Tag

Débito de sono

Browsing

      Posso dizer que sou quase um tarado por sonhos lúcidos. Talvez não seja mais porque o sexo ainda continua dando mais prazer( ou talvez porque ainda não aprendi direito a fazer sexo nos sonhos!…). Bah! Estou brincando. Existem muitas outras coisas que podem ser tão ou mais prazerosas que ter um sonho lúcido. O que eu quero esclarecer nesse post – e que tem também relação com uma das minhas maiores dificuldades, é sobre um dos fatores mais determinantes na obtenção de sonhos lúcidos: uma boa noite de sono.
 

Um dos elementos-chave para obtenção de sonhos lúcidos: qualidade do sono.

      
       Podem ser diversos os fatores que levem a prejudicar o sono: conciliar rotina de estudos  e  trabalho,  família-estudos e trabalho,  família – estudos – trabalho-contasdoinfernoprapagar, unha encravada – vizinho com um trompete… e a lista parece infinita!  
       No meu caso, além de uma vizinha barulhenta(que Deus a abençoe!), mudei meu turno de trabalho. Yep! Não é mole não companheiro!…
       Dormir mal ou estar com uma má qualidade de sono, é um problema que definitivamente, precisa ser resolvido ou evitado, por todos aqueles que estão interessados em ter sonhos lúcidos. 
       Quando temos uma boa noite de sono, atravessamos por diversas fases comuns ao ciclo natural do sono. A fase que mais nos interessa e que já foi objeto de posts por aqui, são as fases REM do sono. Aquela fase que movimentamos mais os nossos olhos e que sonhamos mais intensamente. Também são nessas fases que os sonhadores lúcidos de laboratório do sono mais conseguem êxito – mais especificamente, nas últimas fases REM ou as chamadas fases tardias de REM.

Clique na imagem e repare como a parte alaranjada que representa a fase REM do sono,  aumenta no decorrer do tempo.

       Na medida que atravessamos essa idealizada boa noite de sono, esses fases com sonhos “fortes” vão se prolongando. Gradativamente. Iniciam com alguns poucos minutos e lá pela 6a hora do sono já compõe cerca de 30 minutos de sonhos. Pela 7a e 8a hora a coisa fica realmente apetitosa: entre 45 minutos até 60 minutos de sonhos. 

     Considerando as fases REM da vida adulta(entre 20 até 40 anos), temos a nossa disposição até 2h de períodos de sonhos intensos. O melhor é que sabemos exatamente que são os períodos finais do sono que estarão o grosso dos sonhos. Ali no final, amontoados e a nossa disposição para acessarmos eles.

    Métodos como o MILD e WBTB se utilizam desse conhecimento. Como eles orientam para um despertar após a 6a hora de sono e continuar o sono em seguida, investem no maior período povoado de sonhos.

Siga o exemplo do sábio Garfield! Nada como uma vida buena, regada a um bom sono. É uma chave mágica para chegar as melhores fases do sono e assim, ficarmos consciente nos sonhos.

    No livro Ladrões de Sonhos, de Stanley Coren, há experiências bem interessantes como a de voluntários que se submeteram ao isolamento, sem conhecimento das horas do dia, para o monitoramento dos ciclos de sono que passariam a assumir. Assim como em textos de pesquisas publicados recentemente, relacionados a sonhos lúcidos em laboratório, também foi registrado aumento substancial no tempo de sono dos voluntários.

    O despertador e a cafeína parecem ser vilões nessa história. Não deveríamos estar dependendo deles em detrimento da nossa qualidade do sono e de vida. Tomando meu exemplo, os de amigos e colegas de trabalho, bem como onironautas interessados em sonhos lúcidos, o que posso sugerir é que passem a investir em evitar ou solucionar, tudo aquilo que esteja impedindo ou atrapalhando uma boa noite de sono.

Bibliografia: 

NEUROCIÊNCIA da Mente e do Comportamento. LENT, Roberto(Coordenador). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008

Coren, Stanley: Ladrões de Sono. Cultura Editores Associados. São Paulo: 1996

Finalizando o texto anterior, segue a avaliação de acordo com as respostas dadas. Lembrando que esse teste de débito do sono foi extraído do livro “Ladrões de Sono”, do pesquisador Stanley Coren.

 

Livro formidável, do qual foi extraído o teste e avaliação apresentados.

 

Deve-se somar a quantidade dos ‘SIM’ para saber o resultado:

Avaliação com base nos pontos:

4 ou menos: Não há significativos sinais de débito de sono.

5 ou 6: Embora durma o suficiente quase sempre, há dias em que sua cota fica abaixo do necessário, o que dá para prejudicar seu desempenho em algumas atividades.

7 ou 8: Há sinais evidentes de débito de sono, com prejuízo visível à eficiência e à capacidade de completar tarefas a tempo. Fique atento a pequenas falhas e momentos de desatenção. Neste nível, você acaba percebendo os erros se puder rever o seu trabalho, mas os que passarem podem custar caro e causar confusão.

9 a 11: Débito de sono médio, com possibilidade de erros ou omissões graves. Repassar o trabalho duas ou três vezes talvez não adiante, pois a atenção está comprometida. Tome nota de compromissos, recados, avisos e informações para não esquecê-los. Tendência à desconcentração motora e humor alterado, com desmotivação, pequenas crises de depressão e irritação. Sensação de que está sempre sobrecarregado, achando que não vai dar conta do que tem a fazer.

12 a 14: Débito de sono grave, com sério comprometimento para a sua qualidade de vida. Sintomas iguais aos descritos no quadro anterior, mas intensificados. Erros e omissões frequentes, percebidos muito tarde. Impaciência para tarefas minuciosas e detalhadas. Desinteresse generalizado, mesmo por situações ou atividades que antes achava fascinantes, incluindo passeios, reuniões sociais, livros. Propensão a acidentes, cortar-se, queimar-se, esbarrões, barbeiragens no trânsito. Crises de confiança na própria competência. Lapsos de memória, com esquecimento ou incerteza sobre dados comuns, como o número do seus telefone, sua senha do banco etc..

15 ou mais: Débito de sono gravíssimo, superior até mesmo ao de pessoas com distúrbios como apnéia do sono ou insônia grave. Trate de mudar seus hábitos de sono com urgência, de modo a garantir sua segurança física e psicológica. Se após algumas semanas dormindo mais sua contagem de pontos não baixar para 7 ou menos, consulte um médico.

 

É incontestável que nossa sociedade vive num ritmo  desnecessariamente acelerado e  com evidentes prejuízos na qualidade do sono e da vida.

Fiz o teste lembrando como era minha rotina antes das férias, considerando meus horários em função do trabalho e da faculdade, mais os efeitos disso no dia-a-dia. No meu caso fiquei com 8 pontos: evidentes sinais de débito de sono. Putz! Sou um cafécômano e tá na hora de largar isso. Meu trabalho deve sofrer alteração de horário e aposto minhas fichar que finalmente vou arrumar essa zona que são meus horários de sono.

Stanley Coren deixa bem claro nesse livro, como é comum as pessoas prejudicarem o sono, acreditando que vão conseguir aproveitar melhor outras atividades. Ledo engano. Nossos ciclos de sono trabalham arduamente para melhorar nosso corpo e mente. É o que nos reconstrói, mobiliza memórias e as consolida, trabalha criativamente com problemas, reforçando o aprendizado, regula hormônios, recupera e faz bombar os músculos… a lista parece não ter fim!…

Tudo isso, sem ter entrado no mérito do nosso principal assunto que são os sonhos lúcidos. A essa altura deve estar bem claro o quanto podemos estar prejudicando as possibilidades de conseguirmos ficar conscientes nos sonhos. Se estamos detonados com prejuízo no ciclo normal do sono que energia menal sobrará para levarmos adiante nossos planos de sonhos lúcidos?

 

Stanley Coren, Ph.D, cientista e professor de psicologia na University of British Comlumbia

Nas palavras do Dr. Coren: ” Quando sacrificamos nossas horas de repouso, cortando a dose tradicional, a deterioração é visível. Se você perde duas horas hoje e duas amanhã, seu desempenho no terceiro dia será tão baixo quanto se tivesse perdido tudo em uma única noite. É assim que o déficit cresce, virando débito de sono e comprometendo cada vez mais nossas ações. Até a idiotia e a morte, como demonstrei ao falar da taxa americana de morte por acidentes que aumenta 6 por cento por causa de uma hora a menos de sono no verão.”




Bibliografia:

Coren, Stanley: Ladrões de Sono. Cultura Editores Associados. São Paulo: 1996.

A qualidade do sono para ter sonhos lúcidos é crucial. Com o passar de um mês de férias, tive algumas experiências bem preciosas que me fizeram repensar muita coisa sobre a qualidade do meu sono e por consequência, da minha vida. Sem compromissos estressantes, rotinas escravizantes e horários de cobrança, quando somos donos do nosso próprio tempo, pude observar como isso facilita bastante as oportunidades para ter sonhos lúcidos.

 

Stanley Coren, no seu livro “Ladrões de Sono”, apresenta um capítulo inteiro sobre como a vida em sociedade, costuma impor um débito de sono crônico para muita gente. Apresenta duas experiências interessantes, com voluntários que foram isolados em laboratórios subterrâneos para que se manifestasse o relógio biológico interno de cada um. Os resultados foram surpreendentes.
O isolamento da luz do sol, da lua e outros fatores do cotidiano, permitiram que esse nosso relógio interno se manifestasse. Passaram todos a viver num ciclo diário de 25h. E a dormir mais do que em suas rotinas normais.
Coren apresenta um questionário elaborado para determinar se você tem algum défict de sono. Para descobrir, basta responder sinceramente com um SIM  ou NÃO.

1- Você precisa de um despertador barulhento para acordar pela manhã?

SIM    NÃO

2- Costuma desligar o despertador para dormir mais um pouco?

SIM    NÃO

3- Acha difícil sair da cama pela manhã?

SIM    NÃO

4- Acontece de o despertador tocar e você não acordar?

SIM    NÃO

5- Você sente efeitos notáveis quando toma uma única cerveja, um copo de vinho ou uma dose de outra bebida alcoólica?

SIM    NÃO

6- Nos fins de semana, costuma dormir até mais tarde do que durante a semana?

SIM   NÃO

7- Nos feriados e nas férias dorme até mais tarde do que em dias de trabalho normal?
SIM    NÃO

8- Sente que sua disposição para ir à luta muitas vezes desaparece como por encanto?

SIM    NÃO

9- Acha que lidar com detalhes e tarefas de rotina está mais difícil do que costumava ser?

SIM    NÃO

10- Às vezes, adormece sem querer?

SIM    NÃO

11- Fica com sonoquando se senta para ler?

SIM    NÃO

12- Fica com sono ou cochila quando vê TV?

SIM    NÃO

13- Fica com sono ou cochila em automóvel, ônibus, avião ou trem quando a viagem dura mais do que uma hora sem paradas?

SIM    NÃO

14- Em geral, fica com sono ou cochila depois de um almoço reforçado, mesmo sem ter bebido nada alcoólico?

SIM   NÃO

15- Costuma sentir sonolência em apresentações teatrais, concertos ou palestras?

SIM  NÃO

16 – Costuma ficar com sono ao volante quando pára por alguns minutos em um engarrafamento?

SIM  NÃO

17- Consome mais de quatro xícaras de café ou chá(com cafeína) durante o dia?

SIM NÃO

 

RESULTADO DA AVALIAÇÃO

Agradeço muito aos companheiros e companheiras onironautas que participaram ativamente por esses dias que estive fora. As férias estavam boas pra caramba! Abração!