Resende – levantamos a hipótese de que seria possível que o sonho lúcido pudesse diminuir os delírios psicóticos durante uma crise. Isso aconteceria porque se o sujeito aprender a ficar lúcido no sonho, ele vai ser capaz de emitir um julgamento racional sobre a situação em que se encontra, o que poderia também acontecer enquanto o mesmo estivesse acordado tendo uma crise, ou seja, ele aprenderia a controlar suas alucinações e delírios, como acontece no filme “Uma mente brilhante”. No entanto, por enquanto, podemos apenas especular sobre essa possibilidade do sonho lúcido diminuir também os delírios, já que ainda ninguém testou experimentalmente essa hipótese. 

Adara Cabral Resende é estudante de medicina na UFRN e de iniciação cientifica no Instituto do Cérebro, com pesquisa em andamento sobre sonhos lúcidos.

2) Uma perspectiva importante para o uso dos sonhos lúcidos é o tratamento de pessoas com pesadelos recorrentes, pessoas com depressão ou que passaram por algum trauma… pelo seu estudo que alternativas poderiam ser aplicadas, uma vez que o uso do sonho lúcido estivesse consolidado? 

Sérgio: Acreditamos que estando lúcido num pesadelo, o sujeito pode tentar 3 coisas:

1 modificar o sonho = com controle sobre o conteúdo onírico, seria possível tentar transformar o pesadelo num sonho neutro ou até bom. 

2 não ter medo do pesadelo = estando lúcido, o sonhador pode perceber que as ameaças que acontecem durante o pesadelo não trazem um perigo físico real.

3 acordar = é possível também acordar durante o pesadelo para acabar com o mesmo, apesar de que alguns autores acreditam que o ideal seria tentar compreender porque o pesadelo está acontecendo daquela forma, até para evitar ter outros.

3) Os sonhos lúcidos podem ser prejudiciais de alguma maneira?

Sérgio: Até agora nada leva a crer que o sonho lúcido em si possa ser prejudicial. No entanto, algumas pessoas não gostam de ter sonhos lúcidos. Na verdade, o que acontece com essas pessoas (até agora eu tive oportunidade de conversar com duas delas) é que elas ficam lúcidas num pesadelo, daí tentam acordar mas não conseguem, como se ficassem presas no sonho. É comum também a relação do sonho lúcido com a paralisia do sono, que é uma das piores sensações que podemos experimentar, pois acordamos e não conseguimos nos mexer. 

4) É possível que sonhos conscientes possam contribuir para o aprimoramento de habilidades que envolvam coordenação motora? 

Sérgio:  Estudos mostram que simulações mentais de habilidades motoras podem aumentar o desempenho real em tarefas comportamentais: a imaginação repetida de contração muscular aumenta a força muscular propriamente dita, e além disso, simulações mentais melhoram a aprendizagem das habilidades motoras e o desempenho esportivo.          Curiosamente, as habilidades motoras podem ser adquiridas na ausência de um processo de aprendizagem plenamente consciente. Estas observações sugerem que ser capaz de realizar movimentos imaginários durante o sonho lúcido poderia influenciar as habilidades motoras reais durante o estado acordado. Desta forma, os pacientes com deficiência física poderiam praticar tarefas motoras durante o sonho lúcido e avaliar se este “ensaio onírico” diminui os seus sintomas motores. Além disso, o treinamento motor durante o sonho lúcido também pode ser utilizado por indivíduos normais para melhorar suas habilidades físicas. 
    Cientistas alemães com quem estamos colaborando fizeram um experimento em que treinavam um grupo de pessoas a jogar uma moeda para dentro de um copo a uma certa distância. Os pesquisadores observaram que aquelas pessoas que treinavam novamente jogar uma moeda num copo durante o sonho lúcido tinham um desempenho real melhor no dia seguinte, ao contrário das pessoas que não treinaram isso no sonho. Esse tipo de pesquisa ainda está na sua fase inicial, mas indica a possibilidade de pessoas comuns ou atletas obtenham uma performance melhorada com um treinamento onírico extra.
5) Seu estudo também envolveu uma análise neurofisiológica desse estado mental. O que mais lhe chamou atenção nesse sentido? 
Sérgio: Nossos resultados preliminares (ainda não publicados), com a análise matemática e estatística do sinal do eletroencefalograma em 5 sujeitos que tiveram sonho lúcido e que conseguiram fazer os movimentos pré-combinados com os olhos, indicam que o sonho lúcido é um estado de transição do sono REM para a vigília, ou seja, apesar de o sonho lúcido ser um sonho, o cérebro está bem próximo de despertar. Quando estamos acordados e de olhos fechados, nosso cérebro entra no estado de sincronização global numa oscilação próxima a 10 ciclos por segundo (ou 10Hz) que é o chamado ritmo alfa, e que está muito associado a meditação. Durante o sonho normal, a potência desse ritmo é muito baixa (numa escala de 0-10 seria = 1). 
   Quando o indivíduo está em sonho lúcido, a potência do ritmo alfa sobre para 5, e quando ele acorda vai para 10. Assim, o sonho lúcido seria um estado intermediário entre o sono REM e a vigília. Isso explica porque para a maioria das pessoas o sonho lúcido dura muito pouco (como observamos no questionário que aplicamos pela internet), pois elas acordam logo depois de se darem conta que estavam sonhando. Entretanto, para algumas pessoas essa transição se dá de forma mais gradual e prolongada, aumentando o tempo de duração do sonho lúcido; mas ainda não sabemos porque isso acontece. No questionário que aplicamos, o fator relatado que mais facilitou a ocorrência de sonho lúcido foi dormir sem hora para acordar, o que aumenta enormemente a quantidade de sono REM, pois essa é a fase do sono em que sonhamos, e que acontece principalmente nas últimas horas do sono. 
      Observamos também que muitas pessoas relacionam o sonho lúcido com o estresse, que aumenta a quantidade de despertares, fortalecendo a ideia que o sonho lucido é um estado intermediário (ou fase de transição) entre o sono REM e a vigília. 
Essa hipótese do sonho lúcido como estado de transição entre o sono REM e a vigília explicaria muito bem os sonhos que já começam lúcidos (como descrito na técnica WILD desenvolvida por Laberge) ou os sonhos que ficam lúcidos só no finalzinho, quando a pessoa está próxima de acordar. No entanto, é possível também ficar lúcido durante o sonho (no meio do sonho por exemplo), principalmente quando nos deparamos com um “sinal de sonho”, que seria algo muito bizarro que só pode acontecer nos sonhos, como a habilidade de voar, ou encontrar alguém que já morreu. Em um dos sujeitos que investigamos, observamos uma ativação na região frontal do cérebro durante o sonho lúcido. Dessa forma, esses resultados sugerem que o sonho lúcido também seria decorrente de uma ativação nessa região. Vários trabalhos na literatura demostram que essa região está relacionada com a auto-consciência e a formação da imagem corporal, logo faz sentido que a mesma esteja ativada durante o sonho lúcido, que é caracterizado pela consciência de estar sonhando durante o sonho.

6)A partir de onde
chegou, que novas perspectivas de estudo mais lhe fascinam ou novas hipóteses
com as quais gostaria de se aprofundar?


   Sérgio:  Gostaria de no pós-doutorado
testar se realmente o sonho lúcido é um estado de transição entre o sono REM e
o estado acordado. O experimento seria dar um estímulo sonoro (que pode ser uma
música por exemplo) durante o sono REM. Esse estímulo sonoro seria inversamente
modulado pela potência da frequência alfa, ou seja, começo com um volume bem
baixo e vou aumento com o tempo até que o indivíduo vai acordando e a potência
do ritmo alfa vai aumentando também. Quando isso acontecer, eu diminuo o volume
do som o que vai fazer com que o sujeito volte a dormir. Daí novamente eu
aumento o volume e assim sucessivamente, como o objetivo de deixar o sonhador o
mais tempo possível na transição entre o sono REM e a vigília. Se o sonho
lúcido acontecer realmente nessa transição, esperamos que dessa forma
consigamos induzir mais sonhos lúcidos.

Será possível trabalhar com estímulos sonoros, controlando gradativamente sua intensidade e incorporando ele nos sonhos e na imersão da consciência nesse estado mental? Alguém aí lembra de um paralelo no filme da imagem? Uau!
Outra forma de induzir o sonho
lúcido seria através de estimulação magnética transcraniana (EMT). A EMT como o nome
diz, consiste em estimular áreas específicas do cérebro com pulsos de campo
magnético sobre o couro cabeludo, ou seja, de forma não invasiva. Em um
dos sujeitos que investigamos, observamos uma ativação na região frontal do
cérebro durante o sonho lúcido. Dessa forma, esses resultados sugerem que o
sonho lúcido também seria decorrente de uma ativação nessa região. Vários
trabalhos na literatura demostram que essa região está relacionada com a
auto-consciência e a formação da imagem corporal, logo faz sentido que a mesma
esteja ativada durante o sonho lúcido, que é caracterizado pela consciência de
estar sonhando durante o sonho. Como alguns trabalhos (inclusive o meu)
observaram que o sonho lúcido está relacionado com a região frontal do cérebro,
é possível que a estimulação dessa região durante o sono REM desencadeie um sonho
lúcido.

Gostaria também de investir em técnicas para
registrar com mais detalhes as áreas cerebrais mais relacionadas com o sonho
lúcido, como a Ressonância Magnética Funcional. A técnica de registro da
atividade do cérebro por RMF consiste em medir as pequenas variações no fluxo
sanguíneo em áreas cerebrais que estão sendo preferencialmente recrutadas por
tipos específicos de tarefas. Quando mexemos a mão (ou pensamos em palavras) há
um aumento do aporte de sangue para as populações neuronais mais relacionadas
com o processamento desses tipos de tarefas, sendo esse sinal (grosseiramente
falando) o que a RMF consegue medir. Poucos laboratórios hoje no mundo estão
fazendo esse tipo de pesquisa, sendo um deles no Instituto Max Planck de
Munique (Alemanha), onde dei palestra no ano passado sobre o meu trabalho, na
tentativa de conseguir uma bolsa de pós-doutorado.

Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Reizen Endler disse:

    Coruja muito bom esse tópico está gigante, pois aborda diversos outros assuntos. Gostei da possível cura para a esquizofrenia muito bom. Sobre o esporte muito interessante, os cientistas relataram as respeito das contrações musculares. E finalizando fiquei perplexo com a ideia de trabalharem com ondas de frequências como alfa por exemplo e poder aumentar ou diminui-las causando um certo estimulo em nossa mente!

    • Coruja disse:

      Também fiquei fascinado com as informações que o "doc" nos deu. Logo logo teremos mais pesquisas e interações diretas lá dos laboratórios do sono e com os sonhadores lúcidos 🙂

  2. Mister X disse:

    cara, acho bom saber que tem gente interresada nessa area aqui no brasil. sera que posso treinar video game nos sonhos lucidos tbm, kkkkkkk.

  3. July disse:

    Voltei para o meu diário de sonhos hoje mesmo. A entrevista é bem inspiradora!

  4. alvaro silva disse:

    Estimulacao da parte frontal do cerebro,pode ser uma boa dica acordar depois de 6 horas e depois adormecer pensando nessa regiao do cerebro

  5. Cestas disse:

    Eu tenho sonho lúcido consigo total controle do sonho e eu consigo voltar na mesma parte que parei no sonho… fico assustado as vezes mais e muiito bom consigo falar e me expressar de qualquer formar

  6. Faça uma matéria sobre EMT para paralisia cerebral e deficiência intelectual.

  7. I treasure the details on your websites. With thanks!.

  8. Olá, tentei entrar em contato pelo seu site, mas só consegui entra em contato por aqui. Meu nome é Patrícia e tenho uma rede social chamada Oneirocriticas, também trata sobre sonhos, mas não trabalho com sonhos lúcidos. Mas, às vezes, tenho pessoas que me perguntam sobre sonhos lúcidos e gostaria de encaminhá-las a você nesses casos, pois gostei da qualidade de seu site. Como posso fazer isso? Vi que existe um grupo fechado no facebook, acredito que lá vocês exploram seus sonhos uns com os outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *