Tag

Paralisa do Sono

Browsing

A questão se existe ou não perigo em ter sonhos lúcidos, surge com certa frequência entre os interessados pelo tema. A princípio, podemos dizer que perigos físicos não existem. O sonho lúcido apenas se diferencia do sonho comum pela capacidade de percebermos que estamos sonhando. Porém há certas questões que merecem ser debatidas.

Pesadelo lúcido

Fonte da imagem

Mesmo controlando o sonho, podemos nos deparar com nossos piores medos. Estar lúcido pode tornar a experiência ainda mais intensa. A boa noticia, repetimos, é que não se corre risco ou perigo físico… quanto ao psicológico, não podemos garantir o mesmo. Existem casos, principalmente no início da prática, em que a novidade de estar consciente no sonho, provoca reações fortes, e por vezes, carregadas com estranhamento e em outras situações, com medo.

Reações fisiológicas

Fonte da imagem

Acontece que, mesmo durante o sono, o corpo físico pode responder aos estímulos vindos de dentro do sonhos. Afinal, com o sexo não seria diferente e, ao se ter um orgasmo no sonho, o corpo físico responderá ao mesmo, resultando em fluídos… ou não, afinal pelo menos nas experiências em laboratório de sono, esses resultados molhados não ocorreram!…

Paralisia do sono

Fonte da imagem

Em uma minoria de casos, normalmente quando a pessoa já possui um histórico de paralisia do sono, ela de fato pode voltar a acontecer com a prática do sonho lúcido. Entretanto, ela é mais comum de acordo com a técnica que está sendo aplicada. Técnicas que envolvem a indução direta da consciência, a partir do estado desperto para o sonho… atravessando o sono sem perder a consciência até atingir a realidade onírica, como por exemplo: as técnicas WILD, VILD, FILD.

Imagine ver e ouvir coisas surreais e, mesmo após despertado e não poder fazer nada, nem mover um dedinho. A princípio Porém é possível fechar os olhos, se concentrar e voltar para dentro do sonho. Para saber mais sobre a paralisia do A princípio sono acesse nosso post sobre clicando aqui.

CONCLUSÃO

Ainda não existem provas de quaisquer perigos que a a prática do sonho lúcido possa oferecer. Fato é que os monges tibetanos praticam há séculos os sonhos lúcidos sem até hoje registrarem um único prejuízo, seja físico ou mental. E não é a toa, o interesse de pesquiadores por esses experientes praticantes do oriente. O biólogo Francisco Varella e o filósofo da mente Evan Thompson são bons exemplos desse desbravamento. Por fim, vale ressaltar que a prática em si dos sonhos lúcidos não oferece o perigo, mas sim o praticante, caso não se informe adequadamente, poderá é claro incorrer em erros, como por exemplo querer praticar alguma técnica esdrúxula de privação de sonhos… o que sempre é contraindicada.

Uma recomendação especial: caso tenham interesse em alguma página que trate de significado dos sonhos ou algum dicionário do gênero,

recomendo a https://www.segredosdosonho.com.br/

Referencias Bibliograficas

VARELA, F. J., Rosch, E., & Thompson, E. The embodied mind: Cognitive science and human experience. Cambridge, MA: MIT Press, 1993.

THOMPSON, E. Waking, Dreaming, Being: NewLight on the Self and Consciousness from Neuroscience, Meditation, and Philosophy. New York: Columbia University Press, 2014.

Não existe filme de terror na história humana, capaz de provocar mais terror do que uma paralisia do sono, acompanhada de uma dose de alucinação típica desse estado.

Muitas perguntas aparecem relacionadas a paralisia do sono. Já fiz alguns posts sobre o tema, mas como não é o objeto principal desse blog, sempre é bom lembrar que existe gente boa tratando especificamente sobre o tema. É o caso do blog Paralisia do Sono – Tudo Sobre Paralisia do sono. O site Universo Racionalista também fez um excelente e meticuloso post sobre o tema.

Vale lembrar que a paralisia do sono é a manifestação de um mecanismo natural do nosso corpo, para nos proteger dos movimentos que fazemos durante os sonhos mais intensos e vívidos (fases REM do sono). Diferente do sonho lúcido, nossa consciência não está mais imersa no sonho, vivenciando aquela realidade, mas se depara com o corpo ainda em estado de Atonia Muscular. Significa que todo o corpo está submetido a rigidez que é típica dos sonhos vívidos da fase REM, impossibilitando nossos movimentos, porém com a mente já desperta. Toda a amplitude dessa atonia ou paralisação muscular é visceralmente sentida.

Presenças malignas e sensações de pressão sobre o peito, sufocamento, total rigidez e alucinações, são manifestações bem típicas de paralisia do sono com alucinações. Na imagem, cena do filme “Fogo no Céu”.

Na situação de ser acometido pela paralisia, podem acontecer as alucinações(2*), digamos, dignas de botar qualquer grande filme de terror no chinelo!… Filmes como O Grito, O Chamado, Exorcista, Atividade Paranormal… irão parecer brincadeira de criança. Essas alucinações são poderosas e podem causar pânico àqueles que desconhecem tal fenômeno. Esqueça luzinhas dançando, túneis se abrindo ou pequenos borrões…

Os sintomas típicos de esmagamento da rigidez do sono, podem vir com um belo pacote de alucinações auditivas, risadas macabras, sensação de presença perversa… sufocamento… que tal flagrar uma velha bruxa e gorda sentada sobre seu peito?! Um bater de asas sombrias logo ao seu lado, fazendo seus cobertores levantarem?! Rá!

Agora se um dia isso lhe acontecer, procure se lembrar: “é tudo criação mental sua”. Um mero fenômeno de transição entre o sono e a vigília, conhecido como paralisia do sono(com ou sem suas respectivas alucinações). Lembre-se de não ter um ataque cardíaco por isso. Não se trata de bruxa, demoinho ou ET de Varginha querendo brincar com o seu sexo(bem, talvez seu subconsciente queira rsrs o meu é bem sacana!).

É importante ressaltar que nos casos de paralisia do sono crônica, deve-se procurar auxílio com um médico especializado na área de Medicina do Sono. Existe tratamento e como eu sempre lembro por aqui, a qualidade do sono deve estar sempre em primeiro lugar.

Esqueça qualquer pretensão Hollywoodiana de provocar algum “terror”  na sua mente.  O melhor “Trem Fantasma do Mundo” já está pronto pra ser acionado a qualquer instante no seu cérebro. Na imagem uma cabeça empalada que guardo aqui na minha cabeceira. 1*

1* Brincadeirinha rsrsrs a imagem é uma foto tirada no espetacular “Portal da Escuridão”, do Beto Carrero World. A fotografia foi tirada no hall de entrada(antes do labirinto hehehhhehe).

2* Essas alucinações são bem mais poderosas que as alucinações hipnagógicas ou hipnopômpicas.

Fontes:

Texto gentilmente cedido pelo onironauta Zooth00 :

   Acho relevante desmistifcar um erro que acomete uns 90% da população de sonhadores lúcidos.
Se quiserem ler a discussão toda, remetam-se aqui.

     O que é paralisia do sono? “Uma assustadora forma de paralisia que ocorre quando a pessoa de repente percebe a si mesma incapaz de se mover por alguns minutos. A maioria desperta ou acorda.” Até aqui tudo simples certo? Sabemos(e provavelmente a maioria já experimentou) que a paralisia quer no início da fase REM do sono, quer no final da mesma.

Complementando: “Paralisia do sono é a sensação de não conseguir movimentar o corpo que acomete algumas pessoas geralmente após o despertar. Dura poucos minutos, porém o suficiente para trazer um certo desconforto. Decorre de um despertar parcial durante o sono REM, persistindo a atonia muscular já em estado de vigília.” *

Zooth00 é um onironauta, membro do Fórum de Sonhos Lúcidos. Na imagem, cena do filme Matrix… acho que o Zooth00 era um dos “Potenciais” 🙂

 
Por que acontece? “… trata-se de uma irregularidade ou estado transicional que acontece entre o estado do sono e o estado desperto.” Isto é um ponto fundamental. Quando há paralisia de sono, salvo casos muito raros, não há o “e acabou e comecei a mexer-me outra vez”. Há uma interrupção efetiva do fluxo de certos neurotransmissores, e isso resulta num bloqueio da atividade motora. Uma das razões (para além das alucinações aterrorizantes) para causar tanto medo/desconforto é porque estão efetivamente paralisados. Saber que é paralisia não é o suficiente para vos acalmar, senão os doentes com episódios regulares não teriam tantos problemas com a mesma não é ?!

O que se entende por irregularidade? “Sleep paralysis is the result of premature (or persistent) mind-body disconnection as one is about to enter into (or exit from) REM sleep.” É importante não achar que paralisia de sono é o único caso de mind-body disconnections à medida que vamos a caminho de REM. Tal como o absoluti0n refere, e tenho a certeza que todos nós percebemos com o exemplo dele, mind-body disconnections são perfeitamente normais, dado que o cérebro progressivamente vai desligar certas àreas/funções do cérebro em prol de outras (e aqui temos a suplantação da cognição externa pela sensorial interna). Um caso são as HH, os tremores, as alterações de consciência, as vibrações, (o cão a ladrar no quarto quando nem sequer temos cão xD).

Ciclos do sono, com as fases REM em amarelo.

Então paralisia de sono é própria de que estágio? REM. Porque se refere à percepção da REM atonia, tão simples e directo como isso. “If you become aware before the REM cycle has finished, you may notice that you cannot move or speak.” É por isso que quando saimos de um lúcido não sentimos paralisia de sono: é um fenónemo raro, assustador, e bem distinto das experiências de sintomas N-REM. Quando o sonho acaba é exactamente isso que acontece: podemos estar lúcidos e por falta de concentração ou término da duração desse estágio REM naquele ciclo de sono em particular, mas o REM acaba. Se tivesse o atrevimento de adivinhar, diria que o fim da REM atonia enquanto estamos lúcidos está a acontecer no momento em que reportamos “o sonho começou-se a desvanecer”.

Sonambulismo, vale a pena mencionar? A menos que queiram complicar sem razão, não O sonambulismo é próprio de fases N-REM, e isso é a razão pela qual sabemos que alguém é sonambula: está-se a mexer Para além do mais, é preciso sermos “mauzinhos” demais para assumir que o doente iria experienciar sonambulismo (que ocorre maioritariamente apenas uma vez por noite) e paralisia de sono (que é um fenónemo raro) logo na mesma noite, pobre coitado xD

O que isto significa em termos práticos no WILD? Significa que WILD é a indução de um sonho lúcido ao entrar conscientes na fase REM, e não o acto de entrar em paralisia de sono. O wild começa antes sequer de se deitarem (porque o planeiam fazer). A paralisia de sono não seria um fenónemo raro se todas as pessoas que se recussassem a perder a consciência no sono (sonhadores lúcidos não são os únicos, há pessoas que devido a problemas mentais também fazer o mesmo, ainda que sem querer) conseguissem chegar lá. Para além do mais, se o WILD se referisse à paralisia de sono (e que muita gente teima que sim erradameente), então os relatos seriam muito mais interessantes e não experiências muito mais “smooth” na maioria das vezes como os relatos da comunidade de sonhos lúcidos demonstra (para ficarem mais “convencidos” aqui, façam como eu e metam o nariz numa grande quantidade de relatos de WILD bem sucedidos).

Por último: então se não é paralisia de sono, o que exprimentamos nós tantas vezes? Sintomas N-REM. Nem precisamos de visitar um especialista de sono para reportarmos várias sensações e alucinações quando estamos a adormecer (incluindo quando não estamos a fazer WILD). Estes sintomas são meramente a progressão gradual do sujeito de N-REM a REM. O grupo de fases N-REM tem como principal objectivo o restauro fisiológico do sujeito, e o REM (bem mais complicado diga-se de passagem) já se refere para funções mentais, como a organização de memória, regulação de emoções, etc. Dado que a passagem de um para outro é gradual, é apenas normal que observemos estes “fenômemos”.

Espero que isto tenha ajudado e libertado-nos de muitas confusões. Também só prova que o WILD é uma questão de mentalidade. Provavelmente muita gente o falha porque, citando um outro contribuinte para a discussão, é importante fazer a distinção entre “HOLY SHIT I CANNOT MOVE AND THERE ARE STROBE DEMONS EATING MY FEET!” e “Suddenly my body is vibrating all crazy-like and my senses are going super fuzzy. Oh look! Dream imagery!” Perseguir a paralisia de sono é um erro, o objetivo é (ou devia de ser para aqueles que querem aprender a WILD) mantermo-nos conscientes e cientes do nosso propósito de não perder a consciência enquanto passamos por “esta cambada” de sintomas N-REM.

Nota do blogueiro-editor(Márlon, vulgo Coruja rs): não sou um especialista em WILD. Tive minhas experiências, mas fiquei encantado pela precisão do onironauta Zooth que nos brindou com esse ótimo texto nas discussões no nosso Fórum de Sonhos Lúcidos.

Por fim, creio ser possível em alguns casos, atravessarmos à paralisia rapidamente. Tratam-se das situações que estamos com o sono atrasado e o rebote de REM acontece.

*  NEUROCIÊNCIA da Mente e do Comportamento. LENT, Roberto(Coordenador).
 Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

    Baseado em dúvidas recorrentes de onironautas e interessados por sonhos lúcidos e paralisia do sono, resolvi fazer um pequeno texto, exclusivo sobre como fazer uma Paralisia do Sono virar um Sonho Lúcido.

A sensação de imobilidade pode ser bem ruim, especialmente para quem desconhece a paralisia do sono.  Nessa situação, estamos conscientes, mas incapazes de movimentar o corpo. Na imagem, mais um duelo entre o cabeça-de-teia e o Homem-Areia(personagens da Marvel).

    A paralisia do sono, é aquele momento, no início ou ao final dos ciclos do sono, em que a pessoa sente o corpo em total rigidez, ao mesmo tempo em que se sente desperta. Essa imobilidade do corpo é um mecanismo natural que ocorre normalmente nas fases REM, enquanto estamos dormindo. É conhecida tecnicamente por “atonia muscular da fase REM”. Sem isso, durante nossos sonhos, poderíamos executar perigosamente os movimentos. Imagine a situação de estar sonhando que vai voar de um prédio, quando na verdade teu corpo está mesmo na sacada do seu apartamento!…

   Vale ressaltar que sonambulismo não se trata da situação descrita acima, pois o distúrbio não acontece na fase REM. Porém tenho minhas dúvidas se a pessoa, nesse caso, de fato não está sonhando com algo. Já presenciei sonambulismo e o que vi era alguém interagindo com um cenário! rsrsrsrs

Arte de Ivan Kramskoy: the Sleepwalker. Sonambulismo não é paralisia do sono.  

    No caso da paralisia do sono, são sintomas típicos a sensação de estar paralisada(o) e sufocamento. Podem acontecer sintomas como alucinações visuais e/ou auditivas. Pode-se sentir essa paralisia, além da total incapacidade de se mexer, como também uma forte pressão sobre o peito, cabeça, pernas etc..

     Quando a paralisia está acontecendo com muita frequência, pode se tratar mesmo do distúrbio(da paralisia do sono). Caso não seja possível converter isso em sonho lúcido e continue a incomodar, o recomendável é procurar um médico da área do sono. Provavelmente poderá resultar na ida num laboratório de sono para analisar melhor o caso.

      A Conversão:

Procure imaginar, algumas vezes durante o dia, um cenário que seja agradável pra ti. Imagine-se estar sonhando com tudo aquilo. Teu sonho e interagindo com tudo, explorando serenamente, com muita paz, amor e tranquilidade.

No próximo evento de paralisia do sono, resgate esse cenário que você imaginou bastante no estado desperto. Lembre-se dele! Inunde tua mente com o que tu exercitou.

Ainda durante a paralisia, já visualizando o cenário, sinta-se interagindo com ele, fazendo coisas simples, seja caminhando por ele, observando e sentindo o que exercitou quando estava acordada(o).

Finalmente atingirá o sonho lúcido. Teu sonho, com tuas criações mentais. Só na paz, amor e toda experiência e muito prazer, possível e imaginável… sem limites!

Adentrando teu sonho, tua exclusiva criação mental… teus construtos e vontade. Na imagem, Mr. Anderson, totalmente transformado em Neo, atingindo sua superconsciência, no filme Matrix.

Em último caso, caso não consiga bons resultados, é recomendável procurar um médico da área do sono. Existem muitos medicamentos e hormônios sintéticos.

      Muitos onironautas que esporadicamente ou com mais frequência, acometidos pela paralisia, optam pelos métodos WILD e VILD.

      Para outras informações sobre paralisia do sono, como interromper um episódio ou como evitar, recomendo outro post:
https://www.sonhoslucidos.com/2011/01/o-que-e-paralisia-do-sono.html

Existe um período ao adormecer e outro próximo do despertar, em que podem ocorrer alucinações. Tão fortes ou mais poderosas do que qualquer sonho ou pesadelo, essas alucinações podem de fato impressionar o sonhador desavisado. Especialmente para aqueles que alguma vez praticaram o método WILD, não é incomum acontecerem em conjunto com a paralisia do sono e de “bônus”, algum zumbido, barulho, gritos e afins!… Parecem bem apetidosas essas experiências não?! Segue definição.
Assombrações, Aliens, Demônios e afins podem povoar as experiências alucinatórias do sono.

Alucinações hipnagógicas: tipo especial de alucinações visuais que ocorrem ao adormecer. Nem sempre têm significado patológico, podendo, contudo, acontecer na narcolepsia.

       Alucinações hipnopômpicas: tipo especial de alucinações visuais que ocorrem ao acordar. Geralmente não têm significado patológico.

Exemplo de alucinação hipnagógica:

“Eu estava de férias na casa da minha irmã em Salvador, lendo um livro, quando dei uma bela cochilada!…  De repente visualisei meu corpo encurvado no sofá da sala, segurando um controle remoto. Simplesmente não conseguia soltar o controle da minha mão ou sequer fazer qualquer movimento. E como diabos eu poderia estar ali naquele sofá se eu estava lendo um livro no quarto?! Ah! Estou sonhando! Acordei em seguida.”

Exemplo de alucinação hipnopômpica:

“Sentia meu corpo totalmente imobilizado e ao mesmo tempo conseguindo visualizar o que estava em volta… minhas cobertas, o armário, as cortinas, mas eu continuava ali, preso no meu corpo! De repente as cobertas começaram a se mexer e se levantar sozinhas!… Era uma coisa assombrosa ver aquilo. Cada vez mais alto, as cobertas começaram a se erguer, como se um fantasma estivesse ali me aterrorizando. Minha desesperada conclusão foi: paralisia do sono e alucinação. Fui inundado com uma sensação incrível de poder e larguei uma terrível gargalhada histérica(na alucinação pois ainda estava paralisado) que fez as cobertas despencarem, para mergulhar nos sonhos novamente.”
    Corriqueiramente é possível encontrar relatos de pessoas que descrevem fantasmas, aliens, vultos e assombrações. Por vezes os zumbidos, barulhos e gritos. Quando a experiência está acompanhada de sensações de pressão sobre o corpo, incapacidade de se mexer durante a situação, invariavelmente está presenciando a rigidez do sono. Significa que está sendo capaz de manter a consciência ativa o suficiente para agregar na alucinação(ou mesmo durante o sono) a sensação fisiológica atual do corpo.

Fontes:
https://www.sonhoslucidos.com/2011/01/o-que-e-paralisia-do-sono.html
http://www2.uol.com.br/vivermente/reportagens/ataques_de_sono_imprimir.html
http://www.boehringer-ingelheim.pt/songhanight/glocario/glos1.htm

Uma dúvida bem freqüente para quem está pesquisando sobre sonhos lúcidos, é sobre a Paralisia do Sono. Em síntese, trata-se de uma ocorrência derivada de um estado natural, a que o corpo se encontra submetido em certas fases do sono, visando nossa proteção: a atonia muscular da fase REM. O problema é quando despertamos e percebemos que nosso corpo ainda se encontra paralisado.
Conhecido também como rigidez do sono, isso acontece porque enquanto sonhamos, precisamos que aconteça um bloqueio dos nossos movimentos para evitar que nossas ações durante os sonhos, sejam reproduzidas pelo corpo.
Apesar das sensações desconfortáveis, muitas vezes acompadas de alucinações, as paralisias do sono podem servir de acesso para a consciência nos sonhos.
Imagine o perigo que seria estar sonhando com uma briga com um monstro ou algum inimigo terrível e ao acordar perceber que acabou de dar socos e pontapés na pessoa amada? Por isso é que existe tal mecanismo de proteção do nosso corpo. Porém existem distúrbios envolvendo falha nesse mecanismo. Algumas pessoas podem despertar percebendo essa paralisia e outras podem romper a rigidez(sem despertar) e praticar movimentos durante o sono.
Sintomas de distúrbio na paralisa do sono:
Normalmente, os episódios de paralisia trazem a experiência de total incapacidade de movimento, exceto para os olhos. Relata-se com freqüência uma sensação de sufocamento. Sente-se que está acordado e essa sensação de impotência pode vir acompanhada de ansiedade e medo. Pode vir de lambuja no “pacote” uma dose de alucinações surpreendentes(uia!).
Causas:
Pequenas alterações hormonais, responsáveis pelo equilíbrio do sono.
Porta para os Sonhos Lúcidos:
A paralisia do sono pode ser usada como ferramenta de ingresso da consciência nos sonhos. Considerando que a pessoa ainda está com o corpo no seu estado rígido de sono, basta alguma experiência e tranqüilidade para se utilizar da situação e voltar rapidamente a fase dos sonhos. Vou relatar minha primeira experiência:
“Eu estava deitado na cama, sentindo meu corpo totalmente imobilizado e ao mesmo tempo conseguindo visualizar o que estava em volta… minhas cobertas, o armário, as cortinas, mas eu continuava ali, preso no meu corpo! De repente as cobertas começaram a se mexer sozinhas!… Era uma coisa assombrosa ver aquilo. Cada vez mais alto, as cobertas começaram a pulular, como se um fantasma estivesse ali me aterrorizando. Minha desesperada conclusão foi: paralisia do sono e alucinação. Fui inundado com uma sensação incrível de poder e larguei uma terrível gargalhada histérica(na alucinação pois ainda estava paralisado) que fez as cobertas despencarem, para mergulhar nos sonhos novamente.”
Há maneiras de se evitar ou interromper os processos de paralisia do sono
Em meio a paralisia, quando queremos experimentar sonhos lúcidos, devemos usar a imaginação, de modo a provocar interações com nossa criação mental, sem perder a consciência de que somos os criadores de tudo aquilo.
Como interromper um episódio:
Caso queira interromper o processo da paralisia, deve-se relaxar, respirar calmamente e se concentrar em pequenos movimentos dos olhos e da ponta dos dedos.
Recomenda-se também mudança de posição na cama, caso não queira repetir mais episódios.
Como evitar:
Procure evitar dormir de barriga para cima.
Dormir o suficiente, evitando privação de sono.
Fazer exercícios regularmente e não muito próximos da hora de dormir.
Alimentar-se e dormir em horários regulares, numa rotina.
Procure reduzir o nível de stress, caso esteja com muitos problemas.
Pode-se encontrar facilmente relatos de pessoas que são acometidas por episódios de paralisias do sono, especiamente em fóruns e comunidades relacionadas. Percebe-se não se tratar de algo incomum. Pessoalmente, tive 2 casos mais fortes de paralisia. Nos dois consegui fazer experiências com sonhos lúcidos.
Não se deve confundir com o distúrbio da Narcolepsia, no qual a pessoa fica submetida a episódios intensos de sono irresistível ou ainda com a Cataplexia:
Outro fato interessante são as possíveis ocorrências de alucinações .Tratarei delas em outro texto.
Fontes: