Zombie Way – Dissecando a Técnica WILD

   Existe uma linhagem de sonhadores lúcidos que gosta muito e prefere a técnica WILD para indução de sonhos lúcidos. A melhor e mais detalhada descrição de aplicação desse método que eu vi até hoje, foi realizada pelo “Zombie”. Assim ele é conhecido no nosso Fórum de Sonhos Lúcidos e Tyler(antigo Orkut). O Zombie é um veterano e já compartilhou valiosas experiências. Tais como o “controle indireto nos sonhos” e a sua aplicação do WILD. Essa técnica de indução é que será dissecada nesse post, utilizando um tópico publicado pelo próprio onironauta no nosso Fórum.

A técnica de indução de sonhos lúcidos, conhecida como WILD, foi dissecada nesse post pelo sonhador lúcido Zombie. Na imagem, cena da espetacular série FRINGE (única série na história que está me fazendo devorar todos episódios, na companhia do meu paizão).

   Como foi o texto foi publicado originalmente no nosso fórum, a linguagem está mais informal e procurei manter o mais próximo possível da publicação original.

  “Eu vou dividir o WILD em 5 passos distintos, deixando claro que isso não é uma divisão oficial e universalmente aceita. É apenas a minha forma de entender a experiência. Essa lista de passos foi feita por mim, com ajuda claro de pesquisa de materiais alheios salteados, então qualquer discordância que vocês quanto a quantidade de passos ou nomeclantura/objetivos…. paciência.

Existem diversas maneiras de se aplicar o Método de Indução conhecido como WILD, assim como existem diversas realidades possíveis ou planos dentro de planos… como nas surpreendentes e absurdamente criativas histórias de Phillip Dick. Na imagem, capa do livro UBIK.

   Basicamente uma boa técnica de WILD, na minha opinião, precisa ter:

 1- WBTB, 2- Relaxamento corporal, 3- Uso de uma Âncora, 4- Relaxamento mental e 5- Acelerador de separação.

1 – WBTB

  Essa técnica consiste em dormir por algumas horas, acordar por alguns minutos e depois voltar para cama. Nas primeiras horas da noite as fases REM (sono com sonhos) são curtas e muito espaçadas, por isso qualquer indução feita nesse período será muito difícil e instável. O ideal é dormir de 4 a 6 horas (aos poucos você vai encontrando seu optimal point) e ficar fora da cama por alguns minutos. Ao voltar a dormir retornará diretamente para o sono REM e seus sonhos serão mais profundos e duradouros.

  O quanto você precisa ficar acordado varia de uma pessoa pra outra. Mas o objetivo é ficar acordado o suficiente para não estar sonolento demais (com o risco de perder a consciência durante a indução), e nem alerta demais( com dificuldade para voltar a dormir). É um período muito pessoal, mas em geral não deve ser preciso mais do que 15 ou 20 min (pra alguns bem menos).

  Vale lembrar que dormir no meio do dia pode facilitar a indução, especialmente se você estiver sonolento e não tiver dormido mais do que 8 horas durante a noite. Nesses cochilos obviamente não é necessário usar WBTB.

2 – Relaxamento Corporal

    Agora que você já passou alguns minutos acordado e voltou pra cama, o próximo passo é ficar o mais relaxado possível. Existem técnicas de relaxamento aos montes na net, mas basicamente o que importa é se colocar confortável e intensificar ao máximo esse conforto.

    Deixando claro que esse passo não é indispensánvel, tratando-se apenas de um facilitador. Em outras palavras, pode-se pular, mas vai ser mais difícil ter sucesso. Especialmente sendo novato. Quanto mais experiente, mais você pode pular partes chatas e apressar passos já desenvolvidos. No começo paciência e disciplina contam mais.

    Recomendo usar um método de relaxamento em que você flexiona de leve e relaxa os músculos, um grupo de cada vez. O relaxamento muscular acontece bem rápido fazendo isso. Outra excelente é uma em que aos poucos se foca na sensação do peso do seu corpo, isso vai intensificando a sensação e gera conforto. Mas enfim, não vou entrar em detalhes sobre como técnicas de relaxamento funcionam porque isso já é outro assunto e tem muito material por aí sobre isso.

   Depois do relaxamento, evite ao máximo se mover, imobilidade é essencial. Só não deixe que essa imobilidade se torne motivo de tensão. Caso tenha uma vontade leve e ignorável de se coçar, então ignore e deixe pra lá (esse é o ideal). Mas se você não for capaz, então se coce e continue relaxado. Antes se mover e voltar pra o relaxamento, do que ficar imóvel, mas incomodado e tenso.

 3 – Uso de uma Âncora

   Agora que você já está relaxado, será necessário uma “âncora”. O que é isso? É alguma coisa em que para ajudar a manter a mente focada enquanto relaxa e adormece. E diferente do passo anterior a âncora é indispensável. Toda técnica de WILD, “projeção astral”, ou qualquer outro nome que vc encontre por aí, possui uma. Estejam os criadores e praticantes da técnica cientes disso ou não.

   Os tipos de âncora podem variar muito. Pode ser algum som externo, sua respiração, batimentos cardíacos, visualisões, mentalizações, desconforto e centenas de outras coisas. E âncoras são pessoais, por isso é um trabalho de tentativa e erro até encontrar uma que lhe seja mais compatível.

   Para facilitar o trabalho de quem quer encontrar uma, ajuda saber o que é que você está procurando. Basicamente o trabalho da âncora é manter a sua consciência focada em algo, bem levemente. Não pode ser tão levemente que se deixe de perceber aquilo que está focando e nem tão concentrado a ponto de lhe manter acordado. Caso use uma âncora algumas vezes e acabe ficando inconsciente isso significa que sua âncora é “leve” demais, e, por outro lado, se passar 1 hora em claro focado na âncora sem conseguir relaxar ou dormir isso signfica que sua âncora é “pesada” demais. Em ambos o casos, precisa se adaptar, trocando sua âncora por outra ou mudando sua atitude mental em relação aquela que já usa.

  Uma que funciona bem pra mim, entre outras, é focar em algum leve desconforto (que eu mesmo crio, tipo colocar a mão debaixo do corpo). A vantagem dessa do desconforto é que não exige esforço mental (como ficar contando ou algo assim) e é quase impossível deixar de notá-la por mais relaxado e sonolento que eu esteja. Mas isso aí é bem pessoal… Para muitos, desconforto em qualquer nível, é pesado demais e não funciona. Mentalizar movimento também é outra que funciona pra mim e foi uma das primeiras que eu aprendi a usar, sendo que nem sabia o que uma âncora era na época.

4 -Relaxamento mental

   Esse aqui, embora eu considere um passo ‘a parte, ocorre simultâneamente com o uso da âncora. O objetivo é simples: dormir. Você vai entrar no estado de sonho lúcido, devido a interação desses dois passos, ou seja, manter a consciência alerta (âncora) enquanto adormece (relaxamento mental).

  Se vc fez os passos anteriores corretamente, vai estar levemente sonolento e perto das fases REM de maior duração, seus músculos já estarão relaxados, seu corpo confortável e sua consciência focada de forma leve e casual na sua âncora. Então agora só precisa adormecer, afinal de contas não dá pra sonhar lúcido estando acordado.

  Nessa fase eu gosto de utilizar um dos chamados Sleep Starters. Existem vários, mas aquele ao qual eu me refiro consiste em simular a forma que você respira enquanto dorme. Se não tiver uma gravação sua  dormindo, o que é perfeitamente normal, então preste atenção na próxima vez que alguém estiver dormindo perto e aprenda a ritmar a sua respiração do mesmo jeito. Usar isso não é obrigatório é apenas um “macete” pra dormir mais fácil e ainda tem o bônus de dar um empurrão no seu sistema interno pra “ligar” a paralisia do sono.

  Nota importante: não pense sobre sonhos lúcidos, WILD, paralasia do sono, etc durante a indução. Criar expectativa e ficar pensando no que vai fazer quando já estiver no sonho, ficar pensando se falta muito, e coisas assim, vão tornar o seu objetivo impossível de alcançar. Se quiser pensar sobre isso pense durante o dia. Tem todo uma explicação evolutiva sobre porque um predador imóvel não dorme enquanto espera que algo aconteça, mas nem vou elaborar. O importante é NÃO PENSE, APENAS DURMA.

  No momento da indução, a única coisa que deve existir na sua mente é o momento presente e o máximo de relaxamento possível e bem ao fundo na sua consciência estará a presença suave da sua âncora. Sempre percebida, porém sem que seja dada a ela muita importância. Dormir, no fim das contas, é o passo mais importante do processo.

5 -Acelerador de separação
   O momento de usar isso é quando já estiver em paralisia ou pelo menos perto disso. Difícil explicar quando é o momento certo, é um feeling que se pega com o tempo. Basicamente você vai sentir uma sensação de peso, conforto excessivo, dormência, formigamento, vibração, ou, as vezes, uma espécie de chiado. Uma alternativa é simplesmente esperar até estar em uma paralisia completa, mas essa é uma sensação que nem todo mundo conhece, se for seu caso a única solução é experiência.
   Uma vez que alguma das coisas acima aconteça, o que você vai fazer é intensificar as sensações de sonho. Existem várias formas de fazer isso, sendo que todas tem como objetivo usar um, ou mais, dos seus sentidos como base. Algumas técnicas sugerem visualizações, tipo imaginar que está escalando uma corda, afundando na cama, ou até coisas mais abstratas envolvendo luzes e cores, outras focam na intensificação de sons (imaginários), etc. Todas são válidas e eficazes, sendo importante encontrar o que funciona bem pra você.
   A minha favorita é aquela que considero mais simples. Consiste em intensificar as sensações táteis do corpo de sonho sem mover o corpo real. O que você deve fazer e isso é impossível de ensinar só se aprende fazendo, é mover o seu corpo de sonho sem fazer força com seu corpo real (tensionar os músculos na realidade te fará acordar). Essa distinção de movimentos é uma sensação bem específica que você aprende naturalmente a conhecer. E o ideal é começar com movimentos pequenos e suaves, a não ser que esteja em uma Paralisia do Sono já bem profunda.

   Comece mexendo o braço de sonho, sem mexer o braço real, e aos poucos vá aumentando os movimentos até sentir firmeza no que está fazendo e então comece a se mover de forma mais livre, afaste-se do local e não se preocupe mais com a realidade. Isso agiliza a sobreposição do sonho e lhe insere nele mais depressa e 100% lúcido.

   Vale lembrar que esse é outro passo que não é essencial, mas torna tudo mais fácil e rápido. Se  não quiser se dar ao trabalho de “acelerar”, simplesmente continue relaxando. Você vai passar direto pela paralisia (talvez sem nem perceber) e depois poderá ir se deixando adormecer aos poucos. Se fizer certo, eventualmente, vai se perceber em um ambiente de sonho já formado. Mas fique ciente de que sem usar o “acelerador” vai levar um tempo bem mais longo para concluir a indução, o que aumenta o risco de estragar tudo (por medo, falta de paciência, ansiedade, etc).
    Outra dica, que vale a pena implementar: logo que você sentir um dos sinais de aproximação da paralisia (sensação de peso, conforto excessivo, dormência, etc) utilizar um Sleep Trigger. Eu gosto de usar um em que você move os olhos (fechados) pra cima e pra baixo, em movimentos curtos e rápidos. Isso faz com que a paralisia se complete mais depressa e te deixa no ponto pra mudança de “fase”. Não sei explicar o porquê disso funcionar. Suponho que é porque durante o sono REM seus olhos fazem movimento rápidos similares a esses, inclusive esses movimentos são o motivo da sigla REM.

Conclusão
Parece ultra-complicado descrevendo assim, mas na verdade tudo isso acontece bem rápido. Numa indução minha explicada de forma mais concisa, eu faço o WBTB (as vezes sem querer, tipo acordando por acaso no meio da noite), deito confortavelmente, foco uma âncora e relaxo para dormir (Sleep Starter da respiração pra ajudar). Só isso já é suficiente pra entrar em SL direto algumas vêzes, mas caso eu entre em um princípio de paralisia, uso o Sleep Trigger (movimento dos olhos) e depois acelero a “separação” estimulando o o corpo de sonho. E isso é tudo.
Para quem tem paralisia do sono de forma acidental, dá próxima vez que acontecer, basta usar os passos 4 e 5. Relaxar pra dormir e acelerar a separação. Já pra quem precisa induzir tudo do princípio, o mais difícil é sair da estaca zero, depois que você começa a obter progresso e pegar o feeling das etapas, a coisa vai fluindo aos poucos.
De qualquer maneira, para quem não tem disciplina mental ou paciência pra lidar com as sutilezas desse tipo de indução, recomendo dar uma pesquisada, aqui mesmo no site, a respeito de DEILD, MILD, Tholey, etc.. É bem fácil praticar os exercícios que essas ténicas pedem e são todos feitos durante o dia quando se está plenamente acordado. A desvantagem é que usando essas técnicas, os sonhos lúcidos são ramdômicos e ocasionais, mas é bem provável que praticando um pouquinho diariamente rola pelo menos um Sonho Lúcido em menos de um mês.
Eu mesmo tendo preferência natural por WILD (devido as minhas paralisias do sono), as vezes faço uns reality checks aleatórios e pratico um pouco de MILD antes de dormir. Isso gera alguns SLs inesperados o que sempre é bem-vindo. 
Boa sorte na induções e bons sonhos a todos.”

Fonte:

 http://sonhoslucidos.forumeiros.com/t19-wild-zombie-way?highlight=zombie   

Você pode gostar...

18 Resultados

  1. Anônimo disse:

    Gostei desse post mto bom mesmo… explicou mta coisa que eu ja faço e nao sei explicar.. gostaria de saber algum processo que podemos fazer pra acelerar a imagem do sonho quando movemos o corpo dos sonhos para fora e acabamos ficando sem imagem, tem vezes que perco a paciencia, sera que tem algum conselho para acelerar essa imagem?

    • No meu caso eu procuro pensar que estou num recinto escuro, começo rastejando mesmo, engatinhando, desenvolvendo movimentos como um bebê, sem pressa ou ansiedade, no embalo e na velocidade do sono… na medida que os movimentos vão aumentando, chego a andar de joelhos ou de cócoras até uma maçaneta.

      Não chego a visualizar uma porta, mas apenas estico a mão desejando encontrar a maçaneta, giro ela abrindo a porta, desejando agora encontrar um belo cenário, claro e vívido 🙂

    • Anônimo disse:

      Um blogue muito bom sobre a paralisia do sono: Paralisia do Sono

  2. Olá, Márlon.

    Boa reformulação. Gostei dos mascotes.

    Bons sonhos.

  3. Juan Carlos disse:

    adoro tecnica wild ja tive uns 4 SL tempos atras.
    vou voltar a fazer, essa minha tecnica preferida junto WBTB

  4. Anônimo disse:

    Ótimo post, eu queria conseguir induzir um WILD, mas nunca tive paralisia do sono e tenho um pouco de medo das alucinações que podem me aparecer kk.
    Mas mudando de assunto: Márlon, oq vc acha do uso de mensagens subliminares para ajudar a se lembrar dos sonhos ou até mesmo ter sonhos lúcidos? Podem funcionar mesmo? É porque eu andei lendo algumas coisas sobre isso e ainda é um assunto bem controverso.

    • Opa! Brigadão 😉

      Pode funcionar sim. Lembro que me ajudou a induzir algumas vezes, mas parece perder a eficácia após um certo tempo.

      Talvez seja interessante usar ele, ao acordar pela 6a hora… e ter aquele experimento/plano para realizar quando ficar consciente tbém 😀

  5. Anônimo disse:

    O que é possível fazer em tais sonhos, existe algum efeito colateral. Posso encontrar algo que minha mente cria que me prejudique? Como "acordo". O que acontece se eu morrer no sonho?

  6. Anônimo disse:

    olá Marlon estive pensando ultimamente em um experimento nos sl que tentarei fazer,e gostaria de compartilhar. Seria possivel pegar um quadro famoso ou uma foto e se teletransportar pra dentro dela ?.Para vivenciar aquele lugar de perto ?…..Seria realmente muito intessante dominar essa habilidade……

  7. Post simplesmente perfeito, irei tentar até porque nunca me dei bem com a WILD mas esse post há novos passos 🙂

  8. Esse blog já tinga me ajudado antes :3 quando descobri o que eram sonhos lúcidos foi aqui que me informei e descobri o WILD, tive sucesso na primeira vez, foi tão fácil e estranho '-' escutei umas vozes (paralisia…) como se tivesse rolando uma festa sem som (música) depois me levantei (fui dormir pensando no celular, tava com os alarmes desligados) … Fui na sala, em direção ao celular, tava perto, mas impossível de alcançar, dai comecei a voar e acordei '-'

  9. erick sena disse:

    Que artigo fodahh! Mano vc dá para um bom escritor! Muito bem explicado, sem deixar nenhuma dúvida pairar no ar. Vlww pela ótima ajuda…

  10. Unknown disse:

    Gostaria muito de um contato com maior suporte do Marlon ou Zumbi.. :/ se puderem me chamar no whats, acho que tive algumas paranomalias com uso de "Doce", e tenho duvidas me ajudem pf se puderem chamar no whats 11 954754596! muito obrigado desde já, e que site bom meu, parabéns!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *