Tag

Experimentos em Sonhos Lúcidos:fronteiras da consciencia.

Browsing

             A galantamina já é utilizada, especialmente nos EUA, há um bom tempo para indução de sonhos lúcidos. No Brasil, foi aprovada e regularizada pela FDS e pela ANVISA em 2001, mostrando resultados significativos no combate do transtorno cognitivo leve, alzheimer e na demência vascular.

             Pode ser adquirida em qualquer lugar, inclusive via site da amazon.com americana. Tomei conhecimento dessa pílula através de um texto e vídeo do jornalista Bruno Torturra ( https://revistatrip.uol.com.br/trip/te-vejo-nos-meus-sonhos ), onde ele descreve como foi a experiência dele em um curso promovido pelo Stephen LaBerge. Durante o curso e as tentativas de indução de sonhos lúcidos, Torturra acaba se deparando com a galantamina e consegue ter seu primeiro sonho lúcido. Chamo atenção, para o fato de que ainda assim, utilizando a galantamina, o jornalista também estava se utilizando das técnicas apresentadas no curso. A pílula isoladamente, parece ser bem menos efetiva.

 

castelo olho e mulher

 

             Pesquisadores da universidade de Wisconsin, dentre eles o próprio Stephen LaBerge, recentemente publicaram uma pesquisa sobre essa eficiência da galantamina para com a obtenção de sonhos lúcidos. A substância é utilizada em doses bem maiores para o tratamento de Alzheimer. Atua nos inibidores de acetilcolinesterase, resultando em interferência na fase REM e na memória. No caso os idosos sobre tratamento, relatam com alguma frequencia, aumento dos pesadelos.

O Experimento:

              Foram recrutados 121 participantes para o experimento. E não eram voluntários sem experiência com sonhos lúcidos. Eram pessoas com especial interesse por sonhos lúcidos e que tiveram treinamento em técnicas de indução como por exemplo a MILD.

Durante 3 noites seguidas, os voluntários ingeriram na seguinte sequencia:

  1. a noite: comprimido placebo;
  2. a noite: 4mg de galantamina;
  3. a noite: 8 mg de galantamina.

 

Resultados

Na primeira noite, esses participantes, ficaram em função apenas de suas técnicas de indução normais, pois o comprimido não continha galantamina e mesmo assim houve um total de 14% de voluntários que relatou ocorrência de sonho lúcido.

Pela segunda noite, tomaram o comprimido de 4 mg, resultando em 27.3% dos participantes relatando ocorrência de sonhos lúcidos.

Finalmente na terceira noite, ingerindo 8 mg de galantamina, 42.2% das pessoas relataram ocorrência de sonhos lúcidos.

Interessante ressaltar que desses 121 voluntários, 10 deles informaram que jamais haviam experimentado um sonho lúcido e na 3a noite, com a dose de 8 mg, 4 (quatro) pessoas confirmaram que tiveram a experiência. No total 57% dos voluntários ou 69 pessoas tiveram sonhos lúcidos. Efeitos colaterais foram anotados em 14 pessoas ou 12% dos participantes. Dentre esses efeitos: náusea, fadiga e problemas gastrointestinais.

 

Conclusões

             A galantamina de fato pode ajudar na indução de sonho lúcido. Especialmente se você já possui prática nas técnicas de indução convencionais. Apesar de vendida como suplemento nos EUA, é uma substância que merece alguns cuidados, pois pode sim provocar efeitos colaterais nada agradáveis. Dentre eles destaca-se as náuseas. A partir da dose de 4mg já é possível sentir esses efeitos – e é claro isso varia de organismo para organismo, sendo não tão ruim para péssimo – e com 8 mg eles podem estar ainda bem mais fortes. Não é a toa que no Brasil só é vendida sob prescrição médica. E é bem cara por aqui.

             Utilizada no tratamento do alzheimer e para o controle de defeitos cognitivos, a galantamina, porém é importante também reforçar importância de mais estudos com relação ao uso da mesma para efeitos sobre sonhos normais e lúcidos, especialmente sobre as alterações no sono e na atividade atividade cerebral durante o mesmo.

               Por fim, importante destacar que no próprio estudo, as técnicas de indução como MILD, Tholey, WBTB, etc.. possuíram considerável interferência nos bons resultados, como o próprio artigo (citado nas referências logo abaixo), deixa bem explícito.

 

Referência Bibliográfica:

LaBerge S, LaMarca K, Baird B (2018) Pre-sleep treatment with galantamine stimulates lucid dreaming: A double-blind, placebo-controlled, crossover study. PLoS ONE 13(8): e0201246. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0201246

https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0201246

GOMES, Alexandre de Mattos; KOSZUOSKI, Ricardo. Evidências atuais do impacto terapêutico dos inibidores da acetilcolinesterase no transtorno cognitivo leve e na demência vascular. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul,  Porto Alegre ,  v. 27, n. 2, p. 197-205,  Aug.  2005 .   Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082005000200010&lng=en&nrm=iso>. access on  30  Oct.  2018.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082005000200010.

Um experimento interessante é praticado com certa frequência no Fórum e no Grupo do Facebook de sonhadores lúcidos. Trata-se dos “Desafios Lúcidos”, oportunidade na qual alguém propõe um experimento/desafio e os todos interessados podem participar. Recentemente foi proposto o Desafio das Sombras.

1mQUSp

O experimento:
Encontrar sua “Sombra”.

Para Carl Jung “a sombra é via de regra vivida em sonhos como uma figura escura, primitiva, hostil ou repelente, porque seus conteúdos foram violentamente retirados da consciência e aparecem como antagônicos à perspectiva consciente.”

O Sonho:

Caminhando pela rua, lembrei de fazer o Desafio da Sombra. Observei o chão e vi minha sombra… e logo continuei caminhando não aceitando, afinal gostaria de conhecer minha sombra de arquétipo. Aquela, tal qual conceituada por Carl Jung. Encontrei um portão e o abri. Apareceu um cachorro preto que lembrava muito nossa cachorrinha Amy.

Amylu
Te peguei!

Fiz uma corrida pela rua, pensando na melhora da minha performance no estado desperto. Corri numa descida, dei a volta numa quadra e o sonho começou a se desintegrar.

Segui caminhando, enquanto o ambiente se apagava. Virei-me desejando encontrar uma porta, esticando meu braço e pensando na porta que viria. Senti a maçaneta e abri a porta. Entrei num ambiente que era um bar. Escutei uma linda música de orquestra ao fundo. Ergui meus braços e ouvi que a música respondia aos meus movimentos. Era uma música linda, ao estilo trilha sonora de Duna. Caminhei pelo bar, fui ao fundo dele, encontrei um banheiro… saí dele e vi dois pequenos andares dentro do bar.

Saltei desejando encontrar minha sombra lá em cima. Encontrei no último, era uma verdadeira sombra, sólida, de formato humano, com olhos grandes, arisca e parecia querer morder seu próprio dedo… seria ansiedade, medo… tinha uma aparência frágil, bastante jovem, cabelo liso e um pouco comprido.

shadow-535_960_720

Sobre as Técnicas aplicadas:

– Anotação dos Sonhos no Diário de Sonhos.

– Aplicação da Técnica MILD.

– Reality Check das mãos(pelo menos 5x ao dia). Uso o relógio de pulso virado ao contrário para disfarçar que estou fazendo um reality check.

– Ao olhar para as mãos, também questiono “Estou sonhando ou não?”

Para o próximo post teremos uma entrevista com Zé Felipe de Sá, sobre sonhos lúcidos e seu recente artigo publicado sobre o tema. Grande abraço e bons sonhos para todos nós!

         É possível acessar memórias antigas, durante um sonho lúcido? Em 1994, sentado em um banco de escola, fiz uma pausa e refleti sobre o tempo. Pensei em como seria poder retornar para aquele momento, do futuro. O experimento a seguir, objetivou alcançar memórias de décadas atrás, aproveitando o exercício de reflexão criado na época. A brincadeira foi realizada por um sonho lúcido, no qual ao ficar consciente, fui visitar essa lembrança.
Experimento em sonho lúcido com memórias antigas. Será possível acessar memórias do inconsciente, inacessíveis pelo estado desperto? Na imagem, a brilhante obra de Jim Starlim: Dreadstar.

As técnicas que utilizei foram, o uso de Diário de Sonhos, a técnica de indução MILD, Reality Checks das mãos e o Tato.

O Sonho Lúcido:

       Quando percebi, estava num ambiente escuro, procurei manter a consciência e fui sentindo o ambiente do sonho se formar, tateando primeiro pelo chão, passei para uma parede e desejei encontrar uma porta.
       Percebi estar na casa dos meus pais, lembrava a mesma da época em que
estudara na Tupy. Olhei-me no espelho e brinquei de virar o Hulk. Meus músculos
inchavam de acordo como eu queria. Sai do quarto e estava escuro. Percebi que
ia acordar. Estava consciente, sentindo o chão e fui tateando no ambiente. ,
passei por algumas paredes e senti uma porta. Encontrei a maçaneta e abri
desejando o cenário mais claro. O ambiente lembrava mesmo a casa dos meus pais. Porém
ainda estava escuro.
        Decidi comer alguma fruta para curtir a experiência.
Passei pela cozinha e peguei da fruteira uma pêra. Também outra fruta eu mordi
e parecia maça. Continuei a andar e o ambiente foi escurecendo. Procurei uma porta. Abri desejando o cenário de vinte anos atrás, onde fizera
minha reflexão no banco da escola. Abri, vi a grama, o dia claro e a direita o
banco o qual recordava estar sentado décadas atrás, refletindo sobre o tempo e
como seria interessante poder voltar do futuro para aquele momento. A esquerda
havia o corredor, com as salas de lado de um lado e a grama de outro.
        Caminhei e  num espelho vi meu reflexo de adolescente,
com o rosto magro. Mais uma vez achei que ia acordar, mas mantive a consciência
e  deixei o ambiente do sonho se reestruturar, tateando pelo chão,
passei para uma parede e desejei encontrar a porta. Abri e fui rapidamente para
garagem. Também escureceu rápido e achei q fosse acordar.  Fiz umas flexões no novo ambiente tateei e
despertei.
  A experiência tátil no sonho parece representar um valor interessante nas ocorrências de sonhos lúcidos. É possível encontrar dentre as técnicas de prolongamento do sonho, o ato de “esfregar as mãos”.  Particularmente, prefiro me utilizar da minha Técnica das Portas, embora já tenha realizado alguns experimentos com a fricção das palmas, buscando protelar o fim do sonho.
Imagem do excelente filme Duna, baseado na obra-prima de Frank Herbert. Na cena, os guerreiros Fremen Fedaykin usam as mãos para marcar seus uniformes.
   O relato a seguir, vem de dois sonhos recentes que tive, utilizando-me do tato, como uma maneira de me manter firme, até o sonho terminar de se formar. Trata-se daqueles momentos que antecedem a estruturação do sonho. A aplicação da Técnica Tátil pode ser lida no texto anterior ou aqui.
Desafio: como meu inconsciente representaria para mim uma inteligência com 1 bilhão de anos?

“Lembrei de uma última conversa com a Lúcia(minha noiva), sobre como seria encontrar um ser vivo, com inteligência desenvolvida por um bilhão de anos. Dentro da casa, recordei que tinha planejado encontrar num próximo sonho lúcido, um ser que tivesse um bilhão de anos.

    Abri portas procurando e me deparei com uma sombra ou uma figura negra, totalmente escura que rapidamente desapareceu.
A Técnica das Portas é um ferramenta que criei e permanece de grande eficiência para mim. Serve para prolongar a experiência do sonho lúcido, adentrar num ambiente mais claro(quando o sonho começa a desabar), encontrar certos cenários, objetos ou pessoas.
      Segui atrás e encontrei uma senhora de costas, cabelo um pouco Chanel e castanho claro. Perguntei se seria possível ser alguém com um bilhão de anos ou daquela civilização com tanta idade. Respondeu-me com um leve sorriso. Depois dali prossegui pela casa encontrei uma mãe e uma criança. Cheguei a me questionar se seria outra representação desse desafio, já produzindo outro resultado e continuei me aproximando. Dei uma olhada e segui para fora.
    Lembrei de outra coisa que queria fazer faz tempo que era correr descalço sobre a grama. E logo encontrei, um gramado que beirava a rua. Corri sentindo a grama sob meus pés e relembrei a sensação, saltei quando ela acabava e brinquei um bocado assim. Tive vários falsos despertar, mas voltava consciente no sonho.
    Em outro no inicio deles, eu senti a parede com trepadeiras nas minhas mãos. Fiz um personagem do sonho levitar e puxei ele como em telecinese até perto de mim.
      Na minha conversa com o ser de um bilhão de anos, construído pelo meu inconsciente, bati um papo sobre o mundo, minha identidade e afins…
      Por fim, alcei voo muito feliz com as possibilidades sobre grandes prédios.”
Neo voando sobre entre prédios em Matrix Reloaded. Um dos filmes que mais assisti ;D
      Minha próxima experiência, será sonhar com uma sequencia de memórias específicas de duas décadas atrás. Naquela época fiz uma reflexão de como seria interessante poder reviver o momento que estava passando. Eu estava sentado num banco da escola, fitando o grande corredor vazio. Vou me utilizar da técnica de indução MILD e recursos como Diário de Sonhos, Reality Checks das mãos. O tato acredito que será bem importante, como foi nesse último relato. Até lá!

Pesquisa em laboratório de sono, consegue provocar a indução de sonhos lúcidos através de estímulos de 40 Hz, ou seja com ondas gama. Pesquisar o estado mental dos sonhos lúcidos, com a presença da consciência do sonhador é uma oportunidade estimulante para o avanço nos estudos sobre a natureza da consciência.

Imagem do excelente filme Source Code – Contra o Tempo.

Cientes de alguns mecanismos e atividades cerebrais, envolvidos no evento da consciência durante os sonhos lúcidos, Ursula Voss e outros neurocientistas da Universidade de Frankfurt realizaram experimentos para induzir sonhos lúcidos em laboratório.

O experimento envolveu o recrutamento de 27 voluntários que nunca tinham tido um sonho lúcido(ou que pelo menos não se recordavam), para receberem o estímulo craniano nas regiões dos lobos frontal e temporal. Quando os estímulos eram de 40 Hz – ondas gamas, o cérebro reproduzia a mesma frequência e em 77% das vezes resultou em lucidez.

Segue o relato de um voluntário:

“Eu estava sonhando com torta de limão. Parecia translúcida, mas, ao mesmo tempo, não eram. Lembrava um pouco um desenho animado, como os Simpsons. Então eu comecei a cair e o cenário mudou e então eu estava falando com Matthias Schweighöfer [um ator alemão] e mais dois estudantes estrangeiros de intercâmbio. Eu estava pensando sobre o ator e eles me disseram ‘sim, você encontrou ele antes’, e então eu percebi ‘ops, você está sonhando’. Quer dizer, enquanto eu estava sonhando! Tão estranho”.

Fonte:
http://www.nature.com/neuro/journal/v17/n6/full/nn.3719.html

A ideia que estou propondo é de fazer uma incursão, num sonho lúcido, mantendo a consciência por tempo suficiente, executar um tipo de tarefa que possa desenvolver da melhor maneira essas alterações subjetivas que são tão desejadas.

Podemos realizar transformações radicais na nossa maneira de ser? Alterar perspectivas individuais ou modos de pensar condicionados? Potencializar virtudes ou aprimorar habilidades… Quem sabe vícios dos quais queremos nos livrar, mas que sempre sucumbimos, diante da magnitude da força que nos impele as ações e aos fracassos quixotescos?!

Mr. Hyde e Dr. Jekyll na imagem… uma bela arte sobre a obra.

Talvez uma possibilidade fascinante, seja utilizarmos nosso cérebro de uma maneira especial: visitar nosso mundo dos sonhos, atingindo a maior proximidade possível com nosso inconsciente e trabalhar interações, com o que de fato desejamos ou queremos no estado desperto.

Sei que isso está parecendo bem fantástico, ao estilo do filme Inception – A Origem… mas uma vez que é possível efetuar a autossugestão quando acordados, qual não poderia ser a amplitude dessa ação, ao fazer isso durante o estado mental dos sonhos?

A hipótese que estou propondo é de ao fazer uma incursão, num sonho lúcido, mantendo a consciência por tempo suficiente, executar um tipo de tarefa que possa desenvolver da melhor maneira essas alterações que são tão desejadas.

Vou utilizar meu caso como exemplo, haja vista que consegui um sonho lúcido e busquei cumprir um desejo. A maneira como fiz isso foi extremamente lúdica, na forma de brincadeira com a comuna dos Sonhadores Lúcidos do Fórum e do Face.

O experimento foi proposto na forma do que chamamos de “Desafios Lúcidos”:

  “Desafio Lúcido da semana:
– Encontrar uma “Lâmpada Mágica”, esfregar e fazer 3 desejos ao gênio que aparecer
Desafio válido até 23/03/2014.
Bueno… pode sair um geniozão estilo Aladdin!… Uma Jeaniee é um Gênio rsrsrsrs quem sabe um geniozão malvado”…

Algo que me incomoda um bocado – tenho certeza que para muita gente – é a velocidade absurda como o tempo passa. O ritmo da vida parece cada vez mais frenético e isso de fato influenciou o que desejei.  Agora o experimento:

“Eu estava deitado dentro de uma material que era pra ser o que formava a matéria e o tempo. . . saí me levantado dali e corri saltando para outra superfície. Então corri e dei mais um grande salto. 


Agora eu sabia estar sonhando e cheguei até a olhar de relance minha mão que não contei os dedos, mas pareciam ter seis dedos bem parecidos. Dei uns passos rápidos pela superfície. Eu estava em grandes superficies planas, a uma grande altura nos céus. Dei mais um salto e fui parar em outra onde alegremente ergui uma cadeira com uma mão, sem fazer esforço algum. Era muito leve. .. corri dei outro salto e fui parar num lugar com uma espécie de tenda e alguns objetos que lembravam uma cantina.


Cheguei ali próximo e passei minhas mãos pelos objetos sobre uma mesa do poderia ser o bar. Não olhava diretamente, apenas desejava um objeto. Eu estava atrás da Lâmpada de Alladim para fazer meus desejos. Encontrei de primeira. Puxei a Lâmpada e notei que era escura e dourada… 









…esfreguei ela rapidamente e saiu uma fumaça arenosa, com aquele som típico de vento soprando…. aquele pó ou areia fumacenta subiu ao céu e então eu desejei:


“Quero ser mais sábio e escolher melhor o que fazer com meu tempo.” Isso eu falei em alto e bom tom, em tom desejoso – enquanto falava percebi como minha voz estava tão nítida e como não era comum ouvir vozes nos sonhos. Meu desejo havia sido feito de uma maneira quase cantada… como que declamando uma poesia.


Embriagado pelo evento, tentei lembrar dos outros pedidos mas não veio a recordação e eu acordei.”