Sonho Lúcido Pode Auxiliar no Estudo da Esquizofrenia

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Ivone disse:

    Essa relação é surpreendente. Não fazia idéia que existia e muito menos que já fizeram algum estudo sobre isso. Alguma outra psicose pode ter seus estudos relacionados?

    • Olá Ivone, existe essa perspectiva de estudo sim. Os transtornos relacionados ao estado dissociado da consciência podem se beneficiar dos avanços nas pesquisas sobre a consciência no estado mental dos sonhos.

      Como está no post,o sonho lúcido apresenta a intrusão da consciência num estado em que ela normalmente não está ativa. Como ela chega até lá é um evento que está sendo alvo dos grandes pesquisadores na área.

      Abs e bons sonhos!

    • Anônimo disse:

      Um blogue muito bom sobre a paralisia do sono: Paralisia do Sono

  2. Anônimo disse:

    Ola!

    Gostaria de relatar meu sonho lucido. Há alguns anos tenho paralisia do sono. A primeira vez que tive, tinha apenas 6 anos e foi muito assustador. Com o tempo isso desapareceu. Já adulta certa vez fui fazer uma viagem e todo o ambiente e acontecimentos me deixaram muito estressada. Quando fui dormir tive a bendita paralisia. Comecei a perceber que ela só ocorria quando estava sob muito stress, e tentava evitá-la. Fui buscar mais informações e vi que tinha pessoas que orientavam a nao se desesperar neste momento, mas relaxarem e curtirem o que vinha a seguir. Achava isso impossível, tamanho terror sentia quando estava paralisada. Como ultimamente ando ansiosa e estressada por conta de uma viagem de intercâmbio e para finalizar meu projeto de TCC, noite passada tive outra paralisia, mas desta vez foi diferente. Cheguei do trabalho e fui tirar uma soneca. Então tive a paralisia. Enquanto sabia que estava imóvel, tentei manter a calma (difícil) e comecei a sentir meu corpo vibrar. Sentia como se minha alma estivesse saindo de mim, acima do meu corpo. Então sentei na minha cama. A iluminação e a disposição dos móveis era exatamente a mesma de quando me deitei. Estava plenamente consciente de que estava sonhado. Vi então uma borboleta azul no meu quarto. As cores dela eram MUITO vívidas. Resolvi descer as escadas para contar aos meus pais. Preferi descer voando e foi uma das melhores sensações que eu já pude sentir. Quando desci, encontrei minha mãe sentada no sofá e comecei a pular dizendo que estava tendo um sonho lúcido! A reação da minha mae foi a de sempre, pouco se importou com o que eu falava. Meu pai estava sentado no computador, também não deu muita atenção. Ai pedi que minha mãe me olhasse, pra ver como eu voava descendo a escada. Mostrei e nesta mesma hora eu acordei.
    Fiquei um tempo na minha cama, me perguntando se estaria acordada ou dormindo, uma vez que o sonho que eu tinha tido parecia ser mais real que a própria 'realidade'. Desci e encontro meus pais na sala. Eles ocupam EXATAMENTE as mesmas poisções, só que trocados. Minha mãe é quem esta no computador e meu pai está sentado no mesmo lugar do sofá que minha mãe. Contei-lhes o que tinha acabado de acontecer e a reação foi exatamente igual ao do sonho, rs
    Meu pai se prontificou a me beslicar, para ter certeza de que aquilo era real, rs
    Agora estou ansiosa para ter outros sonhos como esse!
    E ja sei os lugares onde vou querer estar.

    Obrigada pelo espaço, seu blog é realmente muito bacana 😀

  3. Anônimo disse:

    esse post é bem antigo, então não sei se alguém irá me responder. Mesmo assim, não custa nada tentar. Eu compreendo como o sonho lúcido pode ser o inverso da esquizofrenia, já que no sonho lúcido você tem extrema consciência de que tudo aqui é fantasia, ao passo que a esquizofrenia é justamente a dissociação entre a realidade e a ficção. No entanto, em muitos relatos de sonhos lúcidos vejo o pessoal comentando como as vezes se pega meio confuso na realidade. Pessoas que dizem que as vezes param e se perguntam: eu to sonhando agora? Minha questão é: esse estado de confusão está mais perto da esquizofrenia que da sanidade. Ter com uma certa frequência esses sonhos lúcidos não poderiam levar a um estado de dissociação? Será que não poderia ser um gatilho para a esquizofrenia? Deu pra entender minha questão mais ou menos?
    abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *