Author

admin

Browsing
Método do psicoterapeuta alemão Tholey ou o Método de Tholey:
Aos interessados em aumentar suas percepções durante o sonho, extrai um trecho do livro “O Livro de Ouro dos Sonhos” da psicóloga phd Gayle Delaney.

O método foi criado e usado por um psicoterapeuta alemão Paul Tholey por mais de 30 anos em seus pacientes.

1. Pergunte a si mesmo: “Estou sonhando ou não?”, de cinco a dez vezes por dia.
2. Ao mesmo tempo, tente imaginar intensamente que está sonhando e que tudo que percebe inclusive seu próprio corpo é meramente um sonho.
3. Enquanto pergunta a si mesmo “Estou sonhando ou não?” deve concentrar-se não só no presente mas também em acontecimentos passados. Você nota algo incomum ou sofre de lapsos de memória?
4. Você deve se fazer a pergunta crítca em todas as situações típicas de sonhos – isto é, sempre que ocorre algo surpreendente ou improvavel ou que experimenta emoções intensas.

5. Se um acontecimento ou tema é recorrente em seus sonhos como sentimentos frequentes de medo ou o aparecimetno de um cão deve fazer-se a pergunta em sua vida quando desperto sempre que se encontrar em uma situação ameaçadora ou avistar um cão. (ou no caso qdo o tema do sonho acontecer qdo desperto!)

6. Se, com frequencia vc tem nos sonhos experiencias que nunca ou raramente ocorrem no estado desperto, como as de elevar no ar ou voar(MEU CASO!), então deve, enquanto desperto, tentar imaginar que está tendo essas experiências, dizendo a si mesmo o tempo todo que está sonhando.
7. Se você tem dificuldade de se lembrar de seus sonhos não lúcidos deve usar métodos para melhorar a memória. Contudo, na maioria das vezes, a insistência em obter a estrutura mental crítico-reflexiva melhorará sua lembrança de sonhos.
8. Antes de adormecer, não tente fazer a lucidez ocorrer por força do pensamento, simplesmente diga a si mesmo que ficará consciente em seu sonhos. Esse método é especialmente eficaz qdo vc acorda no início da manhã e se sente prestes a adormecer de novo.
9. Decida realizar uma determinada ação eqto está sonhando. Qualquer ação simples é suficiente.

 

O propósito desse blog é colaborar com o desenvolvimento das experiências relacionadas aos sonhos lúcidos ou sonhos conscientes.

 

Para quem ainda não conhece, o sonho lúcido é uma modalidade de sonho no qual o sonhador atinge um grau de consciência suficiente para perceber a realidade em que se encontra e dispor de sua capacidade de raciocínio e lucidez enquanto desfruta do estado mental de sonho.

Isso implica na percepção de uma realidade totalmente adversa da realidade do nosso cotidiano. O universo mental dos nossos sonhos é uma criação nossa. Nosso cérebro disponibiliza uma quantidade praticamente infinita de informações para moldar um ambiente que traz consigo a maneira como interagimos com o mundo. No momento que atingimos a lucidez, testemunhamos de perto essa realidade reconstruída dentro de nós e podemos desenvolver a capacidade de assumir absoluto controle sobre tudo que ali está.

 

A experiência de conseguir ficar consciente num sonho é a de penetrar numa nova realidade.

Na prática significaria, uma vez desenvolvido esse domínio sobre seus sonhos ou o seu controle, poder realizar qualquer fantasia. Tais como: transformar-se em algum super-herói ou divindade, atravessar paredes, redesenhar o próprio ambiente do sonho, ter experiências sexuais muito intensas etc..

Obviamente as fronteiras dos sonhos lúcidos não se limitam a esses prazeres que o sonhar consciente pode proporcionar. Durante o sonho consciente ou lúcido, vivenciamos uma maneira de percepção totalmente diferente quando acordados e isso implica em novos padrões de cognição ainda não explorados.

 

 

A comprovação da existência dos sonhos lúcidos já foi efetuada. Stephen LaBerge Ph.D, comandou(década de 80) estudos na Universidade de Stanford- USA, onde sonhadores lúcidos utilizaram as fases REM(movimento rápido dos olhos) dos sonhos, para se comunicar. Essas fases todos nós temos durante uma boa noite de sono. Trata-se daqueles momentos em que estamos vivenciando os sonhos e podemos perceber sob as pálpebras o movimento dos nossos olhos.

Os olhos não estão sujeitos a rigidez natural do sono. Os sonhadores lúcidos movimentaram os olhos, de acordo com o código previamente combinado, enquanto as maquinas da universidade registravam os padrões de ondas cerebrais típicos de fase REM durante um sonho, só que o sonhador lúcido pôde então estabelecer sua comunicação, movimentando os olhos perpendicularmente e efetuando o código Morse como que dando um “tchauzinho” lá de dentro de um sonho para os monitores do laboratório, formando as seguintes letras:

 

“S” “L” – de Stephen LaBerge 😉