Tag

Fase REM do sono

Browsing
  Existem algumas teorias e hipóteses bem fundamentadas sobre as funções do estado mental dos sonhos. Afinal, por que sonhamos???
   Sabe-se que na cadeia evolutiva, até os répteis, o estado REM do sono não acontecia. Estado REM(movimento rápido dos olhos) é a fase do sono que concentra os sonhos mais intensos e vívidos.  É normalmente nessa fase que nós podemos ficar conscientes que estamos sonhando e ainda assim não acordar.
Durantes as fases REM que ocorrem de 4 a 6x por noite sonhamos mais intensamente e a ciência ainda desbrava arduamente esse território, procurando entender as causas e objetivos do evento do estado mental dos sonhos.
   Experiências laboratoriais foram capazes de revelar que suas cobaias “ensaiam” certas atividades quando estão sonhando. Ratos por exemplo, ativam a região do hipocampo quando estão sendo desafiados a enfrentar um labirinto e essa mesma região é reativada quando estão na fase REM do sono. Assim, uma idéia é a de simulação e preparação para enfrentar a realidade.
   Outras experiências com voluntários humanos, apontam para que talvez os sonhos funcionem para o desenvolvimento de soluções criativas. São difundidos os exemplos de Kekule com sua descoberta da cadeia de benzeno num incrível sonho. Mendelev extraindo de seu estado mental do sonho, uma estruturação fabulosa quase pronta da tabela periódica… Elias Howe com sua maquina de fiar e os exemplos seguem!…
Mendelev conseguiu extrair de seu sonho uma fabulosa e quase pronta configuração da tabela periódica.
   Numa experiência com os participantes precisando resolver um problema, experimento esse efetuado por Ulrich Wagner, Jan Born e colaboradores da Universidade de Lubeck na Alemanha, foi efetuado uma tarefa psicológica conhecida como “teste de redução numérica”. O objetivo desse tipo de teste é resolver rapidamente uma curta sequencia de números.
   As cobaias humanas foram apresentadas duas vezes à tarefa. Pela noite e pela manhã. 
   Aqueles que se mantiveram despertos durante a noite conseguiram uma pequena melhora na velocidade da tarefa, mas 60% dos voluntários que puderam dormir passaram a resolver o problema em um tempo cinco(5x) menor!
  Conclusões: aqueles que puderam dormir compreenderam a regra subliminar. Ao demonstrar que o sono facilita a melhora na velocidade do problema, os pesquisadores associaram o sono a reestruturação de representações mentais, fundamentais para obtenção de novos resultados, para uma tarefa cognitiva.
    Evidentemente são alguns exemplos de experimentações acerca de algumas das muito prováveis funções dos sonhos. Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis efetuaram experimentações acerca de um papel do sono REM na função de causa de migração de memórias para fora do hipocampo, fortalecendo a função primordial do sono REM no papel de estocagem e propagação de memórias.
Pintura, Química, Literatura, Música, Invenções… a lista é grande de áreas que se beneficiaram da produção de idéias no estado mental dos sonhos.
     Um trecho fascinante que não posso me furtar de impostar aqui:
” Ora se a função primordial do sono REM é a estocagem e propagação de memórias através da ativação gênica, e se essa ativação ocorre rapidamente após a entrada no sono REM, é fácil compreender que diferenças na quantidade sono REM entre espécies devem ser menos influenciadas por fatores cognitivos que por outros fatores ecológicos e fisiológicos. Por outro lado, considerando que os mamíferos apresentam um padrão de sono bastante distinto das aves, com episódios de sono REM muito mais longos e bem menos numerosos, seria natural supor a existência de alguma outra função do sono REM, evoluída recentemente e relacionada com a duração dessa fase. Quem função seria essa?
   Uma possível resposta talvez esteja na relação do sonho com a criação de novas idéias”
Fonte:
Revista Mente & Cérebro. Dos artigos:
“Propagação, Criação e Simulação de Memórias” de Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis
“O Fascínio pelos Sonhos” de Moacyr Scliar.

www.vivermentecerebro.com.br

     
       Sabe-se que os sonhos lúcidos costumam acontecer nas fases REM do sono. E que esses períodos, em que mexemos nossos olhos ávidamente de um lado para outro, vão se prolongando na medida em que o sono vai progredindo. Quanto mais completo o sono, atingindo a 7a e 8a hora, muito maiores serão as fases REM, preenchidas com intensos sonhos vívidos.

É possível passar direto do estado acordado para os sonhos de maneira consciente.
        Stephen LaBerge, relata a experiência que fez com uma sonhadora, Laurie C., nos seus laboratórios de sono, em que a mesma apresentava habilidade para iniciar seu sono se mantendo consciente. O método que se mostrou eficiente para Laurie foi dormir fazendo a seguinte contagem: 1, estou sonhando, 2 estou sonhando, 3 estou sonhando… e assim sucessivamente até se flagrar consciente no sonho!…

        O relato está presente no livro de Stephen LaBerge, Sonhos Lúcidos e eis o interessante relato de Laurie:

         “Estava num supermercado, indo por um dos corredores; só que estava de pé num carrinho de compras que corria tanto que até zunia. Quando passei pelas garrafas de Coca e Pepsi, percebi que estava dormindo. Lembrei-me de olhar para as mãos mas parece que elas não queriam chegar ao nível dos olhos”

        

Impossibilidade de visualizar as próprias mãos podem significar não estar numa fase REM do sono.
           Essa dificuldade de Laurie em conseguir enxergar as próprias mãos, é um forte indício da comprovação da hipótese de  LaBerge de que a manutenção da consciência no estágio inicial do sono, implicaria numa estrutura de sonho inferior ao dos sonhos pertencentes aos períodos REM. “Nos sonhos lúcidos do período REM quem está sonhando normalmente tem um controle volitivo do corpo de sonho.” – afirma LaBerge. Ainda assim o pesquisador, faz a ressalva que é necessário pesquisar mais para se chegar a uma conclusão.

         Stephen LaBerge portanto nem chega a denominar isso como um Método. Trata-se de uma interessante abordagem feita por ele para pesquisar os sonhos iniciais do sono e a manutenção da consciência, ou melhor, a passagem mais direta da vigília ou estado desperto, para a consciência nos sonhos.
         O pesquisador defende ainda ser mais adequado experimentar isso durante as sonecas da tarde, período em que ele experimentou os melhores resultados:

        “Mas a hora ótima para entrar nos sonhos lúcidos REM diretamente do estado acordado pode ser à tarde. Baseio esta sugestão no fato de meu registro pessoal indicar que a proporção de sonhos lúcidos iniciados no estado acordado é seis vezes maior nas minhas sonecas da tarde do que no sono noturno.”

         De minha parte, relato a minha experimentação com o Método da Contagem, num sonho que ocorreu antes do término da minha primeira hora de sono. De início achei que tinha sonhado fora da fase REM, pois analisando os gráficos das fases REM, notei que sempre se inícia nos minutos finais dos primeiros 90 minutos de sono. No meu caso eu acordei e haviam passado apenas 52 minutos.
         Apesar da minha conclusão inicial ter sido que eu havia sonhado fora da fase REM, agora coloco isso seriamente em dúvida, pois o nível de detalhamento foi muito superior ao sonho de Laurie C. e principalmente, a duração foi bem mais que alguns segundos:
         

     “Uma criatura sombria estava grudada em mim. Não me largava e eu tentava não me assustar. A contagem do LaBerge havia dado certo! E sabia que me livraria desse monstrengo. Voava e ela permanecia grudada em mim. Engalfinhada, mas após algumas chacoalhadas e muito autocontrole, me livrei!
Imagem aproximada do que me atormentou no início do sonho lúcido rsrsrs

     
No chão me deparei com uma praça. Muitas árvores ao centro dela. Eu estava próximo de uma casa e flutuei até uma calçada ali no centro pensando numa resposta de um experimento(que é secreto hehehehehe).

      A  resposta veio e assim que a obtive comecei a cantar ela para não esquecer, pois era muito longa.

      Enquanto cantarolava a minha resposta do experimento, lembrei-me de um desafio proposto num tópico “Desafio Lúcido” aqui da comunidade, estipulado na nossa comunidade:

     PRECISO DE UM ESPELHO… e lá fui eu! Encontrei uma casa com uma porta e um vidro bem espelhado. Eis que meu reflexo era de uma moça!… uma moça morena, de pele branquela e bonita! Fiquei pensando se não seria meu lado feminino hehehehehe e então minha imagem apareceu logo atrás.
     Continuei cantarolando a musiquinha da resposta e lembro que cantarolava a maior parte e guardava numa espécie de segunda memória visual o resto. 0_o
      Flutuei até a praça, atravessando a rua e chegou um picolezeiro. Peguei uma caixa de isopor dele e fui batucando a musiquinha… com a minha resposta 😉
      Havia uma lunimonisade muito forte se aproximando e flutuei até uma sacada, para encontrar uma porta e ir para… tentei dar uma pensanda no que desejava encontrar do outro lado, mas cantarolando minha resposta e visualizando uma parte final, peguei na maçaneta e abri para o meu despertar.

           Atenção:   Postagem editada.




Fonte:

LABERGE, Stephen. Sonhos Lúcidos. 1985
Ed. Siciliano Livros, Jornais e Revistas Ltda. 1990(esgotada)


       Com esse texto pretendo difundir um pouco sobre o mecanismo de funcionamento em que é baseado alguns métodos de indução de sonhos lúcidos.

Compreender o funcionamento das fases do sono pode ser fundamental para aplicar os métodos de indução de sonhos lúcidos.

        Pelas experiências em laboratório do sono, percebeu-se que acordando os voluntários durante a fase REM, esses conseguiam recordar seus sonhos, na esmagadora maioria das vezes. Boa parte dos métodos conhecidos para induzir sonhos lúcidos são baseados fundamentalmente na maneira como funciona os ciclos do sono. Em especial a fase REM, a qual já comentei um pouco anteriormente:
https://www.sonhoslucidos.com/search/label/Fase%20REM%20do%20sono

         Os ciclos variam um pouco de pessoa para pessoa. Variam de 4 a 6 ciclos por noite de sono. E, na medida em que transcorre o sono, a fase REM vai crescendo. Nos primeiros ciclos a fase REM possui apenas alguns minutos e nos finais pode chegar até quase 1 hora inteira(de sonhos intensos).

          Fica mais fácil entender a importância de uma boa noite de sono. Pelo menos um sono que permita ir além da 6ª hora de sono(o que já permite algo em torno de 40 min).

Nas faixas em amarelo, a progressão da duração das fases REM numa típica boa noite de sono.

         

  Transcorridas 6 horas de sono, entramos no “recheio” do período dos sonhos… na parte mais suculenta digamos assim. Reparem que métodos como o MILD, WBTB e CAT(esse método ainda não apresentei no blog) vão trabalhar em cima da interrupção do sono por volta desse horário.

           Quando interrompemos nosso sono após a 6a hora, o resultado é que ao voltarmos a dormir, estaremos diante dos mais longos períodos de sonhos intensos(fases REM finais). Some-se a isso, a aplicação de alguma incubação de idéia ou mensagem para o subconsciente e estaremos preparando nossa consciência para ficar mais “bombada” e assim ganhar força suficiente para presenciar o universo mental dos sonhos.

           Reparem como nos métodos frequentemente é sugerida a leitura de textos sobre sonhos lúcidos nesse pequeno intervalo.

A leitura sobre o tema dos sonhos lúcidos, quando for interrompido o sono pela 6a hora é bem interessante para provocar a indução da consciência nos sonhos.

          

           Os sonhos que ocorrem na fase REM são mais intensos, vívidos e emotivos. Como foi comentado, partes importantes do nosso cérebro, responsáveis por tomada de decisão e do pensamento racional tem suas atividades reduzidas e não é a toa que coisas absurdas aconteçam e não conseguimos ficar conscientes.

           Porém, com o corpo e a mente suficientemente descansados, após 6h de sono, alguma carga de mensagens para o nosso subconsciente(seja por meio de técnicas, reality checks, vídeos etc..) e instigando esse tema para os próximos sonhos… começa a se formar um terreno ideal para que a nossa consciência consiga flagrar o momento dos sonhos!…

           A ressalva que deve ser feita é de que não se deve ficar comprometendo exageradamente noites de sono, através de interrupções para buscar sonhos lúcidos. Lembre-se: nosso cérebro torna menos ativo naturalmente os mecanismos de tomada de decisão e raciocínio. Assim, quanto mais você fica insistindo e esgotando sua mente, interrompendo seus sonhos, com menos chances de ficar lúcido você vai ficar. É necessário usar os métodos conforme as indicações.

Está bem difundido o conhecimento de que todos que possuem razoável saúde, sem grandes distúrbios hormonais e/ou psíquicos, sonham bastante durante uma boa noite de sono. Esses sonhos terão chances maiores de serem lembrados, caso o sonhador acorde durante um período conhecido como fase REM. Isso não significa de modo algum que os sonhos aconteçam apenas nessa fase. Trata-se no caso, da fase com sonhos mais intensos e pelas experimentações, com maiores chances de serem recordados.

Há diversos gráficos de laboratórios do sono, indicando as diversas fases do sono e a fase REM.
Em amarelo, destaca-se o aumento progressivo da fase REM no transcorrer do sono.
Durante essa boa noite em que estamos dormindo(melhor ainda se estiver num clima fresco, com uma garoa lá fora), nosso cérebro atravessa um ciclo constituído de cinco fases que se repetem por todo período do sono. Pode-se dividir inicialmente como o período de sono REM e não-REM(NREM).
Cada fase vai se caracterizar pela ocorrência de certas liberações hormonais e atividades fisiológicas específicas, mas a que mais interessa ao tema do nosso blog é a denominada fase REM.
Chama-se REM, devido ao fato que em determinada parte do nosso sono, nossos olhos movimentam-se rapidamente, de um lado para outro. Por isso o nome originário do inglês “REM”: Rapid Eye Moviment ou traduzido e convertido na melhor forma para o português Movimento Rápido dos Olhos”.
A fase REM do sono que é a que sonhamos mais intensamente representa cerca de 25% de uma noite de sono. Isso implica que podemos ter até 120 min de sonhos intensos numa noitada de 8 h de sono.

Pelas experiências efetuadas na área do sono, percebeu-se que nosso cérebro ao adentrar na fase REM, aciona um mecanismo denominado Atonia da fase REM, resultando na conhecida rigidez do sono, na qual, estamos protegidos dos movimentos que realizamos enquanto sonhamos.
Na fase REM são ativadas certas estruturas límbicas, como o cingulado anterior e o córtex orbifrontal e muito importante destacar, são reduzidas as atividades em áreas típicas do pensamento racional e de tomadas de decisão, conhecidas como córtex pré-frontal e dorso-lateral.
Aos experientes sonhadores que estão lendo esse texto, acredito que agora fique mais fácil compreender por quê pode acontecer com tanta freqüência de coisas absurdas e psicodélicas não acionarem a consciência nos sonhos. E ressalta ainda a importância dos reality checks, métodos, técnicas e dicas para permitir que a lucidez seja atingida.
Numa próxima oportunidade, farei um texto abordando a periodização das fases REM, efeito rebote de REM(ou richocheteio de REM) e qual a causa de algumas vezes parecer que mal fechamos os olhos e já estamos sonhando intensamente.
Fontes: