Tag

Kit Básico

Browsing

     Ficar consciente enquanto sonhamos não requer qualquer empenho estapafúrdio. Toda e qualquer pessoa comum pode conseguir. A menos é claro que esteja com alguma interferência mais séria em sua qualidade do sono… esteja tomando algum medicamento que prejudique as fases naturais dos ciclos do sono…  e por aí vai. 

Não é preciso ser dotado de habilidades especiais, frequentar alguma seita ou  dedicar grande empenho para conseguir  mergulhar sua consciência no estado mental dos sonhos.

     Quando me questionam sobre o grau de dificuldade ou o tempo que leva para conseguir ter um sonho lúcido, gosto sempre de lembrar o exemplo de um dos primeiros pesquisadores dos sonhos lúcidos: o marquês de Saint Denys. Ele não só foi um pioneiro na desbravação do tema, mas serve como referência, para dar uma idéia do grau de dificuldade dessa experiência que afinal, definitivamente não oferece dificuldade alguma. Exceto talvez, ter no mínimo boa qualidade de sono e seguir algumas orientações.

    De acordo com Peter Fenwick – neuropsiquiatra com livros e pesquisas publicados na área(vide o texto sobre sonecas): “(…)Saint-Denys, um dos primeiros sonhadores lúcidos que tentou 207 noites antes de ter seu primeiro sonho lúcido. O segundo veio na noite 214. No final de 6 meses, ele tinha 2 por semana.”

O marquês Saint-Denys publicou em 1867 o livro “Sonhos e como guiá-los”.







    Reparem que estamos considerando um dos primeiros onironautas a se aventurar com a brincadeira. Que métodos, dicas, orientações ou experiências oriundas de laboratório do sono existia naquela época?! O marquês de Saint-Denys, a quem eu gosto de me referir como o “Marquês dos  Sonhos”, fazia suas aventuras no seu mundo dos sonhos, pelos idos de do século XIX… publicou seu próprio livro em 1867, entitulado “Sonhos e como guiá-los”, no qual relata mais de 20 anos com suas experimentações em sonhos lúcidos. Resumindo, o sujeito arregaçou!

    Esse exemplo supra-citado é magistral. Se em pleno século XIX, o marquês que não tinha acesso a vasta quantidade de informações que temos hoje, conseguiu em 6 meses atingir a média de 2 sonhos lúcidos por semana, pode-se ficar otimista com relação a situação atual.

    Apesar da demora, um bocado grande de 207 dias, para conseguir ter o primeiro sonho lúcido, 6 meses para atingir a média de 2 sonhos lúcidos por semana, eu considero um feito extraordinário. Dois sonhos lúcidos por semana, é a frequência por exemplo do Bruno Grego que realiza experiências nas pesquisas pela UFRN.

Estamos em uma época fértil de informações e conhecimentos valiosos para facilitar as experiências de sonhos conscientes. Métodos e técnicas consagrados, muitos deles praticados em laboratórios do sono, desde a década de 80.

     Suspeito que a maior dificuldade para conseguir ter sonho lúcido é invariavelmente conquistar boa qualidade de sono. Como é comum encontrar no meu círculo de amigos, colegas de trabalho e de estudo… olheiras! Já comentei aqui sobre o livro “Ladrões do Sono”, do Stanley Coren e como o débito de sono é frequente no nosso modo de vida. Acabamos sacrificando a qualidade do sono com frequência absurda. Voltarei a abordar temas relacionados a esse livro formidável.

     Vale ressaltar que já no séc. XIX, o Marquês dos Sonhos, no seu livro, apresentava suas próprias orientações acerca da obtenção de sonhos lúcidos:

– anotação dos sonhos

– acordar pela própria vontade

     Em suma, comece com o básico:
melhore sua qualidade de sono, procure dormir bem o suficiente a ponto de não precisar de despertador. Mas principalmente que não dependa de café ou energéticos durante o dia.

faça um diário de sonhos, passando a anotar e fortalecendo sua capacidade de recordação e reconhecimento da estrutura dos sonhos. 

adote um método,  MILD, Tholey, WBTB, WILD, CAT… não importa qual, aprenda pelo menos um deles e siga os passos religiosamente. Pela minha experiência e de vários onironautas que mantenho contato, recomendo os 3 primeiros.

realize reality checks: olhe para as mãos, acione interruptores, veja a hora no relógio, puxe o dedo, observe seu reflexo no espelho, questionando-se “Estou sonhando ou não?”

   … essas orientações são consagradas e grande parte delas não era conhecida no século retrasado. Comparando com a realidade vivida por Saint-Denys… fica um bocado mais otimista a perspectiva de ter sonhos lúcidos não!?

Fonte: 

PARKER Jennifer e ENNIS Maeve. Fique por dentro dos Sonhos. Cosac & Naify Edições, 2ª ed. 2001: São Paulo.

LABERGE, Stephen. Sonhos Lúcidos. 1985
Ed. Siciliano Livros, Jornais e Revistas Ltda. 1990(esgotada)

        Anda esquecendo de fazer seus reality checks?! Seu Diário de Sonhos parece um queijo suíço, todo esburacado, de tantos dias que já andou pulando sem anotar sonho algum?… Bem, pensando nesses probleminhas, bem comuns na nossa rotina, resolvi montar um pequeno texto, resumindo ainda mais, num “Kit” mínimo com recomendações, para manter boas chances de ter sonhos lúcidos:

Procurando compensar nossas correrias do dia-a-dia, resolvi resumir os principais passos para manter nosso subconsciente acionado, enquanto somos obrigados a “viver no automático”.

       A) “Estou sonhando ou não?” continua sendo o mantra, seja ao se olhar num espelho, ao olhar para suas mãos ou olhar um relógio ou celular. Opte por reality checks que você se depara com mais frequência na sua rotina.

       B) É impossível conseguir escapar sempre de uma fila. Aquela fila medonha do supermercado ou do banco! Quando isso acontecer ou quando estiver num elevador, aguardando alguém, um ônibus, um jegue, uma consulta… enfim, ao ser obrigado a esperar algo, aproveite e questione sua realidade: “Estou sonhando ou não?”.

       C) Verificação de memória: faça isso logo após se questionar se está sonhando ou não, pergunte-se sobre o que estava fazendo antes de vir parar aqui? Os sonhos não costumam ser lineares e condicionar essa verificação algumas vezes por dia é realmente uma idéia brilhante(Dr. Tholey é o cara!).

       A reunião dessas dicas é um plágio descarado do Método de Tholey nos seus 3 primeiros passos, mas pega o principal que é construir o senso crítico-reflexivo. Uma vez que isso vire um hábito, as chances de sonhar que está fazendo isso, vão aumentar consideravelmente e o resultado será sua consciência brotando enquanto você sonha. Pelo menos mais do que não fazer coisa alguma.

     

    É o feijão com arroz. Para não enferrujar. Agora, para realmente aumentar dramaticamente suas chances, siga um Método(Tholey, MILD, WBTB, DEILD, WILD etc..). Todos principais, já consagrados pelos onironautas, estão