Tag

Desafios nos Sonhos Lùcidos

Browsing

Um experimento interessante é praticado com certa frequência no Fórum e no Grupo do Facebook de sonhadores lúcidos. Trata-se dos “Desafios Lúcidos”, oportunidade na qual alguém propõe um experimento/desafio e os todos interessados podem participar. Recentemente foi proposto o Desafio das Sombras.

1mQUSp

O experimento:
Encontrar sua “Sombra”.

Para Carl Jung “a sombra é via de regra vivida em sonhos como uma figura escura, primitiva, hostil ou repelente, porque seus conteúdos foram violentamente retirados da consciência e aparecem como antagônicos à perspectiva consciente.”

O Sonho:

Caminhando pela rua, lembrei de fazer o Desafio da Sombra. Observei o chão e vi minha sombra… e logo continuei caminhando não aceitando, afinal gostaria de conhecer minha sombra de arquétipo. Aquela, tal qual conceituada por Carl Jung. Encontrei um portão e o abri. Apareceu um cachorro preto que lembrava muito nossa cachorrinha Amy.

Amylu
Te peguei!

Fiz uma corrida pela rua, pensando na melhora da minha performance no estado desperto. Corri numa descida, dei a volta numa quadra e o sonho começou a se desintegrar.

Segui caminhando, enquanto o ambiente se apagava. Virei-me desejando encontrar uma porta, esticando meu braço e pensando na porta que viria. Senti a maçaneta e abri a porta. Entrei num ambiente que era um bar. Escutei uma linda música de orquestra ao fundo. Ergui meus braços e ouvi que a música respondia aos meus movimentos. Era uma música linda, ao estilo trilha sonora de Duna. Caminhei pelo bar, fui ao fundo dele, encontrei um banheiro… saí dele e vi dois pequenos andares dentro do bar.

Saltei desejando encontrar minha sombra lá em cima. Encontrei no último, era uma verdadeira sombra, sólida, de formato humano, com olhos grandes, arisca e parecia querer morder seu próprio dedo… seria ansiedade, medo… tinha uma aparência frágil, bastante jovem, cabelo liso e um pouco comprido.

shadow-535_960_720

Sobre as Técnicas aplicadas:

– Anotação dos Sonhos no Diário de Sonhos.

– Aplicação da Técnica MILD.

– Reality Check das mãos(pelo menos 5x ao dia). Uso o relógio de pulso virado ao contrário para disfarçar que estou fazendo um reality check.

– Ao olhar para as mãos, também questiono “Estou sonhando ou não?”

Para o próximo post teremos uma entrevista com Zé Felipe de Sá, sobre sonhos lúcidos e seu recente artigo publicado sobre o tema. Grande abraço e bons sonhos para todos nós!

  A experiência tátil no sonho parece representar um valor interessante nas ocorrências de sonhos lúcidos. É possível encontrar dentre as técnicas de prolongamento do sonho, o ato de “esfregar as mãos”.  Particularmente, prefiro me utilizar da minha Técnica das Portas, embora já tenha realizado alguns experimentos com a fricção das palmas, buscando protelar o fim do sonho.
Imagem do excelente filme Duna, baseado na obra-prima de Frank Herbert. Na cena, os guerreiros Fremen Fedaykin usam as mãos para marcar seus uniformes.
   O relato a seguir, vem de dois sonhos recentes que tive, utilizando-me do tato, como uma maneira de me manter firme, até o sonho terminar de se formar. Trata-se daqueles momentos que antecedem a estruturação do sonho. A aplicação da Técnica Tátil pode ser lida no texto anterior ou aqui.
Desafio: como meu inconsciente representaria para mim uma inteligência com 1 bilhão de anos?

“Lembrei de uma última conversa com a Lúcia(minha noiva), sobre como seria encontrar um ser vivo, com inteligência desenvolvida por um bilhão de anos. Dentro da casa, recordei que tinha planejado encontrar num próximo sonho lúcido, um ser que tivesse um bilhão de anos.

    Abri portas procurando e me deparei com uma sombra ou uma figura negra, totalmente escura que rapidamente desapareceu.
A Técnica das Portas é um ferramenta que criei e permanece de grande eficiência para mim. Serve para prolongar a experiência do sonho lúcido, adentrar num ambiente mais claro(quando o sonho começa a desabar), encontrar certos cenários, objetos ou pessoas.
      Segui atrás e encontrei uma senhora de costas, cabelo um pouco Chanel e castanho claro. Perguntei se seria possível ser alguém com um bilhão de anos ou daquela civilização com tanta idade. Respondeu-me com um leve sorriso. Depois dali prossegui pela casa encontrei uma mãe e uma criança. Cheguei a me questionar se seria outra representação desse desafio, já produzindo outro resultado e continuei me aproximando. Dei uma olhada e segui para fora.
    Lembrei de outra coisa que queria fazer faz tempo que era correr descalço sobre a grama. E logo encontrei, um gramado que beirava a rua. Corri sentindo a grama sob meus pés e relembrei a sensação, saltei quando ela acabava e brinquei um bocado assim. Tive vários falsos despertar, mas voltava consciente no sonho.
    Em outro no inicio deles, eu senti a parede com trepadeiras nas minhas mãos. Fiz um personagem do sonho levitar e puxei ele como em telecinese até perto de mim.
      Na minha conversa com o ser de um bilhão de anos, construído pelo meu inconsciente, bati um papo sobre o mundo, minha identidade e afins…
      Por fim, alcei voo muito feliz com as possibilidades sobre grandes prédios.”
Neo voando sobre entre prédios em Matrix Reloaded. Um dos filmes que mais assisti ;D
      Minha próxima experiência, será sonhar com uma sequencia de memórias específicas de duas décadas atrás. Naquela época fiz uma reflexão de como seria interessante poder reviver o momento que estava passando. Eu estava sentado num banco da escola, fitando o grande corredor vazio. Vou me utilizar da técnica de indução MILD e recursos como Diário de Sonhos, Reality Checks das mãos. O tato acredito que será bem importante, como foi nesse último relato. Até lá!

Esse post será baseado num relato especial da sonhadora lúcida Brenda Nunes. Ela é uma onironauta experiente e já fui superado por ela algumas vezes, nos nossos “Desafios Lúcidos”. Esses “desafios” são na verdade experimentos que são propostos periodicamente entre os sonhadores lúcidos e nos estimula bastante na indução da consciência. Vamos ao relato e algumas considerações pessoais dela sobre a experiência:

“Venho aqui lhes relatar a pedido do meu amigo Márlon Jatahy, uma experiência que tive. Não sei se vocês lembram, mas no Grupo de Sonhos Lúcidos do Facebook(e do Fórum) foi lançado um desafio cabuloso da ” poção mágica” , onde você procuraria uma poção mágica, tomaria e depois se olharia no espelho para ver no que se transformou.

Decidida a fazer o experimento de tomar uma poção nos sonhos, a Breh conseguiu no sonho lúcido dela beber o líquido, verificar no que se transformou e se divertiu um bocado!… Na imagem, a espertinha Herminione do Harry Potter 🙂

Meu resultado foi o seguinte: 

Depois que eu fiquei lúcida, sai rapidamente do local, deixando as pessoas que estavam comigo no vácuo. Fui saltando sobre as casas, em direção à minha rua. Chegando lá, percebi que estava tendo algum evento .. tinha muitas pessoas envolta bebendo e dançando, eu olhando para as minhas mãos frequentemente com receio de perder a lucidez ou de acordar pois tinha gasto bastante energia para chegar ali ,mas minha visão estava completamente normal , bem nítida.

Vi que tinha um grupo de pessoas estranhas que pareciam ciganas e fui lá falar com elas por curiosidade.. uma senhora sorriu para mim e me cumprimentou(eles usavam roupas largas e meio velhas..bem simples mesmo ). Parei a mais jovem e comecei a fazer perguntas. Cheguei e peguntei : Você sabe que isso é um sonho né ? ( estávamos andando em direção da praça ) Ela me respondeu que eu estava em um plano onde ela estava também.. eu fiquei pensando na resposta dela e achei bem lógica… Depois perguntei para onde estavam indo e ela disse que pra casa…

Nessa parte eu já estava descendo a metade do morro..me despedi deles e fui voltando para onde eu estava ,mas antes eu perguntei de longe para ela como eu fazia para encontrar meu guia e ela respondeu : “Tenta chamar..eles aparecem qualquer hora..” Fui caminhando e chamando pelo meu guia , esperando algo acontecer..mas nada ..fiquei dando voltas correndo no quarteirão e vi meu reflexo em uma porta de vidro(era uma loba ). Estranhando o fato de não perder a lucidez,mas mesmo assim eu olhava para as mãos frequentemente ou pegava área do chão .. Eu fui correndo como lobo em direção a praça procurando algo pra fazer , pra testar . Então eu lembrei do desafio e quando eu tava atravessando a rua vi que o grupo estava na esquina e fui lá falar com eles novamente..perguntei para a garota se ela tinha algum frasco..alguma coisa pra beber.. ela disse que não e apontou para uma garrafa no chão ..eu cheguei e dei um abraço nela e sai. Arrastei minhas mãos na parede para sentir a textura do sonho e peguei a garrafa no chão. fiquei com nojo de beber aquilo e desisti…

…E novamente eu me transformei em lobo (eu faço isso porque vai mais rápido do que voando ou andando ) Fui correndo ate minha casa para achar algo para beber, percorrendo o mesmo caminho .. pensei que não ia conseguir chegar lá porque já estava bastante tempo naquele sonho, mas consegui..Pulei o portao e entrei em casa. Vi que minha mãe estava por lá mas não dei importância pra ela, fui ate a cozinha e achei dois vidrinhos que pareciam remédio e misturei eles dentro de um copo.. o líquido ficou meio roxo e tinha um gosto horrível…

Fui para fora da casa pra procurar um espelho e achei um do lado da casa.. fui olhar no que eu me transformei e eu estava como um lobo mesmo . Mas nunca tinha me olhado daquela forma, so por reflexos borrados.. Era uma loba perfeita..cada detalhe..uma onda de felicidade e potencia percorreu meu corpo. Fiquei brincando com o espelho rosnando e vendo meus dentes..

Depois minha mãe apareceu com um pedaço de pau kkkk , não tava me reconhecendo… então eu fui tentar sair dali e acordei. Data do sonho lucido — 5 de março.

O Animal de Poder é um arquétipo, ou manifestação simbólica, manifestação de Forças Interiores que atua como Guia ou Mentor, uma energia, uma forma que representa nossa personalidade ou comportamento (Espírito Animal / Totem).” Se vocês não chegaram a fazer o desafio proposto, recomendo. E tentem se transformar em algum animal. É uma experiencia fantástica .

” Existem diversas formas de se ter contato com seu animal do poder, inclusive por sonhos lúcidos  A forma mais conhecida é por um ritual xãma que tem todo um preparo para descobrir qual é seu Totem/Animal do poder. O guia/xamã pede para que voce relaxe, entrando em um nivel alterado de consciencia, enquanto ouve o batuque. Ela vai te guiando e vai falando para você imaginar que esta em uma floresta e estando lá, procure uma caverna. E fora da caverna vai estar seu Animal do poder. Bem, nao quero me prolongar muito nessa parte esotérica . Nada mais coerente do que buscar seu animal do poder no mundo dos arquétipos e da manifestaçao simbolica, os sonhos. Mas como entrar em contato com meu Totem? Auto-sugestao é uma das palavras chavez. E esse desafio pode ser uma das maneiras de se conseguir tambem. Para quem esta curioso pra saber , esta ai a dica. É uma experiencia fantástica

Autora: Brê Ribeiro.

Refletindo sobre a importância do propósito, autossugestão e reflexão, principalmente pelo alto grau de eficiência, verificado em experiências de laboratório de sono, fui atrás de um Experimento/Desafio, proposto pelo sonhador lúcido Emerson Pawoski.

Um dos Experimentos/Desafios mais divertidos… qual o seu super-herói interior?
Na imagem, wallpaper do espetacular Man of Steel.

O desafio proposto pelo onironauta é descobrir, através de um sonho lúcido, qual o nosso super-herói interior… imediatamente fiquei contagiado pela idéia (bem ao estilo A Origem rsrs). A princípio achei que meu subconsciente seria facilmente influenciado pelos meus super-heróis prediletos…

No caso do Super-Homem, havia assistido recentemente o Man of Steell e sempre foi um dos meus prediletos(primeiro filme que vi no cinema!). Tenho até uma fantasia do kryptoninano. Poderia ter sido o Hulk, pois além de colecionar os gibis por um bom tempo, meu primeiro sonho lúcido aconteceu comigo superando um pesadelo, transformando-me no gigante esmeralda. O Surfista e Coruja sempre foram especiais pra mim também… então estava bem curioso pra ver o que meu subconsciente me reservara.

O Hulk foi o primeiro personagem em que me transformei já no meu primeiro sonho lúcido, em que superei um pesadelo, ainda na minha infância. Na imagem O Incrivel Hulk, filme da Marvel.

Segue minha experiência que aconteceu nessa madrugada(quarta-feira, 24/07/2013):

“Estava numa casa e fiquei consciente. Lembrei do experimento/desafio para descobrir que super-herói o subconsciente diria que sou. Fui achar uma porta. Abri uma que me levou para um recinto. Lá encontrei um espelho, no qual contemplei meu reflexo.

Eu trajava uma camiseta esporte, com o nr 72 nela. Realmente não lembro de algum super-herói com esse traje espetacular. Pensei em alguma tática diferente… caminhei para outro cômodo da casa, procurando por algum armário. Encontre um, abri a porta e enfiei a mão nele sem olhar.

Puxei um boneco ou miniatura que era um índio, trajando uma indumentária com asas. Era de cor vermelha escura. As asas lembrava um pouco o Falcão, parceiro do Capitão América, pois não eram nas costas, mas estavam enter o tronco e os braços. O índio me lembrava um pouco o Shaman da Tropa Alfa ou “Chefe Apache”.

Caminhei mais um pouco fui até o espelho e lá pratiquei um pouco meus abdominais que preciso dar uma melhorada no maldito pânceps. Fiz diversas contrações e me diverti vendo os músculos que nunca tive.

Caminhando resolvi correr e saltar pela paisagem. Lembrava o Leto Atreides, do livro que estou terminando de reler, Os Filhos de Duna, após sua transformação com as trutas da areia. Procurei por alguns números para jogar(…)”

Não é preciso deter grande conhecimento sobre psicologia, psicanálise ou sobre sonhos para perceber que  existe uma relação estreita entre a nossa mente no estado dos sonhos e certos desejos…

Paul Tholey foi um dos maiores pesquisadores na área dos sonhos lúcidos. Seu método de indução é reconhecidamente um dos mais consagrados entre os sonhadores lúcidos mais experientes. Quero chamar a atenção para um passo no Método de Tholey que acho muito especial e que talvez seja subestimado por muita gente: a motivação ou desejar fazer algo em especial no sonho.

Diz o 9º passo do Método de Tholey:

“9) Decida realizar uma ação ou algo especial nos seus sonhos. Qualquer ação é
suficiente.”

Para alguém como a maioria dos pobres mortais, arrastados pela rotina e falta de tempo, em que até manter um Diário de Sonhos e lembrar de fazer Reality Checks já é difícil, elaborar um pequeno plano sobre algo que gostaria de experimentar no sonho, pode fazer toda a diferença.

Tenho notado, desde os tempos da comunidade de Sonhadores Lúcidos no Orkut que quando estipulamos “Desafios Lúcidos” ou planos para executarmos, assim que ficamos conscientes nos sonhos, ocorre um aumento de incidência. O mesmo parece acontecer quando algum experimento instigante é particularmente planejado. É como se nosso subconsciente fosse contagiado com a idéia e de alguma maneira estimulasse o surgimento da mente consciente.

Desejos, planos e experimentos… desejar algo, planejar e ao ficar consciente no sonho experimentar! Na medida que for algo que realmente seja estimulante ou de acordo com o desejo do sonhador, proporcionalmente aumentarão as chances da consciência ser acionada, durante o estado mental dos sonhos.

Vou deixar como exemplo um Desafio Lúcido, proposto pela sonhadora Lúcida, Brê723, em que os sonhadores lúcidos deveriam realizar o experimento da personagem Ariadne, do filme Inception – A Origem.

Eu caminhava com bastante pressa por um shopping e um grupo grande na minha frente se enrolava, atrapalhando a passagem. Quando me afastei, havia sobrado um caminhando exatamente na minha frente. Finalmente desviei. De saco cheio, mas intrigado com alguma coisa, olhei para minhas mããããooosssss e lá estavam 6 dedos esquisitos geek 


Entrei numa loja, buscando iluminar mais o ambiente mas o interruptor nem respondia hehehehehe como estava escuro ali, resolvi caminhar. 


Tentei me lembrar o que tinha planejado fazer. Recordei da rua, o Desafio da Brê, no estilo Inception, pra gente erguer a rua. Levantei vôo e me deparei com uma cidade bem movimentada. Fiz uma mentalização coma rua que encontrei, mas a estrutura dela terminava num prédio enorme e ao erguer ela, o prédio tinha ficado no lugar dela, numa imagem bem estranha.


Fui tentar em outra rua. Sem o prédio e achei uma bem legal. Tinha um morro nela e certeza que aquilo me ajudaria. Quando pensei em erguer, formou-se uma ondinha, estilo marola. Forcei um pouco mais e veio uma onda maior lol! 


Decidi então tentar pela 3a vez numa outra rua. Encontrei uma de estrada sem calçamento ou asfalto, estrada de terra mesmo. Ergui ela encurvando, estilo Inception e desci novamente. Jóia cheers Sephiroth cheers

    Uma das coisas mais formidáveis quando temos um sonho lúcido é a indescritível sensação de liberdade e poder. Quando consigo o que gosto de chamar de “Supersonho Lúcido” então o sentimento é absolutamente inefável. Chega mesmo ao ponto de dar um medinho de fritar os miolos de tão bom e duradouro!…

A sensação de Liberdade e Poder nos Sonhos Lúcidos é a típica experiência que precisa ser vivenciada para poder entender. Cena do ótimo filme OZ.

    No tópico Desafios Lúcidos, elaborado no Fórum e no Grupo do Face, sugeri o plano/desafio/experimento de assim que ficarmos consciente num sonho: beber um elixir, olhar-se no espelho e depois relatar o que viu.

   O “Desafio” foi proposto no Fórum e no Grupo e o primeiro sonhador lúcido a conseguir êxito e relatar, foi uma sonhadora lúcida, a Brê Ribeiro. Registrou o relato no nosso Fórum de sonhadores lúcidos que pode ser encontrado aqui.

   Como relatado, tive uma bela demora(17 dias) pra conseguir ficar consciente num sonho e realizar o nosso Desafio. Mas eis que acabou acontecendo na forma desse adorável Supersonho Lúcido:

  O Elixir e o Espelho  

   Na cama eu me sentia meio desconfortável, sem encontrar uma posição mais adequada pra dormir. Até que de repente senti uma sensação mais agradável e permaneci assim olhando para a escuridão… mas como eu poderia estar olhando se eu tinha certeza que estava dormindo e de olhos muito bem fechados… sim! Eu estava entrando consciente num sonho! Procurei me conter e explorar devagar a experiência. O próprio ambiente era estranho… não havia me tocado, mas era um ambiente gigante. Comecei a pender para frente como se fosse me deslocar levemente quase caindo da cama e o deslocamento aconteceu.

    Sai para um lugar ainda meio escuro mas já começava a enxergar luminosidades em certos lugares.  Tentei recordar o que eu queria fazer e lembrei. Caminhei agora para um lugar bem iluminado e procurei em meio ao que parecia mesas e cadeiras elegantes, espalhadas ao redor de mesas que poderiam ser bares luxuosos ao ar livre… numa das estantes comecei a procurar por um elixir. Contive-me ao máximo e mantinha um certo movimento, caminhando do meu corpo e da minha vista a procura do elixir para fazer minha experiência.

Manter-se em movimento e com um plano ou experimento para realizar é uma dinâmica que normalmente resulta em ótimos e duradouros sonhos lúcidos. Cena do imperdível Inception.

 
   Caminhei mais um pouquinho olhando atentamente para aquela mesa e finalmente vi alguns recipientes estranhos. Um deles lembrava uma pequena leitera de teflon… comecei a tomar dela e fui tomando, tinha bastante líquido e logo encontrei um espelho.

   Vamos ver no que eu me transformo hummmmm tcharammmmm uma espécie de roupa high tech árabe… na minha cabeça um turbante mais discreto, azul e com uma letra M muito estilosa, era certamente um logotipo de uma empresa que poderia ser minha. O M de Márlon hhehehehe e tinha umas faixinhas muito legais.

   Saí dali pensando que eu tinha mais experimentos pra fazer, mas estava mesmo com dificuldade pra lembrar – um deles era recuperar um momento no tempo de quando eu tinha 18 anos e que na época, bem antes do Efeito Borboleta(filme) eu refleti como seria divertido poder retornar até aquele momento, depois que ficasse com mais idade rsrsrs

    A luminosidade começou a diminuir muito e procurei por lugares mais claros… de repente avistei alguns carros disparando por uma rua. Levantei vôo e fui na direção deles. Era um rali espetacular. Vi um pouco eles, mas  logo em seguida mergulhei na paisagem. Num dos meus mergulhos, deparei-me com uma cachoeira maravilhosa que desembocava num lago em meio a um pequeno vale… era tudo muito intenso e vívido… de repente eu estava num canyon… e muitas rochas começaram a desabar sobre mim… parecia coisa de Inception a Origem!… Elas despencavam eu ia cada vez mais para o fundo do canyon e então, consciente de que era meu sonho, apenas fiquei sereno e subi encostando cas grandes rochas, empurrando elas como se fossem isopor. Voei para fora do lugar e fui para o ar livre.

    Caminhei mais um tempinho e voei na direção do que parecia ser um bar de dois andares muito animado. Procurei por uma mesa interessante para fazer um experimento mais antigo. Que era perguntar para o meu subconsciente uma maneira para ficar lúcido nos sonhos, de maneira mais eficiente.

Voar sempre é uma das experiências mais divertidas nos sonhos.

      Aproximei-me de uma mesa com algumas pessoas. Tinha umas 6 pessoas ali. Perguntei para eles o que eles poderiam me sugerir para ficar consciente com mais frequência nos sonhos. Eles ficaram bem desconcertados. Realmente pareciam não ter uma resposta e acabei saindo dali, apesar do lugar ser bem legal. Sei da importância de manter essa dinâmica do movimento no sonho…

      Ao sair do bar, parado sobre a grama, um cara olhava pra mim e achei bem surpreendente aquilo. Mas questionei o fato de que bem que poderia ter sido uma das mulheres bonitonas a me procurar né!…  Ele riu e de imediato começou a se transformar virando uma morena exuberante. Cabelos longos, peitos grandes(vi os peitões brotando sob a roupa) e firmes… quadril dadivoso, peguei na mão dela e questionei como podia meu subconsciente ter uma iniciativa daquela….  eu realmente não tinha desejado deliberadamente…

      A morena deu um sorriso e levantei vôo com ela. Bem ao estilo Superman do Christopher Reeve voamos até um construção mais alta que dava uma bela visão para paisagem. Queria saber o nome dela e o que me ocorreu era que ela poderia ser Bety. Sim ela era morena, linda, com um olhar muito inteligente… Bety!

 Questionou-me o que eu pretendia fazer. Eu respondi que estava com receio de fritar meus miolos ou esquecer tudo o que havia feito até ali e então iria despertar mesmo rsrsrs  dei um passo grande para o lado, soltando a mão dela e caindo para trás acordei bem encolhido na cama. Sentindo-me bem confortável para mais experiências…!