Tag

Benefícios dos sonhos lúcidos

Browsing

Os sonhos lúcidos podem nos oferecer benefícios. Os limites disso apenas começaram a ser estudados. Entre os resultados promissores de pesquisas já realizadas e outras possibilidades promissoras, irei tratar no presente texto.

Benefícios dos Sonhos Lúcidos

Desenvolvimento de Habilidades

Em primeiro lugar, os sonhos lúcidos podem servir para melhora de performance em atividades que envolvam habilidades motoras. Foram conduzidas algumas pesquisas com resultados positivos, na Alemanha, boa parte delas por Daniel Erlacher¹. Desde a década de 80 essa tese já vinha sendo defendida pelo pesquisador alemão, Paul Tholey. Esses experimentos evoluíram consideravelmente nas ultimas décadas.

Prazer

Por outro lado, é inegável o caráter lúdico ou do prazer que o sonho lúcido pode proporcionar. Em outras palavras, mesmo para não praticantes de sonhos lúcidos, o prazer fica explícito como sendo uma das primeiras coisas que podem ser oferecidas no sonho. Seja reencontrando uma pessoa querida, realizar atividades sexuais ou desfrutar de cenários e personagens mirabolantes… o limite para isso sempre será a própria imaginação.

Liberdade

Entrementes, a liberdade que pode ser sentida no sonho lúcido, possui uma qualidade sem comparação. Só para ilustrar, quando estamos acordados, vivemos sob um regime de leis e convenções sociais típicas de uma espécie submetida ao convívio social. E de fato, precisamos desse regramento. Porém nos sonhos, especialmente nos sonhos lúcidos, não existirá qualquer tipo de restrição externa. Por conseguinte, o tipo de liberdade que será sentida ou vivenciada não terá comparação alguma. Uma espécie de liberdade absoluta.

Controle de Pesadelos e Autoconhecimento.

Os sonhos lúcidos podem servir para uma introspecção sem paralelo. No momento em que mergulhamos em um sonho, especialmente quando estamos lúcidos, temos a oportunidade de reconhecer elementos que costumam estar escondidos ou invisíveis durante a vigília (estado desperto). De tal sorte que será corriqueiro nos depararmos com personagens e objetos que nos causarão estranheza, alegria, medo, euforia, entre outros sentimentos… invariavelmente certas situações terão causas em nossas próprias razões de ser. Por qual razão essa criatura abominável continua me atormentando nesse ou aquele sonho?! Por que mesmo lúcido, esse tipo de cenário insiste em aparecer??

Em contraste com certos conceitos de sonhos lúcidos que envolvam necessariamente “controle dos sonhos”, defendo a ideia da concepção de sonho lúcido como “consciência no sonho”. Não apenas a consciência, mas a lucidez em elevado grau. Por isso a possibilidade de compreender melhor o que está se passando em nosso interior, afinal durante um sonho lúcido, estamos mais próximos do que nunca, do que realmente está acontecendo em nossas mentes.

Com relação a questão de controle de pesadelos, também defendo a ideia de que o sonho lúcido não deve ser entendido rasamente como controle obsessivo dos sonhos ou mesmo de pesadelos. Os pesadelos podem servir como uma oportunidade para tentar entender o que está se passando conosco.

Criatividade ou Resolução de Problemas

Durante o estado mental dos sonhos, podemos ter acesso a uma maneira diferente de pensar ou lidar com problemas. Existe uma extensa lista de cientistas que obtiveram benefício para seus estudos, por meio dos sonhos, escritores, poetas, músicos, pintores, inventores, entre outros, os quais se utilizaram dos sonhos para ter suas ideias criativas ou chegar a insights poderosos. Por exemplo o caso de Paul McCartney quando acordou com parte da melodia da música Yesterday. É a música mais regravada de todos os tempos! Elias Howe teve a solução para criação de sua máquina de costura de ponto fixo num sonho. Sua invenção causou uma revolução na indústria têxtil. Mary Shelley com a criação de Frankenstein. A cadeia de benzeno de Kekulé, quando sonhou com as cobras… Mendeleiev quando se esforçava para ordenar a tabela periódica e uma infinidade de outros exemplos.

Pesquisas da Mente

Por fim, os sonhos lúcidos estão sendo utilizados para pesquisas multidisciplinares, envolvendo neurocientistas, psicólogos e filósofos da mente. Procurar entender a natureza dos sonhos, sua finalidade, quais regiões do cérebro estão mais ou menos ativadas nesse estado mental… trata-se de um modelo muito precioso que está fornecendo caminhos instigantes para o estudo da mente, dos sonhos e da consciência.

Referencias Bibliográficas:

1 – Schadlich, M. Erlacher, D. (2018). Practicing sports in lucid dreams – characteristics, effects implications. Current Issues in Sport Science, 3:007. doi: 10.15203/CISS_2018.007

Encontrar motivos para ter um sonho lúcido pode gerar um debate curioso. Por qual razão as pessoas se interessam em ter sonhos lúcidos? Provavelmente, boa parte, num primeiro momento o faça por curiosidade. Mas uma vez realizada a experiência, é comum desenvolver um fascínio, como se existisse alguma razão em especial para continuar tendo mais sonhos lúcidos.

Desde os tempos da Comunidade de Sonhos Lúcidos do Orkut, ( o qual ultrapassou a marca de 30.000 membros ), bem como relatos em comentários nesse site e no Grupo de Sonhos Lúcidos do Facebook, observei alguns relatos bem interessantes. Nosso Fórum também traz um considerável número de relatos a respeito. Vou discriminar os motivos frequentemente relatados:

1 – Prazer – realizar desejos ocultos

Trata-se muito provavelmente da principal razão pela qual as pessoas se interessam em ficar conscientes em seus sonhos. As possibilidades de obter os mais variados prazeres (incluindo o sexual), sempre acabam seduzindo, sejam aqueles que nunca experimentaram um sonho lúcido ou quem já provou e deseja algo mais. Os prazeres envolvidos na materialização de algo impossível no mundo real, sempre são razões bastante provocantes para buscar essa experiência. Esse talvez seja o principal motivo para ter sonhos lúcidos.

2 – Liberdade – sem regras, sem culpa

Uma das sensações mais embriagantes no sonho lúcido, sentir-se livre, sem quaisquer travas ou convenções sociais, para usufruir da maneira como bem entender de um mundo que é todo seu. Jogo algum, videogame da mais alta tecnologia, jamais sequer chegou próximo de reproduzir a sensação de liberdade que pode ser vivenciada durante um sonho lúcido.  Não é a toa que voar é uma das primeiras ações que as pessoas acabam realizando em seus primeiros sonhos lúcidos.

Além de voar, sempre é possível experimentar façanhas como explorar novos ambientes, como um mar distante, uma paisagem idílica, memórias antigas podem ser revisitadas, pessoas e personagens podem ser trazidos…

3 – Poder – dono de tudo

Quem já sofreu com pesadelos na infância, com alguma frequência desenvolve habilidades de controle dos sonhos muito cedo. Exercer o controle sobre um sonho, por vezes pode nos deixar eufóricos. Trata-se da descoberta de um nova realidade no qual somos pequenos deuses, mas com poderes absolutos… e isso é como ser o dono da sua própria “Matrix”.

Cena do filme Matrix, quando Neo está renascido e com seu estado de consciência alterado dentro da Matrix.

4 – Curiosidade – o melhor simulador

As fronteiras das pesquisas sobre sonhos lúcidos já avançaram para as áreas da neurociência, filosofia da mente, psicologia, neurofilosofia, entre outras. Existem pesquisas no mínimo instigantes, conduzidas por Daniel Erlarcher (fonte abaixo) e vários outros, nas quais os sonhadores lúcidos alcançaram melhora no desempenho em atividades envolvendo habilidades motoras. Como não ficar instigado pelas possibilidades.

Nos sonhos lúcidos podemos também simular experimentos tecnológicos. Experimentar sabores, ir para outros planetas, dimensões, enfim, ir ao encontro do desconhecido ou mesmo daquilo que não seria possível explorar no cotidiano.

5 – Autoconhecimento – imersão em si mesmo

Nos sonhos lúcidos podemos enxergar o espelho de nós mesmos e do que estamos passando. Assim, nossos medos, nossos desejos, nossas preocupações são expostas diretamente ou em forma de metáforas através do cenário (e dos personagens) que compõe o sonho.

Ao analisar o sonho, podemos conhecer muito de nós mesmos. Trata-se de poderosa ferramenta para análise de pacientes na psicologia, psiquiatria e psicanálise. Como defendia Freud: “o sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”.

Importante destacar que o sonho lúcido é uma porta para experimentar um estado alterado de consciência saudável. Uma oportunidade preciosa de vivenciar experiências sem quaisquer efeitos colaterais. Pelo menos considerando o uso através dos séculos, por monges tibetanos, sem jamais ficar registrado algum tipo de efeito colateral danoso ao praticante.

Na imagem abaixo uma antiga enquete de 31/08/2011, no qual 311 sonhadores lúcidos responderam o que mais lhes atraia nos sonhos lúcidos. Destaque para a “Sensação de Liberdade” com a maioria dos votos:

ENQUETE SL

Dica do dia: especial para quem se interessa pelo tema de significado dos sonhos é o site https://www.segredosdosonho.com.br/

Referências:

  1. http://www.mendeley.com/catalog/practicing-motor-task-lucid-dream-enhances-subsequent-performance-pilot-study-19/
  2. http://sonhoslucidos.forumeiros.com/t436-qual-e-a-melhor-sensacao-para-voce-nos-sonhos
  3. https://sonhoslucidos.com/sonhoslucidos/o-que-mais-lhe-fascina-nos-sonhos/

Referências Bibliográficas.

Dresler, M., et al. (2011) “Dreamed Movement Elicits Activation in the Sensorimotor Cortex.” Current Biology 21: 1–5.

Dresler, M. et al. (2013) “Neural Correlates of Dream Lucidity Obtained from Contrasting Lucid Versus Non-lucid REM Sleep: A Combined EEG/fMRI Study.” Sleep 35: 1017–1020.

Erlacher, D. and Chapin, H. (2010) “Lucid Dreaming: Neural Virtual Reality as a Mechanism for Performance Enhancement.” International Journal of Dream Research 3: 7–10.

Erlacher, D. and Schredl, M. (2008) “Cardiovascular Responses to Dreamed Physical Exercise During REM Lucid Dreaming.” Dreaming 18: 112–121.

    Neurocientistas do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano de Berlin e Instituto Max Planck de Psiquiatria em Munique, descobriram que a área responsável pela auto-reflexão é morfologicamente maior em pessoas com a habilidade de ficar consciente nos sonhos.
Imagem de cena do filme Waking Life.
     Isso poderia implicar na possibilidade de que sonhadores lúcidos – em se comparando com pessoas que nunca tiveram ou raramente conseguem ter sonhos lúcidos – teriam maior capacidade de auto-reflexão ou metacognição.
   Por metacognição, pode-se entender uma habilidade de perceber os próprios estados mentais e reflexão acerca dos próprios pensamentos. Nas palavras das psicólogas Cláudia Dantas e Camila Cruz Rodrigues:
“O conceito de metacognição está relacionado à consciência e ao automonitoramento do ato de aprender. É a aprendizagem sobre o processo da aprendizagem ou a apropriação e comando dos recursos internos se relacionando com os objetos externos. A metacognição é a capacidade do ser humano de monitorar e autorregular os processos cognitivos.”
   A teoria é baseada em imagens de experimentos, em pessoas testadas enquanto resolviam exercícios metacognitivos, no estado desperto. Essas imagens mostraram que a atividade do córtex pré-frontal era mais intensa em sonhadores lúcidos. “Nossos resultados indicam que a auto-reflexão no dia-a-dia é mais pronunciada em pessoas que podem facilmente controlar seus sonhos”, declara Elisa Filevich, pesquisadora do Centro de Psicologia de Lifespan do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano.
Imagem do excelente filme Waking Life
      Os pesquisadores procuram descobrir se as habilidades metacognitivas podem ser treinadas. Em um estudo seguinte, deve-se direcionar as pesquisas para o treino de voluntários na indução de sonhos lúcidos e examinar os resultados, verificando alguma possível relação com a melhora na capacidade de auto-reflexão.
Referência Bibliográfica:
Kühn S, Brick TR, Dresler M, Filevich E. Metacognitive mechanisms underlying lucid dreaming. The Journal of Neuroscience. 2015.
Cláudia Dantas; Camila Cruz Rodrigues. Estratégias metacognitivas como intervenção psicopedagógica para o desenvolvimento do automonitoramento. Revista Psicopedagogia. vol.30 no.93 São Paulo  2013.
    É curioso notar como cada pessoa parece ter uma maneira peculiar de sonhar. Alguns sonhadores lúcidos adentram um psicodelismo desenfreado. Outros podem mergulhar mais vezes em sonhos realistas e com uma simulação impressionante do estado desperto.

Temas ou cenários mais fabulosos podem ser presença mais frequente nos sonhos de alguns…  na imagem o imperdível  Hobbit 2 que estréia 13/12/2013. 🙂

Certos sonhadores lúcidos relatam sonhos repletos de sensações táteis e auditivas… outros um turbilhão visual impressionista… sentidos como o olfato e paladar também podem ser experimentados e recomendo sempre provar o cheiro de uma bela flor ou uma suculenta melancia.

O que dizer da experiência do sonhador lúcido, guitarrista o Felipe(Free-Lipe), capaz de experimentar o que seria para ele o fabuloso “Melhor Mundo Possível”?! Sonho no qual experimentou uma erupção de cores fulgurantes e monumentais que preencheu toda a estrutura do sonho onde estava?!

“Olhei pro céu pra contempla-lo, estava azul e verde *-* coisa linda e indescrítivel!
A criaturinha desapareceu e tive a ideia de tentar criar o melhor cenário possível…apareceu uma grande caixa de ferro em minha frente.Havia logotipos e textos que não lembro nela…abri a caixa e haviam tubos de tinta 😮 uhauhahuuha


Comecei a espalhar tinta pra todos os lados com dois tubos q jogavam tinta azul e cinza metálico (minhas cores favoritas e as cores da minha primeira guitarra). As cores tomaram conta do céu, de tudo ao redor, e até de duas pessoas q estavam ali olhando, me diverti muito…mas acabei acordando.
Essa foi uma das experiências mais proveitosas que tive. 🙂 “

Em momentos como esse gosto de instigar reflexões como… “até onde podemos ir no que se refere a novos experimentos, envolvendo a criatividade nos sonhos?”

Cenas do cotidiano podem ser mais comuns para outros…

Pode-se perceber a facilidade de indução de sonhos lúcidos que boa parte do pessoal da área artística possui. O pessoal
que desenha, pinta, da área musical, poética… e é impressionante como cada um tem essa “Matrix Mental” funcionando da sua própria maneira.

    Claro que que há inúmeras outras variantes, mas é fascinante
perceber como são possíveis essas criações. Todas oriundas das
informações/estímulos da vigília, mas alimentadas fortemente pelo que
somos/fazemos/sentimos.
     Para aqueles com uma estrutura de sonhos mais
fabulosa/imaginativa, seria interessante fazer experimentos na área criativa.
Caso por exemplo se queira criar alguma arte nova. Pode-se desejar abrir uma porta
e encontrar ali dentro a mais nova criação. Já citei aqui no blog inúmeros exemplos de grandes artistas que encontraram inspirações em seus sonhos. Agora, imaginem se esses mesmos artistas pudessem utilizar deliberadamente seus sonhos como estúdio de criação!…

     Para o pessoal com tendência a ter sonhos mais realistas,
sugiro experimentos como revisitar ou recuperar memórias. Tentar voltar a
assistir alguma aula para reforçar o aprendizado ou quem sabe exercitar algum
tipo de modalidade esportiva/atlética como correr, musculação, natação,
ciclismo etc.

Pesquisadores alemães, pela universidade de Frankfurt e Bern, como Daniel Erlarcher e Michael Schredl, já conseguiram resultados surpreendentes relacionados ao aumento de eficiência em atividades de arremesso em alvo…

Eis alguns motivos fascinantes para ter sonhos lúcidos. Assim, o interesse na área é inevitável. Recentemente nosso Fórum e Grupo do Face vem recebendo nova onda de pessoas interessadas nessa “macumba doida” que é ficar consciente, durante os sonhos. Eis alguns motivos, passíveis de serem experimentados por qualquer pessoa dotada de um cérebro de Homo Sapiens:

Acionar e manter a consciência no estado mental dos sonhos, abre uma vasta quantidade de possibilidades a serem exploradas. Mesmo que o maior front das pesquisas estejam nos laboratórios de sono, ainda assim, cada sonhador lúcido, pode desenvolver seus próprios experimentos. Para isso, basta um bom colchão, travesseiro e aquela merecida noitada de sono.

=> Quem não quer brincar de deus na sua própria realidade? Uma vez atingida a consciência durante os sonhos, deixamos de ser tragados pelo fluxo natural dos sonhos, sob a égide do subconsciente e passamos a poder navegar por livre escolha e até controlar aquele universo mental.

=> Ou explorar a própria mente de uma maneira tão esmagadora? Quando se consegue ficar consciente no sonho, adentramos toda uma realidade criada por nossa mente. Ali passamos a ter acesso a um tipo de mundo, dotado de memórias, subconsciente, criatividade, emulação do cotidiano de nosso estado desperto…

=>Experimentar desenvolver habilidades artísticas?

=>Resolver problemas? Kekulé encontrou a solução para seus estudos com a cadeia de benzeno em seus sonhos. É dele a célebre: “Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” *

=>Aprimorar habilidades locomotoras? Existem estudos, já com resultados pioneiros acerca do aprimoramento de habilidades motoras, através dos sonhos lúcidos.

=>Conhecer mais sobre seu subconsciente? Nossos sonhos são totalmente estruturados pelo nosso subconsciente. Toda informação para criar aquele mundo advém não de nossa consciência, mas do que fomos capazes de armazenar em nosso cérebro. Claro que vai ser mais interessante chegar lá estando em paz com esse lado interno…

=>Transformar o cérebro num surpreendente “oráculo probabilístico” .

Touro Sentado experimentou um cálculo de previsão assombroso, em seus sonhos, de uma realidade próxima e possível. Foi um dos raros e sublimes momentos da História em que os índios humilharam militarmente os invasores brancos.

=>Quem sabe recuperar memórias perdidas no estado desperto?

=> Experimentar “Supersonhos Lúcidos“?

=>Superar traumas ou enfrentar pesadelos?

Parece bem claro que o ritmo do interesse por essa área de estudo/desenvolvimento de habilidade tende a acelerar ainda mais. Com tantas possibilidades, fica difícil não querer pelo menos experimentar que brincadeira mais doida é essa.

Considerando se tratar de um caminho de acesso direto à mente, livre de estímulos do estado desperto, com possibilidades fascinantes de mergulho em memórias, criatividade, desenvolvimento de habilidades… fica difícil não imaginar como será aproveitado todo esse potencial no futuro. Dentre essa miríade de novas fronteiras a serem desbravadas, uma das mais relevantes é a compreensão da consciência.

A consciência já foi alvo em recentes estudosCom o auxílio de experientes sonhadores lúcidos, submetidos a exames de ressonância magnética no cérebro, eles acionavam e sustentavam a presença da consciência durante o estado mental dos sonhos de REM. Fase do sono essa em que normalmente estamos inconscientes.

Sonhador lúcido sendo submetido a exame de ressonância magnética, para pesquisa sobre as áreas ativadas no cérebro durante os sonhos conscientes.

Sobre a descoberta de Augusto Kekulé:
Eu estava sentado à mesa a escrever o meu compêndio, mas o trabalho não rendia; os meus pensamentos estavam noutro sítio. Virei a cadeira para a lareira e comecei a dormitar. Outra vez começaram os átomos às cambalhotas em frente dos meus olhos. Desta vez os grupos mais pequenos mantinham-se modestamente à distância. A minha visão mental, aguçada por repetidas visões desta espécie, podia distinguir agora estruturas maiores com variadas conformações; longas filas, por vezes alinhadas e muito juntas; todas torcendo-se e voltando-se em movimentos serpenteantes. Mas olha! O que é aquilo? Uma das serpentes tinha filado a própria cauda e a forma que fazia rodopiava trocistamente diante dos meus olhos. Como se se tivesse produzido um relâmpago, acordei;… passei o resto da noite a verificar as consequências da hipótese. Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” – Augusto Kekulé, 1865.1

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Friedrich_August_Kekul%C3%A9_von_Stradonitz

O sonho lúcido pode ser uma ferramenta poderosa para solução de problemas. Quando sonhamos, o cérebro está funcionando de uma maneira diferente do estado desperto. A criatividade ganha um espaço gigantesco, com um recuo considerável da lógica, possibilitando insights espetaculares. Isso acontece mais especificamente nas fases REM do sono.

Os Sonhos Lúcidos podem servir de Laboratório de experimentos. Podemos acessar impressões que nosso subconsciente mantém guardado. Na imagem Amadeus Cho, considerado por Reed Richards a 7a pessoa mais inteligente da Terra. Um dos personagens mais divertidos da Marvel 🙂

Um experimento fascinante é buscar a computação do cérebro no estado mental dos sonhos. Como é um conhecimento bem difundido, a atividade cerebral nas fases REM do sono é especialmente ativa. Praticamente tão ativa como no estado desperto, produzindo sonhos intensos, vívidos de emoção e de estímulo aos sentidos.

Ora, uma vez que durante o estado desperto, a mente esteja debruçada na busca por uma solução de alguma questão ou problema, passa a ser bem interessante, obter sugestões que nosso subconsciente possa oferecer. Possivelmente intuições que possam ter passadas despercebidas quando acordados.

São bem famosos os exemplos de cientistas(Kekulé, Mendelev…), músicos(Paul Mcartney), inventores(Elias Howe), filósofos(Descartes, Russel), escritores(Mary Shelley com Frankenstein, Stevenson com O Médico e o Monstro) e pintores(Dali…) que conseguiram obter resultados espetaculares a partir dos seus próprios sonhos.

“Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” – Augusto Kekulé, 1865.

       O Experimento.

 Problema a ser tratado:
Uma pessoa está em negociação, em função de uma reestruturação que está acontecendo na empresa. A empresa para qual trabalha está oferecendo uma proposta, contratando a empresa dela para que preste serviços. As negociações estão difíceis, com a empresa contratante cedendo muito pouco.

Meu experimento foi o de questionar meu subconsciente para que me desse uma resposta perante o problema: “Qual a melhor forma de apresentar nova contra-proposta?”

Eis o sonho-experimento que tive(na mesma noite):

    “Num ônibus eu estava de short de pijama. Estranhei muito a situação e olhei para a mão. Meus dedos estavam menores e tortos. Fui inundado com minha consciência. 
Vi a pessoa(versão do meu subconsciente) que tinha o problema na minha frente e não resisti em comentar com ela, mostrando as mãos…  parti de imediato para o experimento que era questionar meu subconsciente sobre: “como deveria ser feita A Proposta ?”

    O questionamento seria feito para o subconsciente, então fui até o fim do ônibus procurando pelo dono da empresa contratante. Vasculhei o ônibus sem êxito, mas encontrei um macaco, numa poltrona de passageiro. Questionei o brother que era bem parecido com um chipanzé, o qual respondeu com humor contagiante. Senti
algo engraçado. Caminhei mais pelo ônibus.


    Encontrei um homem com trajes bem formais, uma maleta de executivo e vi que era “O Sócio”. Questionei ele e a resposta foi que a mudança que acontecia, fazia sair de uma zona de conforto. O investimento seria preciso…  “

“O Sócio” que apareceu como resultado ali do meu subconsciente. Na imagem, O Observador, da excelente série Fringe… eeeeeiii!! Será que eu estava sendo “observado”?!?




   Tive então um falso-despertar.


Repassei o sonho-experimento pra pessoa que havia me solicitado. Até agora me sinto bastante fascinado com a experiência. Que talvez não seja tão útil no final das contas para o caso prático em si, mas mostra ser bem possível trabalharmos problemas com auxílio da consciência nos sonhos/sonhos lúcidos.

Parece-me mais eficiente para situações que conhecemos com mais profundidade os elementos e variáveis que estão envolvidas na situação-problema.