Tag

Técnicas de Controle

Browsing
     Assim como diversos relatos de sonhadores lúcidos, o começo do meu interesse por sonhos também aconteceu em função de fortes pesadelos durante minha infância. Reparem como até Beverly D’Urso, uma das pessoas com maior habilidade pra manter a consciência nos sonhos, também teve seu interesse inicial por sonhos, despertado por seus pesadelos!
    No meu caso, também eram sonhos aterradores, como por exemplo familiares me perseguindo com um machado, meus pais morrendo e coisas do gênero.
     Um divisor de águas para mim e que me fez passar a enfrentar os pesadelos, foi a leitura de um texto sobre a maneira como os senóis, habitantes selvagens da Malásia, encaravam o mundo dos sonhos.
Eu literalmente acabei virando o Hulk ao enfrentar meu primeiro pesadelo!
 
Teve um trecho que li nesse livro(eu era um pivete, lá pelos anos 80) que nunca mais esqueci:
“Os senóis acreditavam que toda pessoa devia tentar controlar seu próprio universo espiritual sonhando, exigindo e recebendo a cooperação de todas as personagens e forças nele existentes. Essas personagens e forças são reais. Quando se mostram ameaçadoras, o sonhador deve combatê-las, chamando pelo socorro de imagens oníricas de amigos se necessário(personagens oníricas são perigosas apenas enquanto temidas). “
       Agora o trecho especial que me marcou: ” Se o sonhador vence a batalha, o espírito inimigo se torna seu aliado ou servo que poderá lhe ajudar em sonhos futuros e durante a vigília.
        Quando li tudo isso, eu já era um ávido leitor de quadrinhos Marvel/DC. E outra orientação fabulosa desse livro eram as orientações de “incubação de temas nos sonhos” de ninguém mais, ninguém menos, do que minha psicóloga predileta e escritora: Gayle Delaney!… o_O Bom isso só vim a saber por agora, depois que passei a reler o livro.          
        Lembro que na época, após ler sobre ser possível a gente influenciar o tema dos sonhos, passei a sonhar com muita frequencia com personagens que se tornavam super-heróis e eram criados ali mesmo durante meus sonhos. Depois ao acordar, os transportava para meu universo de historinhas(e o de um velho amigo), com meus bonecos humanóides, andróides e alienígenas.

           Meu primeiro pesadelo enfrentado:
           “Um assaltante estava me perseguindo na nossa casa e eu procurava de todo jeito fugir dele, mas não conseguia despistá-lo. Até que cheguei num sótão da casa e não tinha mais para onde fugir.
            Quando o criminoso se aproximou eu lembrei que poderia enfrentar ele, pois afinal tudo aquilo era um sonho!… E então me transformei no Hulk! Virei o gigante esmeralda rapidamente e dei um  murro monumental que o fez sair voando pela janela!!”
Livro que me inspirou na infância ao relatar o exemplo das tribos senóis que ensinavam os filhos a enfrentar seus pesadelos, transformando seus inimigos em futuros aliados.
        Obviamente o foco do livro vai para o lado esotérico. O próprio título de Seleção Esotérica já deixa claro. Porém há de fato informações bem valiosas, como por exemplo pesquisas na área do sono e dos sonhos.
       
“A reputação de equilíbrio psicológico atribuída aos senóis vem do seu trabalho com os sonhos, cujo significado os orienta nas decisões relativas à vida tribal. (…) Se uma criança senói sonha que está sendo atacada, a família a encoraja a voltar ao sonho e enfrentar o agressor. (…) Eles acreditam que ´lutando até a morte´ num sonho, libera-se uma energia positiva da parte da consciência que formou aquelas imagens.”

Soozi Holbeche em:
“Como os sonhos podem nos ajudar”, Ed Cultrix

As portas indubitavelmente merecem uma atenção especial. Há uma porta que tenho em casa que é um bocado dura e chega a fazer um pequeno estrondo (se é que existe um estrondo pequeno) ao abrir. 
Algumas vezes brinco, num jogo de imaginação rápido, no qual eu imagino estar dentro de um sonho. O esquema é o seguinte: abro a porta, estendo o braço e acendo a luz lá dentro. Fecho a porta e apago todas as luzes de fora. Dou uns passos para trás na escuridão e me volto novamente para ela, mesmo sem visualizar ela direito e me concentro na sensação do TATO com a maçaneta. E imagino que ao abri-la, o cenário vai estar bem iluminado! Imagino também o ambiente que irei encontrar, nesse caso, o ambiente que está ali que irei ver na realidade, fechando exatamente com o que imaginei.



As portas podem servir para prolongar os sonhos, alterar cenários ou criar personagens.

O que eu quero destacar na verdade, é sobre a maneira surpreendente como as portas estão funcionando cada vez melhor, de modo mais eficiente para mim. Gostaria muito de saber se mais algum sonhador lúcido que esteja experimentando essa idéia, também está conseguindo resultados tão bons. Ela não é novidade para mim, mas fazendo uma análise sobre meus melhores sonhos lúcidos, pude verificar a forte presença delas. Agora resolvi focar meus experimentos com essas portas. São várias vantagens utilizando apenas uma ferramenta!

Os efeitos que tenho conseguido, são os seguintes:

.
– tornar o sonho mais vívido, intenso ou brilhante..
.
manipular ou controlar o cenário de acordo com os meus desejos.
.
prolongar a duração do sonho lúcido.

.
     Apesar de parecer pretensioso, sou capaz de apostar que pode se tornar uma das técnicas de controle dos sonhos lúcidos mais eficientes.

Talvez exista um elo muito forte entre o que as portas representam subjetivamente e os nossos desejos. Pelo menos para mim, tenho notado que isso parece acontecer.
       Digo isso porque a técnica do rodopio do Stephen LaBerge não tem surtido efeito para mim. Normalmente eu fico girando em camera lenta! kkkkkkkk  apesar disso, o rodopio deve ser tentado, uma vez que é uma técnica tão bem divulgada por LaBerge e boa parte dos sonhadores lúcidos.
      Esfregar as mãos por outro lado na esmagadora maioria das vezes ajudou por pouco tempo. Talvez, como muitas outras técnicas particulares os efeitos positivos acabem acontecendo mais por causa das características subjetivas que a idéia das portas me trazem… mas acho q é interessante difundir o que ocorre:
https://www.sonhoslucidos.com/2011/03/supersonho-lucido-ii-controlando.html

Experimente várias técnicas: esfregar as mãos, rodopiar, abrir portas… uma delas será mais compatível para você.
                Como já comentei em um post anterior, eu costumo sonhar frequentemente com casas. Invariavelmente sonhar com casas, vai possibilitar o aparecimento de portas. E uma vez com as portas na minha frente, essas experimentações não poderiam ser evitadas. Parece-me que houve uma percepção mais intensa no grau de controle que posso aplicar nos meus sonhos lúcidos. Aguardo as experimentações dos companheiros e companheiras onironautas para trocarmos mais idéias.

Minha técnica favorita. Criei ela naturalmente. Até hoje não sei de onde tirei a idéia… talvez tenha começado a utilizar ela pelo fato de sonhar muito com casas. Com uma frequencia considerável,  meus sonhos estavam acontecendo(e ainda ocorrem um bocado) na minha casa, dos meus pais, em casas que já morei etc.. e uma vez consciente, olhando para elas, sabia que poderia desejar algo que estivesse além dela! Meu segundo sonho lúcido já continha uma porta(que transpassei sem abrir).

O uso de portas nos sonhos lúcidos pode trazer resultados surpreendentes. 

.
Vantagem: sonho é muito o que desejamos, emoções que estamos sentindo, reprimindo e abrir uma porta é sair de um ambiente para entrar em outro. O ambiente dos nossos desejos! O símbolo é perfeito.
.
Desvantagem: diferente de fazer um simples esfregar de mãos ou um rodopio, há necessidade do sonhador lúcido criar a porta no sonho. Caso seja a situação de um sonho se diluindo, um esforço desse pode ser o golpe final pra acordar.
.
Contramedida: não há necessidade de visualizar a porta, quando precisar dela para um sonho mais nítido ou vívido. Algumas vezes quando o sonho estava mergulhando no breu ou quando surgiu uma casa sem portas, eu apontei meu braço para trás, sem olhar, fiquei tateando o ar até encontrar a maçaneta.
.
Tem sido a técnica que mais utilizo. Ela é de uma força e grau de eficiência espetacular pra mim.

Outra técnica que ajuda no controle da situação do sonho ou pelo menos tornar tudo mais nítido e evitar o colapso do sonho é:
.
Esfregar as mãos. Ao que parece a percepção das mãos se esfregando, provoca algum estímulo mental que amplifica simultaneamente  a percepção da estrutura mental do sonho.
Vantagem: mais simples que isso…
.
Desvantagem: o efeito pra mim pelo menos, tem sido muito curto.
.
Contramedida: e dá-lhe esfregar mais as mãos! Ou partir pra outra técnica se notar que a casa vai cair mesmo.
.
Eficiência comprovada com sonhadores lúcidos em laboratórios do sono:
“Essa técnica pretende fazer o cérebro do sonhador reproduzir a sensação de esfregar as mãos, evitando a sensação de se sentir na cama e perdendo a consciência no sonho. LaBerge testou suas hipóteses em 34 voluntários, para que eles fizessem a técnica do giro, esfregar as mãos ou não fazer coisa alguma. Os resultados mostraram que 90% dos sonhadores lúcidos, prolongaram seus sonhos esfregando as mãos e 96% prolongaram pelo giro. Somente 33 dos sonhadores lúcidos prolongaram sem fazer ação alguma.” *
*Fonte: Wikipédia

O primeiro grande desafio após ficar consciente dentro dos sonhos é conseguir se manter no sonho. Sonhadores lúcidos com vasta experiência como Stephen LaBerge e Berverly D’Urso sempre dão orientações bem interessantes sobre o assunto.

A mais conhecida é a técnica de LaBerge, de

Girar o corpo no próprio eixo. Tal ação é ideal para as situações em que o cenário do sonho esteja desaparecendo. O giro promove mudança para um novo ambiente, novamente nítido e estável.

Vantagem: trata-se talvez da técnica mais consagrada e de efeito, sempre encontrada no meio dos sonhadores lúcidos de laboratório do sono.

Desvantagem: é muito freqüente acontecer um falso despertar. O sonhador após fazer o giro, pode aparecer de volta na própria cama e acreditar que acordou(falso despertar).

A contramedida para isso é dada pelo próprio LaBerge que recomenda relembrara repetidamente ao fazer o processo que vai conseguir continuar sonhando lucidamente. Também é bom estar praticando na vigília pelo menos um dos testes de realidade(olhar para as mãos, apertar interruptores de luz, olhar relógios, espelhos etc..).

Nas palavras do renomado cientista:

“Para que o método funcione é importante ter um sentido vívido de movimento. Normalmente esse processo gera uma nova cena de sonho, que em geral representa o quarto onde estou dormindo. Relembrando repetidamente a mim mesmo que estou sonhando durante essa transição, consigo continuar a sonhar lucidamente na nova cena. Sem esse esforço especial de atenção, geralmente confundo o novo sonho com um despertar real; e isso apesar das frequentes manifestações de absurdo contidas no sonho!”  *

Não se sabe ao certo como o sonho se restabelece. Há hipótese que seja alguma função mental nossa relacionada a percepção espacial/parte fisiológica, com a reestruturação do sonho.

* Fonte: 

LABERGE, Stephen. Sonhos Lúcidos. 1985
Ed. Siciliano Livros, Jornais e Revistas Ltda. 1990(esgotada)