Vida mais reflexiva para ter Sonhos Lúcidos

Esse texto é baseado numa ideia que li numa entrevista anos atrás. Ela foi colocada de maneira bem simples e direta, por uma pesquisadora e sonhadora lúcida pioneira de laboratório chamada Beverly D’Urso. Nesse texto procuro desenvolver um pouco mais a idéia, especificamente sobre essas implicações de uma vida mais consciente para indução de sonhos lúcidos.

beverly-d-urso

Beverly D’Urso recebendo eletrodos de Stephen LaBerge, nos laboratórios de sono da Universidade de Stanford.

Uma vida mais consciente é no mínimo, um estilo de vida mais atenta ao que ocorre na realidade e para com seus próprios pensamentos e ações. Certamente, algo do gênero possui algum valor na indução de sonhos lúcidos, considerando que é a consciência que se quer fazer aparecer por lá.

Provavelmente, boa parte dos sonhadores lúcidos já carreguem naturalmente esse traço/assinatura de estado mental. E é conveniente ressaltar que a ideia de “vida mais consciente” pode trazer  uma espécie de gatilho da consciência nos sonhos.

Isso diz respeito a necessidade de se levar uma vida o mais consciente possível, com atenção as nossas ações e pensamentos, de uma maneira menos automática e mais presente ou reflexiva. As implicações de um estilo de vida menos “autômato” e mais subjetivo, podem ser compreendidas de maneira intuitiva.

Na medida que passamos a questionar mais nossos próprios atos, pensamentos ou emoções, vivenciamos nossas experiências do estado desperto de maneira mais intensa. Isso significa que nossa atenção está ancorada em vivenciar tudo de maneira mais plena.

20160710_160030

Uma vida com um posicionamento crítico-reflexivo mais presente pode servir de gatilho para indução de sonhos lúcidos.

Traçando um paralelo, ao estilo de sonho que normalmente temos, nos quais somos apenas participantes de uma narrativa mirabolante em que não somos diretores ou os roteiristas, observamos não existir por aqui aquele posicionamento/pensamento defendido pela Beverly D’Urso. Afinal, dentro de um sonho comum, esse pensamento crítico-reflexivo, não é um elemento natural.

O que essa ideia de “vida mais consciente” pode trazer é uma espécie de gatilho da consciência nos sonhos. Assim como os “reality checks” ou testes de realidade, quando olhamos para as mãos e nos questionamos se estamos sonhando ou não, manter um tipo de pensamento mais presente ou aberto às experiencias que se está vivendo, munido de reflexões ou posicionamento crítico-reflexivo, pode trazer um gatilho que também será acionado durante os sonhos.

Vale lembrar que os sonhos são estruturados sobre o nosso Inconsciente. Na medida que alimentamos ele com esse tipo de pensamento, dificilmente o mesmo não seria reproduzido por lá. E no final das contas, agora, naturalmente, como parte integrante do próprio sonho, causando a necessidade de se vivenciar mais intensamente o momento, refletindo, criticando e… questionando!…

Referências:

(Entrevista completa com Beverly D’Urso)

http://www.improverse.com/ed-articles/robert_waggoner_2004_Jul_LDE_interview_beverly_durso.htm

http://www.improverse.com/ed-articles/robert_waggoner_2004_Aug_LDE_interview_beverly_durso2.htm

http://www.improverse.com/ed-articles/robert_waggoner_2004_Sep_LDE_interview_beverly_durso3.htm

 

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Zeliclécio disse:

    Interessante, fazendo algumas pesquisas sobre o tema eu acabei encontrando este site, e li algumas das ótimas postagem daqui, e eu gostaria de compartilhar uma experiência que tive e quando li esta postagem percebi que relata a ideia central do que eu iria compartilhar, que se baseia numa técnica de indução ao sonho lúcido, se caracteriza com base em questionamentos durante todo o dia, eu marquei em meu celular vários alarmes durante o dia, com intervalos entre eles de 1h, quando o alarme tocava eu me fazia um questionamento…”Estou sonhando ou estou acordado?” Fazendo isso várias vezes durante o dia, nós acabamos que induzindo nosso subconsciente a ficar em alerta e quando de fato estivermos sonhando, automaticamente faremos esta pergunta no sonho e será exatamente neste momento que nossa lucidez se ascende, já fiz o teste e deu super certo.

    Outra coisa que eu gostaria de falar é com relação ao fenômeno da paralisia do sono, talvez você já tenha se aprofundado bem mais nessa questão, pois vi em postagens anteriores que você citou tal fenômeno, se você já esclareceu melhor essa questão eu não vi, pois conheci o site ontem e tem muito material para ver, mesmo assim gostaria de deixar um pouco da minha opinião sobre o tema.

    Grandes autores brasileiros que tratam do tema VIAGEM ASTRAL, que no meu ponto de vista tem intrínseca relação com o SONHO LÚCIDO, tal como o Wagner Borges; Waldo Vieira; Saulo Caldeiron , etc…Dão ótimas explicações com relação ao fenômeno em questão, eu não li os livros dos mesmos, mas assisti bastante vídeos em seus canais no YouTube, e o Wagner em um de seus vídeos fala claramente desse fenômeno, abordando o teor científico, tratando-se de algo normal e abordando também a espiritualidade, onde ele fala das energias dos nossos corpos (Corpo físico; Corpo energético e Corpo Astral), há várias denominações para as mesmas questões, portanto, poderemos encontrar nomes diferentes mas tratando-se da mesma coisa. A catalepsia, com relação nessas pesquisas dos autores supracitados, se trata de um fenômeno natural relacionado as reações físicas do nosso corpo físico com relação ao nosso corpo astral, se dá , no momento em que, quando o corpo astral está voltando ou quando bruscamente volta ao corpo físico, encontra uma dificuldade no caminho, que é quando o corpo físico não reage a este retorno, automaticamente e geralmente, o corpo físico reage quimicamente através de glândulas endócrinas, das quais possuem os mamíferos, mais especificamente são as suprarrenais ou adrenais, nessa volta brusca, nosso corpo físico não retorna, por isso ele fica paralisado e não conseguimos nos mover, mas, nosso corpo astral ou nossa consciência está inteiramente consciente ou pouco consciente, é justamente quando podemos ouvir, enxergar ou sentir coisas, reações ou presenças relacionadas ao astral, porque praticamente ainda ficamos ligado ao mesmo, devido ao não despertar do corpo físico, e para que possamos fazer essa perfeita junção, se faz necessário esse despertar, portanto, por questão de segurança, as glândulas suprarrenais lançam uma substância no sentido de nos acordar ou nos tirar dessa paralisia, é quando conseguimos a perfeita junção e acordamos atordoados na maioria das vezes e com o coração acelerado, devido a substância lançada no nosso corpo para nos despertar.

    Parabéns pelo seu site e pelas questões aqui trazidas, gostei bastante e irei tentar acompanhar as postagens, obrigado.

  2. Olá pessoal,
    Meu nome é Inácia Maria, tenho hoje 35 anos. É a primeira vez que escrevo neste blog. Tenho sonhos lúcidos acho que desde a infância. O 1º que me marcou foi aos 13 anos. lembro que acordei aos prantos achando que sofria uma especie de maldição. A partir daí tive vários durante a minha adolescência inteira. Achava horrível a sensação,. Durante os sonhos tinha muito medo e panico. Era algo tão forte que eu pressentia que ia ter. Tentava ficar acordada e não conseguia, era como se eu mergulhasse no sonho. Sempre ocorria o falso despertar, eu achava que acordava ia até a sala contava para meus familiares o sonho que estava tendo quando percebia que continuava sonhando. Com o passar dos anos eles foram diminuindo, mas continuo tendo, só que hoje tenho menos medo e panico. Aconteceu um dia que estava viajando de ônibus e deitei nas duas poltronas, comecei a ter um sonho lúcido, o ônibus parou , entrou um passageiro com o bilhete ao lado da minha poltrona, eu percebi todo o movimento, vi ele parado me esperando desocupar o assento, porém eu não consegui, até que ouvi outra pessoa lhe oferecendo assento. Depois que ele se acomodou deu despertei. Já tentei bater a cabeça na parede para acordar do sufoco do sonho ou pesadelo. Até então não sabia do que se tratava, todas as pessoas que convivia não conheciam ou já tiveram. Só recentemente, que li a respeito sobre sonhos lúcidos e paralisia dos sono. Hoje consigo controlar e ter sonhos interessantes. Agora sinto falta da fartura de sonhos que tive no passado e não soube aproveitar.

  3. admin disse:

    Oi Inacia, seja sempre bem-vinda!

    Bem interessante tuas experiências. Imagino que seja uma boa idéia dar uma verificada em alguns fatores para retornar a qualidade de recordação dos teus sonhos:

    – A Manutenção do teu Diário dos Sonhos.

    – Praticar atividades físicas regularmente para ajudar na regulação do teu ciclo cicardiano e teu sono.

    – Observar práticas sobre Higiene do Sono, em que a maioria delas pode ser encontradas em pelo menos 2 textos por aqui.

    Grande abraço e bons sonhos!

  4. Ocimar Mota disse:

    Olá galera,
    Esse post me parece ter tudo a ver com Mindfulness, ou Atenção Plena, uma pratica diária focada em estar o mais presente possível em cada ação sua, exatamente como o texto faz referência, e com o auxilio da meditação.
    Recomendo, então, dar uma olhada no livro de mesmo nome, escrito por Mark Williams, professor de psicologia clínica na Universidade de Oxford.
    Colocando um pouco de experiencia pessoal, tenho sonhos lúcidos desde 2014, quando também conheci esse site. Desde então tive uma variedade de sonhos lúcidos, a maioria por induções.
    Com a correia da vida, porém, aos poucos fui parando com as induções e os reality checks, até que ano passado (2016) praticamente nem pensava mais sobre sonhos lúcidos.
    Por outro lado, a meditação era algo que eu estava desenvolvendo em mim. Em busca de material didático e com bases cientificas sobre o assunto, encontrei o livro de Mark Williams e logo iniciei a prática. Para a minha surpresa, simplesmente voltei a ter sonhos lúcidos, e de forma como nunca antes, pois eles foram e continuam até agora completamente espontâneos (continuo “sem tempo” para as induções), algo que raramente acontecia antes.
    De fato, estar constantemente atento enquanto acordado te faz também estar atento nos sonhos. E o que isso poderia acarretar se não um sonho lúcido? : )

  5. Lucas LV disse:

    Ano passado por acaso comecei pesquisar sobre sonhos. Então comecei a praticar os testes de realidades e li vários artigos aqui do blog. Como resultado, tive alguns sonhos lúcidos e lapsos de lucidez, mas nada muito “sofisticado”. Ultimamente tenho andado meio descuidado com isso, mas agora vou ver se consigo dar mais atenção aos RCs e ficar mais “vigilante” durante o dia. Quanto aos meus problemas ao alcançar a lucidez, já são aqueles bem comuns e recorrentes com toda pessoa: o sonho se desestabiliza. Espero que agora o negócio ande e eu tenha progresso.

    • Márlon Jatahy disse:

      Também estou retornando as rotinas Lucas. Lembre-se de dar bastante atenção ao Diário de Sonhos e escolher uma boa técnica de indução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *