Uma revolução no estudo dos sonhos: pela primeira vez, de dentro de um sonho lúcido, pessoas respondem aos cientistas. Primeiramente, deve ficar claro que estamos tratando de sonhadores lúcidos. Ou seja, são pessoas que conseguem sonhar e saber que estão sonhando. Só que dessa vez a comunicação não foi unilateral.

Imagem do filme Minority Report, em destaque com a presença dos “Precogs”. O filme é baseado num conto de Philip K. Dick.

A pesquisa

Essa pesquisa envolveu laboratórios de quatro países: Alemanha, França, EUA e Países Baixos (antiga Holanda). Anteriormente todas pesquisas, desde o pioneirismo de Hearne e LaBerge (fins dos anos 70), sempre envolveram a comunicação partindo do sonhador, isoladamente. Por exemplo, códigos pré-combinados entre os voluntários que iriam sonhar e fazer essas sinalizações, com os olhos, para os pesquisadores.

Agora, essa pesquisa envolveu 36 sonhadores lúcidos. Conforme a publicação desse estudo, alguns tinham pouca experiência com sonhos lúcidos, outros eram sonhadores lúcidos experientes e havia um participante com narcolepsia que era sonhador lúcido frequente.

Cena do excelente filme “Source Code”. Em destaque quando o protagonista interpretado por Jake Gyllenhaal, em estado vegetativo conversa com os pesquisadores.

Resultados: de um sonho, pessoas respondem aos cientistas

Foram confirmadas 29 respostas dadas pelos sonhadores lúcidos. Bem como foram verificadas habilidades durante essas “conversas” com os pesquisadores. Por exemplo, foi perguntado a uma voluntária (alemã de 26 anos), enquanto sonhava (estado REM) quanto era 1+2. Ao passo que respondeu (sinalizando com os olhos) após 14 segundos ser 3. Além disso, vale destacar que os voluntários não sabiam que perguntas seriam feitas e ficaram evidenciadas as habilidades interessantes. Ou seja: a percepção de novas informações, mantendo esse dado com a memória, calculando e expressando respostas volitivas.

Algumas curiosidades

Bastante interessante observar a maneira como os sonhadores percebiam as perguntas. Ao mesmo tempo que os cientistas faziam as questões para os voluntários, esses recebiam, por vezes através de objetos nos sonhos. Por exemplo, por meio de um rádio ou com a mensagem se sobrepondo ao sonho em si, como algo externo. Por fim, vale destacar que há um debate sobre se tratar de fato de fase REM do sono com a presença da consciência ou um estado dissociado, no qual a pessoa está de fato sonhando, submetida a atonia muscular típica de fase REM, mas com o cérebro apresentando algumas características de outros estados.

Referências Bibliográficas

Konkoly K R. et al., .Real-time dialogue between experimenters and dreamers during REM sleep. Current Biology, 2021. DOI:https://doi.org/10.1016/j.cub.2021.01.026

Author

Deixe seu comentário