Tag

Benefícios dos sonhos lúcidos

Browsing
  Existem algumas teorias e hipóteses bem fundamentadas sobre as funções do estado mental dos sonhos. Afinal, por que sonhamos???
   Sabe-se que na cadeia evolutiva, até os répteis, o estado REM do sono não acontecia. Estado REM(movimento rápido dos olhos) é a fase do sono que concentra os sonhos mais intensos e vívidos.  É normalmente nessa fase que nós podemos ficar conscientes que estamos sonhando e ainda assim não acordar.
Durantes as fases REM que ocorrem de 4 a 6x por noite sonhamos mais intensamente e a ciência ainda desbrava arduamente esse território, procurando entender as causas e objetivos do evento do estado mental dos sonhos.
   Experiências laboratoriais foram capazes de revelar que suas cobaias “ensaiam” certas atividades quando estão sonhando. Ratos por exemplo, ativam a região do hipocampo quando estão sendo desafiados a enfrentar um labirinto e essa mesma região é reativada quando estão na fase REM do sono. Assim, uma idéia é a de simulação e preparação para enfrentar a realidade.
   Outras experiências com voluntários humanos, apontam para que talvez os sonhos funcionem para o desenvolvimento de soluções criativas. São difundidos os exemplos de Kekule com sua descoberta da cadeia de benzeno num incrível sonho. Mendelev extraindo de seu estado mental do sonho, uma estruturação fabulosa quase pronta da tabela periódica… Elias Howe com sua maquina de fiar e os exemplos seguem!…
Mendelev conseguiu extrair de seu sonho uma fabulosa e quase pronta configuração da tabela periódica.
   Numa experiência com os participantes precisando resolver um problema, experimento esse efetuado por Ulrich Wagner, Jan Born e colaboradores da Universidade de Lubeck na Alemanha, foi efetuado uma tarefa psicológica conhecida como “teste de redução numérica”. O objetivo desse tipo de teste é resolver rapidamente uma curta sequencia de números.
   As cobaias humanas foram apresentadas duas vezes à tarefa. Pela noite e pela manhã. 
   Aqueles que se mantiveram despertos durante a noite conseguiram uma pequena melhora na velocidade da tarefa, mas 60% dos voluntários que puderam dormir passaram a resolver o problema em um tempo cinco(5x) menor!
  Conclusões: aqueles que puderam dormir compreenderam a regra subliminar. Ao demonstrar que o sono facilita a melhora na velocidade do problema, os pesquisadores associaram o sono a reestruturação de representações mentais, fundamentais para obtenção de novos resultados, para uma tarefa cognitiva.
    Evidentemente são alguns exemplos de experimentações acerca de algumas das muito prováveis funções dos sonhos. Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis efetuaram experimentações acerca de um papel do sono REM na função de causa de migração de memórias para fora do hipocampo, fortalecendo a função primordial do sono REM no papel de estocagem e propagação de memórias.
Pintura, Química, Literatura, Música, Invenções… a lista é grande de áreas que se beneficiaram da produção de idéias no estado mental dos sonhos.
     Um trecho fascinante que não posso me furtar de impostar aqui:
” Ora se a função primordial do sono REM é a estocagem e propagação de memórias através da ativação gênica, e se essa ativação ocorre rapidamente após a entrada no sono REM, é fácil compreender que diferenças na quantidade sono REM entre espécies devem ser menos influenciadas por fatores cognitivos que por outros fatores ecológicos e fisiológicos. Por outro lado, considerando que os mamíferos apresentam um padrão de sono bastante distinto das aves, com episódios de sono REM muito mais longos e bem menos numerosos, seria natural supor a existência de alguma outra função do sono REM, evoluída recentemente e relacionada com a duração dessa fase. Quem função seria essa?
   Uma possível resposta talvez esteja na relação do sonho com a criação de novas idéias”
Fonte:
Revista Mente & Cérebro. Dos artigos:
“Propagação, Criação e Simulação de Memórias” de Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis
“O Fascínio pelos Sonhos” de Moacyr Scliar.

www.vivermentecerebro.com.br

     
       Até hoje nunca houve qualquer notícia de algum sonhador lúcido com sequelas porque experimentou a consciência durante os sonhos. Volta e meia a questão entra em discussão nas comunidades, mas é interessante dar atenção para deixar bem claro algumas coisas.
       Uma delas é que os sonhos lúcidos, vem sendo praticados naturalmente há séculos atrás. Os yogues tibetanos dominam secularmente as técnicas e a menos que a gente aceite o estilo de vida deles como insanidade ou loucura, eles continuam levando a vida deles numa buena.
Yogues tibetanos praticam sonhos lúcidos há séculos, sem quaisquer efeitos colaterais.
       No ocidente há relatos bem conhecidos, de séculos atrás, seja como o do marques Saint Denys e do psiquiatra Holandes, Fredrick Willelms Van Eeden(sonhos anotados desde os 13 anos – 352 sonhos lúcidos num período de 14 anos) que pesquisavam e exercitavam seus sonhos lúcidos.
        Existem sonhadores lúcidos com altíssima frequencia de consciência nos sonhos, como a Beverly D’Urso, Worsley, LaBerge e esses caras são estudiosos e muitos deles com doutorados e Ph.D… o_O ô mentezinhas perturbadas heim! Um relato ou mensagem da pesquisadora e sonhadora lúcida, Ph.D, Beverly D’Urso pode ser encontrado aqui:
Beverly D’Urso, Ph.D, pesquisadora que colaborou com a comprovação da existência dos sonhos lúcidos na década de 80, nos laboratórios de sono da Universidade de Standford, com Stephen LaBerge, é uma das maiores sonhadoras lúcidas do mundo.
        O que me parece mais provável na minha opinião, ressaltando que sou leigo e não tenho formação na área de psicologia ou psicanálise,  é sim que ao voltarmos alguma atenção para os nossos sonhos, certos problemas que haviam passado despercebidos no nosso cotidiano comecem a se manifestar. Basta lembrar que um dos primeiros passos para conseguir lembrar de um sonho é começar a anotar os seus sonhos. Apenas isso já é suficiente pra trazer um relatório do que anda se passando com mais frequencia pela mente enquanto estamos dormindo. Isso nos aproxima de interessantes pensamentos da Dra. Gayle Delaney, uma das maiores autoridades do planeta, quando o tema são os sonhos.




Gayle Delaney, uma das maiores autoridades do tema dos sonhos na psicologia, possui opiniões bem interessantes sobre os sonhos lúcidos.
        Claro que agora estou apenas especulando, mas não parece razoável que ao tentarmos confrontar nosso próprio universo mental, certos medos, problemas de consciência, grandes preocupações possam se manifestar?… Talvez. E caso isso aconteça, isso é uma bela oportunidade para procurar entender porque esse teu problema ainda não foi resolvido. Vale a pena rever um trecho da Dra. Delaney que cito em outro post do blog: https://www.sonhoslucidos.com/2010/04/como-enfrentar-pesadelos.html .

        Deve ficar claro para todo aquele que procura se aventurar nessa nova área, seja por estudo, diversão ou controle de pesadelos que não há quaisquer registros de algum prejuízo mental ou físico, causados pelas experiências do uso da consciência durante os sonhos. Reiterando se tratar de uma prática efetuada há séculos que apenas nas últimas décadas está recebendo atenção da comunidade científica.

AVISO:  adicionei a ferramenta de Seguidores do blog, na forma de  “sonhadores lúcidos”, no canto embaixo a direita. Agradeço as visitas, aos votos na enquete e também aos que adicionarem(seguir)  😉

        

O que é sonho lúcido?

Sonho lúcido é viver a experiência do sonho, mantendo simultaneamente a capacidade de raciocínio, consciência ou reflexão de que tudo é um sonho.

Para que serve?

A finalidade completa dos sonhos lúcidos ou conscientes ainda não está delimitada. Longe disso.

Até agora pelas experiências que tive, os relatos encontrados e as literaturas a respeito, tirei as seguintes conclusões com relação ao “para que serve?”:

1- Prazer.
Dentro de um sonho lúcido, há a iminente possibilidade de se aprender a controlar o sonho. Uma vez atingida a percepção de que tudo é criação mental tua, pode-se aprender a controlar tudo o que ali acontece ao seu bel prazer. Experiências sexuais, artísticas, espirituais etc..

2- Reflexões ou autoconhecimento.
Com o sonho lúcido puro, sem necessidade do desenvolvimento do controle do sonho, é possível ao sonhador aprender a testemunhar suas manifestações mentais involuntárias e interagir com elas.
Exemplo: tentar compreender no sonho porque sonhou com aquela criança , ver bem como ela é, brincar com ela, conversar etc.. ou o porquê da presença contínua de certas figuras ou tipos de sonho.

3- Poder.
No sonho lúcido se sabe que todas as manifestações de cenário, personagens e percepções advém do próprio sonhador. Pode-se adquirir o controle absoluto do sonho, manipulando ou criando, paisagens, personagens, onde o limite nisso é a própria imaginação. A pessoa se torna ali dentro um espécie de divindade, tamanho o seu poder. É possivel obter o controle de pesadelos.

4-Respostas ou conhecimentos.


Há diversos exemplos nas mais diversas áreas de estudo de pesquisadores, inventores, cientistas ou artistas que obtiveram respostas a grandes questões através dos sonhos. Mendelev(tabela periódica), Kekulé(a cadeia fechada do benzeno), o inventor da máquina de costura(solução da ponta da agulha) etc.. é verdade que tais respostas ou descobertas foram obtidos involuntariamente, mas com os sonhos lúcidos, tais problemas poderiam ser abordados com diferentes perspectivas.



“Se as pressões seletivas sobre a nossa espécie diminuírem ainda mais, o fenômeno do sonho lúcido pode ser usado de forma corriqueira como ferramenta de aprendizado”, diz Sidarta Ribeiro. 

link da citação:http://super.abril.com.br/superarquivo/2006/conteudo_433086.shtml