Author

Márlon

Browsing

Ultima semana de férias…(29/07/2008)

… como é a derradeira semana antes de voltar a velha rotina, sigo tentando conseguir mais sonhos lúcidos e nessa última noite consegui o começo de um:Estava no ap com minha amada e lembro de olhando pro chão, agachado, ter despertado de repente. Percebido que era um sonho. Ao me erguer lembro que fiz uma força danada. Estava me sentido muito rígido. Olhei pra parede e havia uma placa muito estranha, procurava manter a concentração que era um sonho e ler o que estava escrito. Havia uma alça no meio dela e algo escrito. Não resisti e fui tentar ler o que era. Então senti me desconcentrando e acabou acontecendo um falso despertar.Fiquei puto da cara por não ter percebido. Pior o falso despertar acabou se transformando num sonho com super-heróis e qualquer possibilidade de me concentrar foi pro beleléu! rsrsrsrsrs

Finalmente voltei a ter outro sonho lúcido!!02/05/2008
Decoração exótica
Nossa, passei o dia vez por outra repassando as cenas do sonho lúcido que tive. Já tinha se passado mtos meses desde meu últmo.Todas as condições e circunstâncias já relatei num outro tópico, mas vale ressaltar que eu não fui dormir mto cansado ou com mto sono e que dormi até dizer CHEGA.Bem, a vontade e sem grandes preocupações.Lá vai: 02″ Estava na casa de um velho amigo de infância e a esposa dele me mostrava a grande sala de entrada do seu trabalho(uma academia pra malhação).Havia nessa sala, adornos com peças e decorações orientais… coisas bem bacanas e criativas e… qdo de repente observava certos quadros, pequenos quadros orientais na parede, com escritas orientais, algo me chamou mto a atenção de que aquela decoração não combinava com uma entrada da academia p/ malhar! Nossa. Foi como se um raio caísse em mim! Lembro que meu primeiro pensamento foi: aaaaaaahhh! Nossa! Finalmente consegui de novo! Comecei então a caminhar pela sala e curtir a lucidez, intensa pra caramba, mas logo em seguida, percebi que tudo estava começando a escurecer e rapidamente olhei para minha mão, lembrando de uma técnica que eu havia lido aqui nessa comunidade sobre contar os dedos da mão p/ manter a lucidez… ” mas não segurou o sonho não e então acordei :(Foi mto bacana, mesmo q tenha sido tão curto o sonho. Acho q na verdade já faziam anos desde a sequencia boa de sonhos lúcidos q eu tive(já relatados aki).

” Estava na casa dos meus pais, durante uma noite quando atravessando a copa, num silêncio absoluto, tive uma sensação bem intensa de que aquilo era um sonho. Como havia prometido para mim mesmo de que no próximo sonho eu faria algo que ainda não havia feito, resolvi que iria voar o mais alto que pudesse. Caminhei em direção da saída da casa, passando pela garagem e ao chegar no meio da rua joguei os braços para cima e alcei vôo numa tranquilidade inabalável. Com o pensamento fixo de voar pra cima e pra cima, sem parar!Fui ganhando altura cada vez mais rápido. De repente tudo ficou muito escuro e então me vi mergulhado em pleno espaço. Viajava numa velocidade grande e o brilho das estrelas me envolvia por todos os lados. Fui tomado por uma sensação embriagante, de gozo mesmo, pois era uma das coisas que eu sempre queria ter feito. A riqueza dos brilhos das estrelas só ia aumentando cada vez e proporcionalmente a euforia também, quando por fim acabei despertando.”

Eu estava numa casa, com meu quarto num sótão e percebi um movimento estranho numa casa visinha. Fui dar uma espiada pela janela, mas quando percebi que haviam me descoberto espiando parei. Aliás fiquei assustado e corri escada abaixo da casa.
Ao sair da casa fui tomado por uma sensação bem forte de que aquilo era um sonho!Então ignorei minha preocupação sem sentido e decidi curtir minhas fantasias do sonho.Ah! Que maravilha!… Sai flutuando vagarosamente e avistei uma moça de uma beleza deslumbrante. Estiquei a mão ao passar por ela e a carreguei nos meus braços.
O calçadão no centro da cidade pelo qual flutuavamos de repente ficou rodeado de construções magníficas e levei minha bela moça para curtir o passeio por dentro daquelas construções que lembravam e muito catedrais.Haviam desenhos estilo Michelângelo nas paredes e tornavam tudo de uma beleza fantástica. Depois fui tentar manipular o ambiente, mas não consegui. Tudo de repente ficara estático, sem qualquer alteração ou movimento. Mesmo assim decidi continuar explorando, mesmo sem manipular. Foi uma experiência inesquecível.

Eu estava num churrasco(na época não era vegetariano) na casa do meu pai e dentre os convidados havia um velho amigo de infância. Conversávamos animadamente e quando saia de um quarto, ao tentar apagar a luz, a mesma começou a piscar freneticamente.Foi como um estalo.
Sabia que era um sonho. Entrei novamente no quarto. Abri a gaveta da escrivaninha e comecei a tentar anotar os números que eu via em um papel. Claro que os números não ficavam fixos. Mas alguns eu parecia ver. Lembro que anotei uns 4. Foi engraçado porque fazia muito tempo que eu não tinha consciência no sonho e logo que tive, lembrei dessa idéia que eu tinha tido.Então o que aconteceu em seguida pelo que lembro e´ que houve uma sucessão de falsos despertar. Perdi a conta do número de vezes que fiquei acordando, na verdade dentro de outro sonho. Os relógios e interruptores faziam eu flagrar as armadilhas oníricas. Mas ainda assim consegui guardar na época os números.
Joguei inúmeras combinações e até pedi ajuda para um amigo matemático. Usamos até alguns símbolos que pareciam Maias pra fazer operações com eles. rsrsrsrsrs perdi os números na última mudança que fiz.

Aquela primeira experiência havia sido bem marcante. E o que mais me impressionava era a intensidade da lucidez e a maneira tão natural que parecia ter vindo.Afinal, eu havia apenas anotado, durante muitas noites é verdade, uma considerável quantidade de sonhos. E de repente, de uma hora pra outra viera o sonho lúcido. Claro que desde o início eu queria tê-los, mas ao mesmo tempo não corri atrás de técnicas para induzí-los. Não ansiava muito porque eu sabia que o fato de eu controlar esporadicamente um e outro sonho, virando um super-herói ou coisa do gênero era um indício de que eu conseguiria me tornar lúcido uma hora.Pois bem, após a experiência da piscina, passaram-se meses!
Eu já havia até relaxado nas anotações dos sonhos. Foi quando de novo eu menos esperava…” Era mais um dia de trabalho no banco. Eu estava carregando um malote pelos corredores onde trabalhava e fui abordado por um casal, com um homem apontando uma arma para mim. Foi assustador. Deram um empurrão e fui jogado dentro de uma sala. Tomaram o malote, deixaram a sala trancada e quando estavam saindo veio mais uma vez aquela fortíssima sensação de que tudo era só um sonho!
Tomado por uma alegria enorme atravessei a parede. Disparei um raio reluzente que desintegrou o ladrão. Com a bandida eu resolvi fazer uma festinha na sala. Uau! Peguei ela em tudo que era posição. E foi uma experiência eroticamente fabulosa! Acordei depois com o despertador, com sorriso na orelha! hehehehe”