Tag

motivos para ter sonhos lúcidos

Browsing

Eis alguns motivos fascinantes para ter sonhos lúcidos. Assim, o interesse na área é inevitável. Recentemente nosso Fórum e Grupo do Face vem recebendo nova onda de pessoas interessadas nessa “macumba doida” que é ficar consciente, durante os sonhos. Eis alguns motivos, passíveis de serem experimentados por qualquer pessoa dotada de um cérebro de Homo Sapiens:

Acionar e manter a consciência no estado mental dos sonhos, abre uma vasta quantidade de possibilidades a serem exploradas. Mesmo que o maior front das pesquisas estejam nos laboratórios de sono, ainda assim, cada sonhador lúcido, pode desenvolver seus próprios experimentos. Para isso, basta um bom colchão, travesseiro e aquela merecida noitada de sono.

=> Quem não quer brincar de deus na sua própria realidade? Uma vez atingida a consciência durante os sonhos, deixamos de ser tragados pelo fluxo natural dos sonhos, sob a égide do subconsciente e passamos a poder navegar por livre escolha e até controlar aquele universo mental.

=> Ou explorar a própria mente de uma maneira tão esmagadora? Quando se consegue ficar consciente no sonho, adentramos toda uma realidade criada por nossa mente. Ali passamos a ter acesso a um tipo de mundo, dotado de memórias, subconsciente, criatividade, emulação do cotidiano de nosso estado desperto…

=>Experimentar desenvolver habilidades artísticas?

=>Resolver problemas? Kekulé encontrou a solução para seus estudos com a cadeia de benzeno em seus sonhos. É dele a célebre: “Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” *

=>Aprimorar habilidades locomotoras? Existem estudos, já com resultados pioneiros acerca do aprimoramento de habilidades motoras, através dos sonhos lúcidos.

=>Conhecer mais sobre seu subconsciente? Nossos sonhos são totalmente estruturados pelo nosso subconsciente. Toda informação para criar aquele mundo advém não de nossa consciência, mas do que fomos capazes de armazenar em nosso cérebro. Claro que vai ser mais interessante chegar lá estando em paz com esse lado interno…

=>Transformar o cérebro num surpreendente “oráculo probabilístico” .

Touro Sentado experimentou um cálculo de previsão assombroso, em seus sonhos, de uma realidade próxima e possível. Foi um dos raros e sublimes momentos da História em que os índios humilharam militarmente os invasores brancos.

=>Quem sabe recuperar memórias perdidas no estado desperto?

=> Experimentar “Supersonhos Lúcidos“?

=>Superar traumas ou enfrentar pesadelos?

Parece bem claro que o ritmo do interesse por essa área de estudo/desenvolvimento de habilidade tende a acelerar ainda mais. Com tantas possibilidades, fica difícil não querer pelo menos experimentar que brincadeira mais doida é essa.

Considerando se tratar de um caminho de acesso direto à mente, livre de estímulos do estado desperto, com possibilidades fascinantes de mergulho em memórias, criatividade, desenvolvimento de habilidades… fica difícil não imaginar como será aproveitado todo esse potencial no futuro. Dentre essa miríade de novas fronteiras a serem desbravadas, uma das mais relevantes é a compreensão da consciência.

A consciência já foi alvo em recentes estudosCom o auxílio de experientes sonhadores lúcidos, submetidos a exames de ressonância magnética no cérebro, eles acionavam e sustentavam a presença da consciência durante o estado mental dos sonhos de REM. Fase do sono essa em que normalmente estamos inconscientes.

Sonhador lúcido sendo submetido a exame de ressonância magnética, para pesquisa sobre as áreas ativadas no cérebro durante os sonhos conscientes.

Sobre a descoberta de Augusto Kekulé:
Eu estava sentado à mesa a escrever o meu compêndio, mas o trabalho não rendia; os meus pensamentos estavam noutro sítio. Virei a cadeira para a lareira e comecei a dormitar. Outra vez começaram os átomos às cambalhotas em frente dos meus olhos. Desta vez os grupos mais pequenos mantinham-se modestamente à distância. A minha visão mental, aguçada por repetidas visões desta espécie, podia distinguir agora estruturas maiores com variadas conformações; longas filas, por vezes alinhadas e muito juntas; todas torcendo-se e voltando-se em movimentos serpenteantes. Mas olha! O que é aquilo? Uma das serpentes tinha filado a própria cauda e a forma que fazia rodopiava trocistamente diante dos meus olhos. Como se se tivesse produzido um relâmpago, acordei;… passei o resto da noite a verificar as consequências da hipótese. Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” – Augusto Kekulé, 1865.1

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Friedrich_August_Kekul%C3%A9_von_Stradonitz