Tag

Experimentos em Sonhos Lúcidos:fronteiras da consciencia.

Browsing

A ideia que estou propondo é de fazer uma incursão, num sonho lúcido, mantendo a consciência por tempo suficiente, executar um tipo de tarefa que possa desenvolver da melhor maneira essas alterações subjetivas que são tão desejadas.

Podemos realizar transformações radicais na nossa maneira de ser? Alterar perspectivas individuais ou modos de pensar condicionados? Potencializar virtudes ou aprimorar habilidades… Quem sabe vícios dos quais queremos nos livrar, mas que sempre sucumbimos, diante da magnitude da força que nos impele as ações e aos fracassos quixotescos?!

Mr. Hyde e Dr. Jekyll na imagem… uma bela arte sobre a obra.

Talvez uma possibilidade fascinante, seja utilizarmos nosso cérebro de uma maneira especial: visitar nosso mundo dos sonhos, atingindo a maior proximidade possível com nosso inconsciente e trabalhar interações, com o que de fato desejamos ou queremos no estado desperto.

Sei que isso está parecendo bem fantástico, ao estilo do filme Inception – A Origem… mas uma vez que é possível efetuar a autossugestão quando acordados, qual não poderia ser a amplitude dessa ação, ao fazer isso durante o estado mental dos sonhos?

A hipótese que estou propondo é de ao fazer uma incursão, num sonho lúcido, mantendo a consciência por tempo suficiente, executar um tipo de tarefa que possa desenvolver da melhor maneira essas alterações que são tão desejadas.

Vou utilizar meu caso como exemplo, haja vista que consegui um sonho lúcido e busquei cumprir um desejo. A maneira como fiz isso foi extremamente lúdica, na forma de brincadeira com a comuna dos Sonhadores Lúcidos do Fórum e do Face.

O experimento foi proposto na forma do que chamamos de “Desafios Lúcidos”:

  “Desafio Lúcido da semana:
– Encontrar uma “Lâmpada Mágica”, esfregar e fazer 3 desejos ao gênio que aparecer
Desafio válido até 23/03/2014.
Bueno… pode sair um geniozão estilo Aladdin!… Uma Jeaniee é um Gênio rsrsrsrs quem sabe um geniozão malvado”…

Algo que me incomoda um bocado – tenho certeza que para muita gente – é a velocidade absurda como o tempo passa. O ritmo da vida parece cada vez mais frenético e isso de fato influenciou o que desejei.  Agora o experimento:

“Eu estava deitado dentro de uma material que era pra ser o que formava a matéria e o tempo. . . saí me levantado dali e corri saltando para outra superfície. Então corri e dei mais um grande salto. 


Agora eu sabia estar sonhando e cheguei até a olhar de relance minha mão que não contei os dedos, mas pareciam ter seis dedos bem parecidos. Dei uns passos rápidos pela superfície. Eu estava em grandes superficies planas, a uma grande altura nos céus. Dei mais um salto e fui parar em outra onde alegremente ergui uma cadeira com uma mão, sem fazer esforço algum. Era muito leve. .. corri dei outro salto e fui parar num lugar com uma espécie de tenda e alguns objetos que lembravam uma cantina.


Cheguei ali próximo e passei minhas mãos pelos objetos sobre uma mesa do poderia ser o bar. Não olhava diretamente, apenas desejava um objeto. Eu estava atrás da Lâmpada de Alladim para fazer meus desejos. Encontrei de primeira. Puxei a Lâmpada e notei que era escura e dourada… 









…esfreguei ela rapidamente e saiu uma fumaça arenosa, com aquele som típico de vento soprando…. aquele pó ou areia fumacenta subiu ao céu e então eu desejei:


“Quero ser mais sábio e escolher melhor o que fazer com meu tempo.” Isso eu falei em alto e bom tom, em tom desejoso – enquanto falava percebi como minha voz estava tão nítida e como não era comum ouvir vozes nos sonhos. Meu desejo havia sido feito de uma maneira quase cantada… como que declamando uma poesia.


Embriagado pelo evento, tentei lembrar dos outros pedidos mas não veio a recordação e eu acordei.”

    É curioso notar como cada pessoa parece ter uma maneira peculiar de sonhar. Alguns sonhadores lúcidos adentram um psicodelismo desenfreado. Outros podem mergulhar mais vezes em sonhos realistas e com uma simulação impressionante do estado desperto.

Temas ou cenários mais fabulosos podem ser presença mais frequente nos sonhos de alguns…  na imagem o imperdível  Hobbit 2 que estréia 13/12/2013. 🙂

Certos sonhadores lúcidos relatam sonhos repletos de sensações táteis e auditivas… outros um turbilhão visual impressionista… sentidos como o olfato e paladar também podem ser experimentados e recomendo sempre provar o cheiro de uma bela flor ou uma suculenta melancia.

O que dizer da experiência do sonhador lúcido, guitarrista o Felipe(Free-Lipe), capaz de experimentar o que seria para ele o fabuloso “Melhor Mundo Possível”?! Sonho no qual experimentou uma erupção de cores fulgurantes e monumentais que preencheu toda a estrutura do sonho onde estava?!

“Olhei pro céu pra contempla-lo, estava azul e verde *-* coisa linda e indescrítivel!
A criaturinha desapareceu e tive a ideia de tentar criar o melhor cenário possível…apareceu uma grande caixa de ferro em minha frente.Havia logotipos e textos que não lembro nela…abri a caixa e haviam tubos de tinta 😮 uhauhahuuha


Comecei a espalhar tinta pra todos os lados com dois tubos q jogavam tinta azul e cinza metálico (minhas cores favoritas e as cores da minha primeira guitarra). As cores tomaram conta do céu, de tudo ao redor, e até de duas pessoas q estavam ali olhando, me diverti muito…mas acabei acordando.
Essa foi uma das experiências mais proveitosas que tive. 🙂 “

Em momentos como esse gosto de instigar reflexões como… “até onde podemos ir no que se refere a novos experimentos, envolvendo a criatividade nos sonhos?”

Cenas do cotidiano podem ser mais comuns para outros…

Pode-se perceber a facilidade de indução de sonhos lúcidos que boa parte do pessoal da área artística possui. O pessoal
que desenha, pinta, da área musical, poética… e é impressionante como cada um tem essa “Matrix Mental” funcionando da sua própria maneira.

    Claro que que há inúmeras outras variantes, mas é fascinante
perceber como são possíveis essas criações. Todas oriundas das
informações/estímulos da vigília, mas alimentadas fortemente pelo que
somos/fazemos/sentimos.
     Para aqueles com uma estrutura de sonhos mais
fabulosa/imaginativa, seria interessante fazer experimentos na área criativa.
Caso por exemplo se queira criar alguma arte nova. Pode-se desejar abrir uma porta
e encontrar ali dentro a mais nova criação. Já citei aqui no blog inúmeros exemplos de grandes artistas que encontraram inspirações em seus sonhos. Agora, imaginem se esses mesmos artistas pudessem utilizar deliberadamente seus sonhos como estúdio de criação!…

     Para o pessoal com tendência a ter sonhos mais realistas,
sugiro experimentos como revisitar ou recuperar memórias. Tentar voltar a
assistir alguma aula para reforçar o aprendizado ou quem sabe exercitar algum
tipo de modalidade esportiva/atlética como correr, musculação, natação,
ciclismo etc.

Pesquisadores alemães, pela universidade de Frankfurt e Bern, como Daniel Erlarcher e Michael Schredl, já conseguiram resultados surpreendentes relacionados ao aumento de eficiência em atividades de arremesso em alvo…

    Ficar consciente nos sonhos pode ser uma experiência bem embriagante. É como presenciar pela primeira vez todo um mundo que até então não era percebido. No sonho comum, somos arrastados pela narrativa natural do sonho e só vamos tomar conhecimento do que aconteceu ao despertarmos…

A euforia é bem comum nas primeiras vezes que se consegue ficar consciente  no sonho.

     Uma dica bem difundida entre os sonhadores lúcidos é procurar sempre ter algum plano ou experimento a ser realizado quando finalmente o sonho lúcido chegar. O foco pode ser muito difícil de se manter, portanto o exercício de tentar recordar o que havia planejado, no estado desperto, pode ser um empurrão providencial para lograr êxito na manutenção desse fabuloso estado mental.

     Digo estado mental fabuloso porque se trata de todo um universo dentro de nossa mente. Cada informação de toda aquela estrutura, cada personagem, objeto e cenário, sempre será criação nossa. Com a brutal diferença do estado desperto em que a lógica e o mecanicismo da vigília serão esmagados pelo império da criatividade e imaginação. Nosso subconsciente faz um verdadeiro jorro de criação e nada melhor para se adaptar nesse novo ambiente, do que explorar tudo isso, sem ir contra o fluxo a que se movimenta.

É fundamental planejar algo em especial para fazer no sonho lúcido: voar, encontrar alguém, visitar um cenário… isso ajudará a manter um foco, sem se perder ou ser arrastado novamente na narrativa do sonho.

     Meus melhores sonhos lúcidos, aos quais gosto de chamar de “Supersonhos Lúcidos” sempre ocorreram, principalmente em cima de uma estrutura de recordações de planos de experimentos que eu havia feito no estado desperto. 

     Recordar o que havia planejado, somado ao uso da Técnica das Portas, continua sendo um caminho extremamente fértil para o prolongamento das minhas experiências.

Obcecado pelo plano de abrir a “Caixa Mágica”, comentada no post anterior, resolvi levar adiante o plano de ir treinando a abertura desse intrigante artefato, nos meus sonhos lúcidos.

O filme cult de terror, dos meus tempos de vídeo-locadora, Hellraiser também tinha uma “caixinha”, bem mais poderosa do que a minha hehehehe

Após o meu 1o sonho lúcido em que consegui treinar uma abertura com sucesso, fui experimentar abrir novamente a Caixa, agora no estado desperto. Infelizmente a mesma estava um pouco danificada, por uma tentativa anterior frustrada e eis que a maledita quebrou uma lasquinha rsrsrsrs

Colei e deixei para treinar mais algumas vezes nos meus sonhos lúcidos. Essa madrugada tive êxito novamente. E segue o relato da minha rotina e experiências.

Ao que parece o desejo por algo em especial, bem planejado e serenamente querido pode  mesmo ajudar na indução da consciência nos sonhos. Na imagem o filme-show do Homem de Ferro 2.

ROTINA:
Fui dormir 0 23h. despertei 6h, fui ao banheiro rapidamente e voltei a dormir. Sonhei e despertei pelas 7 29h, quando iniciei minhas anotações.

Sonho não-lúcido:
(…)Eu ficara frustrado com a moça que aparecera no sonho. Deitara na minha cama e confessara que só fazia aquilo porque se sentia muito segura comigo. Começamos a nos beijar e curtir. Mas de repente ao beijá-la, tornou-se um senhor e de barba!!. Lembrava até um colega do banco com quem eu nunca conversei, de outra área.  Aquilo era bizarro. Eu lembro até agora da sensação repugnante da barba rsrsrs Afastei-me. O sujeito também e saiu caminhando. Nesse momento refletindo sobre a transformação dela, percebi que estava sonhando.




Pela primeira vez um beijo fez eu ficar consciente num sonho. Na imagem, uma maravilhosa cena de beijo entre a Trinity e o Neo de Matrix.






Consciência estabelecida:
Levantei vôo e durante a ação recordei o que havia planejado fazer. Era mais uma vez o experimento da caixa mágica. Avistei um casebre. Fui em direção dele e pousei. Abri a porta, desejando encontrar a caixinha num canto, atrás de algum objeto. Era de novo uma mesinha, estiquei a mão, por trás do objeto e puxei a minha Caixa Mágica. Ela estava lisa, sem qualquer reentrância ou friso de madeira para manipular. Então toquei-a e manipulando desajeitadamente, abri-a como um ovo para ver o que sairia de dentro. E veio uma linda flor de cor violeta ou púrpura. Era uma cor entre o rosa e vermelho. Saí da casinha e coloquei a flor ali no chão.

Acordei. Havia no meu travesseiro duas flores de cor muito parecidas com a do sonho. E pensei que de alguma forma aquilo havia induzido o aparecimento da flor no sonho. Estava na casa dos meus pais… e o sonho prosseguiu numa conversa com minha mãe que relatava ter excluído…
(…)

      Depois de um enfadonho jejum de sonhos lúcidos, finalmente voltei a conseguir manter minha consciência nos sonhos. Foi no último fim-de-semana e minha idéia foi planejar fazer algo MUITO especial nos sonhos, assim que conseguisse ficar consciente.

       Num passeio por Aracaju, comprei uma caixinha mágica artesanal. A brincadeira que ela é “mágica” é porque parece impossível de abrir. Passei um bom tempinho brincando com ela e acabei dando de presente…

Tentar abrir a Caixa Mágica nos sonhos, foi o experimento ou desafio que deu um empurrão  na indução dos sonhos lúcidos.

       Acabei aprendendo, faz algum tempo sobre a importância de planejar fazer algo em especial nos sonhos. O método do LaBerge, o MILD já preconiza isso. E não é a toa. Quando a gente deseja fazer algum experimento em particular nos sonhos, parece que há toda uma conspiração do subconsciente para que nossa consciência chegue mais facilmente. Vou relatar rapidamente como foi:

       “No meio da sala de uma casa estranha eu percebi estar sonhando. Estava com os braços levantados e olhando para as mãos. Bastante surpreso e contente, pois afinal fazia um tempinho frustrante que não conseguia ficar consciente num sonho. 


       Por alguns instantes tentei lembrar qual experimento eu queria fazer. Lembrei-me da “experiência da caixa mágica.” Queria tentar abrir ela no sonho. Fui em direção a uma mesinha, coloquei a mão atrás de um Porta-retrato e puxei a caixinha detrás dela. Em poucos instantes, raciocinando sobre a necessidade de haver uma trava, a qual impediria ela de abrir na forma de uma caixa de fósforo. E ela abriu.”




        O engraçado é que estou escrevendo esse post e ainda não me reencontrei com a Caixa. Estou realmente acreditando que da próxima vez que me deparar com ela, vou ser capaz de abrí-la. Será apenas motivação ou minha imaginação/criatividade nos sonhos, trabalhou novas técnicas que estão no meu subconsciente? Logo logo vou descobrir e conto sobre o resultado.

    Um estudo pioneiro, conduzido por Daniel Erlacher(Universidade de Heidelberg) e Michael Schredl(Universidade de Bern), trouxe novas fronteiras para serem exploradas na área de estudo dos sonhos lúcidos. A pesquisa aponta a fascinante possibilidade de aprimoramento de exercícios que envolvam habilidades motoras, através dos sonhos lúcidos. Já citei o Sidarta Ribeiro por aqui que em entrevista ao Globo Repórter no ano passado, faz referência a esse estudo.

Os Sonhos Conscientes poderão contribuir para formação de legiões de novos Super Atletas? Imagem  extraída do  “Blog do Rodman”.

   Sonhos noturnos podem ser considerados um tipo de simulação do mundo real em um elevado nível cognitivo. No caso dos sonhos lúcidos, o sonhador é capaz de induzir, manipular ou controlar a narrativa do sonho de acordo com sua vontade e fica livre para tentar fazer o que desejar. No mínimo o sonhador lúcido deixa de ser um mero partícipe carregado pela correnteza da narrativa do sonho comum. Ele sempre estará sabendo que tudo é meramente construção mental própria ou apenas seus sonhos.

   Em um estudo piloto, a possibilidade de praticar uma atividade envolvendo habilidade motora foi estudada. Quarenta participantes foram convidados a participar de um grupo de prática de sonho lúcido, um grupo apenas com a prática no estado desperto  e um grupo de controle.
A atividade envolvendo coordenação motora foi o arremesso de moedas de 10 centavos em um copo e acertar o máximo possível das 20 tentativas. A performance no estado desperto foi medida ao anoitecer e na manhã seguinte. Foi pedido aos 20 voluntários que praticassem a atividade durante seus sonhos lúcidos. Desse grupo, apenas 7 conseguiram realizar o experimento em seus sonhos lúcidos. Esses apresentaram uma considerável melhora no desempenho, aumentando a média de acerto de 3.7 para 5.3; enquanto os 13 voluntários que não conseguiram realizar no sonho lúcido tiveram queda na média de acertos de 3.4 para 2.9.

Mercenário, o vilão personagem da Marvel, com assombrosas habilidades de mira.

    Comparando os grupos, a atividade física demonstrou maior aumento na performance para aqueles que tiveram êxito ao conseguirem realizar o experimento nos sonhos lúcidos. Houve um aumento considerável nas estatísticas se comparado com o grupo que não sonhou ou o grupo de controle.
Trata-se de uma pesquisa inicial, pioneira e vários outros fatores precisam ser considerados, como a motivação e que podem ter interferido na pesquisa. Para esclarecer as variáveis, será importante novos estudos a serem conduzidos nos laboratórios de sono.

Fontes: