Tag

Recordação dos Sonhos

Browsing

Essa noite eu tive um sonho lúcido ou não? À primeira vista pode parecer uma questão simples. Contudo, gosto dessa dúvida porque ela sempre será recorrente se você é um interessado no tema dos sonhos lúcidos. Por isso… é possível ter um sonho lúcido e não lembrar dele? Ou “se você não lembra se ficou lúcido, você não ficou”.

Memória

Primeiramente, reparem nas duas últimas frases. Desse modo, já é possível notar a presença de uma palavra em especial: “lembrar”. Sendo assim, por maior que seja o grau de lucidez que você atinja no seu sonho lúcido, sempre estará sujeito a sua capacidade de recordação ou como anda sua memória referente aos sonhos. Por outro lado, também será importante dar boa atenção para a qualidade do sono. Afinal, uma qualidade ruim de sono, sempre poderá comprometer suas lembranças oníricas.

Além disso, existe um fator químico importante para dar atenção, por ser capaz de interferir na retenção da memória dos sonhos, especificamente na região do hipocampo: a noradrenalina. Por isso é importante saber que ela é responsável pela nossa capacidade de prestar a atenção. Mas durante a fase REM do sono será muito baixa e ao despertarmos, seremos inundados por essa substância, transferindo nossa atenção aos novos eventos do estado desperto.

Formas de Despertar

Por outro lado e referente a capacidade de recordação do sonho, a maneira como despertamos, também pode interferir o quanto conseguiremos lembrar do que sonhamos. Dessa maneira, os resultados com voluntários em laboratórios do sono, conforme destaca Hobson[1], apresentam um percentual de 95% de sonhos relatados, sempre que essas pessoas foram acordadas durante a fase REM do sono. Sendo assim, deve-se destacar ser importante não se distanciar do momento em que as experiências oníricas acontecem. Ou seja, quanto mais próximos acordarmos das nossas fases REM do sono, mais chances teremos de reter nossos sonhos na memória ao despertar.

Por isso minha recomendação: sempre que acordar, evite se mexer e imediatamente já comece a recordar o que sonhou e já anote. Nesse sentido, será fundamental manter um bom ritual para acordar; experimente manter um notebook ou algum tipo de ferramenta de anotação bem próximo para que você possa alcançar, com pouco movimento do corpo.

Referências Bibliográficas

[1] HOBSON, A. Dreaming: a very short introduction. New York: Oxford Press Inc. 2005. Kindle Edition. location, 369.

    Assim como o texto anterior, esse também está direcionado para a melhora da percepção do estado mental dos sonhos. Isso é um pilar de sustentação para qualquer onironauta que deseja obter seu primeiro sonho lúcido ou intensificar sua frequência. Particularmente, minha experiência com a leitura dos textos tem sido muito boa, com melhora na quantidade e qualidade dos sonhos lúcidos: 4 sonhos lúcidos em uma semana! Minhas aulas não começaram ainda(greve). Apenas voltei de férias para o trabalho.

Aprimorando os cuidados com o despertar e o adormecer(fatores externos) consegui intensificar a frequencia dos meus sonhos lucidos em uma semana.

    Seguindo adiante nos fatores que influenciam nossa capacidade de recordar os sonhos, o objeto agora são os fatores externos. Isso envolve os elementos exteriores que interferem diretamente na qualidade da recordação dos sonhos.

    Em muitos manuais sobre sonhos é possível encontar dicas e orientações sobre a melhor maneira de acordar, sem perder a lembrança do que foi sonhado. Normalmente os fundamentos disso estão relacionados a maneira como seremos perturbados ao acordar. Quanto mais serenamente for o despertar, mais fácil será a recordação.
    
     As chances de recordarmos melhor dos nossos sonhos diminuem na proporção em que sofremos interferência quando acordamos. É o caso por exemplo de sair do sono com um despertador barulhento, uma música, rádio ou ruído vindo da rua. Com fatores como esses intervindo, a lembrança dos sonhos vai se dissipando rapidamente.

Despertadores barulhentos, ruidos da rua, musica alta… são fatores que podem prejudicar a recordação dos sonhos.

     Despertar pensando nas obrigações que nos aguardam também não irá favorecer a memória dos sonhos. É essencial que seja possível acordar de modo tranquilo, pelo menos algumas vezes durante a semana.

      Pessoalmente, sou obrigado a utilizar despertador, especialmente quando estou em época de universidade e trabalho, juntos na rotina. Configuro meu celular para despertar com um toque musical menos barulhento possível e num volume não irritante. O ideal é nos condicionarmos a acordar antes do toque.

       Talvez boa parte dos onironautas já tenha percebido, mas os finais-de-semana e as férias são períodos excelentes para lembrar dos sonhos. Não é preciso grandes reflexões para entender como se distanciar um pouco das rotinas estressantes, contribui dramaticamente para reforçar nossas recordações dos sonhos. Isso pode ser aplicado também nos momentos da iminência do sono. Algo como uma micromeditação antes de adormecer. Seja através de pensamentos relaxantes sobre os sonhos que virão, orações para os espiritualizados entre outros! 😉

Bibliografia:

KAST, Verena. SONHOS – A Linguagem Enigmática do Inconsciente. Editora Vozes. 2010 – Petrópolis RJ.

        É incrível o upgrade que conseguimos sobre a recordação dos sonhos quando passamos a seguir dicas simples dos especialistas na área. No topo da lista, já mencionado em textos anteriores, está em manter um diário de sonhos ao lado da cama. Para quem ainda nunca teve um sonho lúcido e para quem sente dificuldade em lembrar dos sonhos, temos o primeiro passo.

Livro excelente que também aborda em um capítulo a recordação dos sonhos.

        Além das dicas e orientações tratadas anteriormente, quero voltar nossa atenção frente a certos fatores que de acordo com pesquisas bem fundamentas(bibliografia abaixo) determinam nosso êxito em  conseguir lembrar mais e melhor dos sonhos.
        Grande parte das pessoas não é boa em lembrar dos sonhos. Aliás, talvez para maioria isso seja difícil, considerando o exército populacional que vive submetida a dureza de nossas rotinas de trabalhos, estudos e demais obrigações… porém, vale destacar que o nosso cérebro, durante o sonho, tem seu córtex pré-frontal inativo. Talvez paradoxalmente isso seja um pouco rompido com nossos sonhos lúcidos, mas cabe maior pesquisa(farei) para confirmar isso.

Podemos melhorar nossa recordação prestando atenção nos fatores que determinam nossa capacidade de lembrar dos sonhos.

        Schredll em suas pesquisas no Instituto Central de Manheim para Saúde Psíquica, aponta interessantes estudos, citados por Verena Kast no seu livro Sonhos, a Linguam Enigmática do inconsciente. Dentre eles interessantes resultados que “Estudantes de arte e pintores amadores apresentavam os valores mais altos” de frequência de recordação dos sonhos. Essa pesquisa revelava que a imaginação visual, a atividade imaginativa mais acentuada e a frequencia de devaneios diurnos estava bem relacionada com a capacidade de recordação dos sonhos.

        São elencados nesses estudos(voltarei a cada item em textos futuros), os seguintes fatores determinantes para recordação dos sonhos:

1 – Fatores Externos
2  – Condiçõesde vida
3 –  Tipo de sonhos
4 – Interesse pelos sonhos
5 – Características da personalidade   

OBS: estarei viajando nesse fim-de-semana(dia do paizão). Grande abraço a todos, bons sonhos e até a volta!!

Bibliografia:

KAST, Verena. SONHOS – A Linguagem Enigmática do Inconsciente. Editora Vozes. 2010

       Uma autora renomada na área de interpretação dos sonhos, Ann Faraday, Ph.D, com seus livros Dream Power e The Dream Game, possui uma bagagem considerável de estudo, para dar dicas bem interessantes para melhorar a recordação dos nossos sonhos:
Livro de muito sucesso da Dra. Ann Faraday com suas pesquisas sobre os sonhos, técnicas para interpretá-los, um pouco de história e as teorias dos sonhos.
1) Tenha sempre papel e caneta ou um gravador perto da cama(talvez um netbook, não importa, mas algo que ajude a anotar rápido os sonhos).
2) Conserve uma lâmpada ou uma lanterna próxima da cama, para que você não precise levantar.
3) Auto-sugestione várias vezes antes de adormecer, pensando, “Quero despertar, logo após um sonho”; ou “Esta noite vou agarrar um sonho” ou qualquer coisa semelhante.
4) Pessoas cronicamente incapazes de despertar ou de recordar um sonho, podem recorrer ao auxílio de um despertador, não muito estridente, que deverá ser ajustado para aproximadamente duas horas depois da hora normal de adormecer e, subsequentemente, a cada duas horas durante toda a noite. Dessa forma, existe a probabilidade de que a pessoa desperte uma ou mesmo duas vezes durante um período REM. Se não lhe agradar a ideía de acordar diversas vezes durante a noite, ajuste o despertar para uma hora bem tardia de seu sono, pois como os períodos REM se tornam cada vez mais longos à medida que a manhã se aproxima, há uma grande possibilidadede despertar durante um deles, com a esperança de ter um sonho na mente.
Anotar é fundamental(passos abaixo incluem dicas para interpretar os sonhos)
Outro livro de sucesso de Ann Faraday, mais focado na interpretação dos sonhos e o uso deles como ferramentas.
5) Se você despertar durante a noite e tiver um sonho na cabeça, sente-se na cama com tranquilidade e acenda a lâmpada. É muito importante não se mover bruscamente, pois isto tende a apagar a lembrança do sonho(algumas pessoas consideram útil sentar-se na cama e repassar mentalmente os sonho, com os olhos fechados, antes de acender a luz).
6) Escreva ou grave imediatamente o sonho, com a maior quantidade possível de detalhes. Esforce-se ao máximo para não cochilar enquanto o fizer; caso contrário o sonho desaparecerá.
7) Acrescente todas as associações que puder. Por exemplo: o que você julga que o sonho significa à primeira vista; acontecimentos do dia anterior que possam ter contribuído para provocá-lo; suas sensações durante e imediatamente após o sonho; e quaisquer outras coisas que você ache primordiais. É surpreende quão importantes serão essas informações quando você for trabalhar com o sonho no dia seguinte.
8) Se você despertar pela manhã tendo um sonho em mente, não salte da cama em seguida, tencionando refletir sobre o sonho enquanto se apronta para o trabalho. Para não o perder, escreva ou grave o sonho enquanto ainda estiver na cama e acrescente quaisquer associações livres relevantes.
9) Trabalhe sobre o sonho o mais cedo possível, de preferência no dia seguinte. Primeiramente examine-o em busca de fatos objetivos que possam ter escapado durante a vigília. Em seguida, trate-o como um espelho através do qual você verá a si mesmo e à sua vida. E, finalmente, procure encená-lo com o intuito de revelar e integrar aspectos conflitantes de sua personalidade.
10) Conserve o relato de seus sonhos, juntamente com as respectivas interpretações, num arquivo ou caderno, claramente datado, posi séries de sonhos podem servir para lançar luz sobre aqueles de caráter ambíguo, bem como indicar um progresso psicológico interior.

Para conseguir ter sonhos lúcidos, o primeiro passo é estar anotando os seus sonhos. Qualquer especialista na área, guia ou bom manual de sonhos lúcidos, jamais deixará de começar com esse passo.
.
O mecanismo ainda não está bem claro, com relação a interferência do modo como isso ajuda a conseguir ficar consciente nos sonhos. Mas uma hipótese interessante é que vamos exercitando o reconhecimento daquela realidade que pertence a nossa mente. E para exercitar o reconhecimento daquela realidade, precisamos pelo menos, lembrar dela.
.
Sabemos como os sonhos podem ser facilmente esquecidos. Como eles acontecem mais intensamente nas fases REM(eye rapid moviment – movimento rápido dos olhos),  a nossa memória precisa estar bem treinada para lembrar deles pela manhã. Lembrando que no transcorrer de uma boa noite de sono, nosso cérebro atravessa diversos estágios de frequencia de atividade.

Anotar os sonhos num diário, estimula a memória para lembrarmos deles pela manhã.

A Psicóloga, Ph.D, Gayle Delaney é especialista na área. Há um trecho de um livro dela, “All About Dreams – O livro de Ouro dos sonhos” que ela dá 8 dicas fundamentais pra ajudar a lembrar dos sonhos:

1 – Mantenha uma caneta e uma folha de papel ao lado da sua cama.
.
2 – Durma o suficiente. A maioria de nós realmente precisa de oito ou mais horas de sono pra se sentir bem e recordar mais facilmente dos sonhos.
.
3 – Antes de dormir faça anotações do dia em seu diário – apenas 4 linhas sobre o que você fez e sentiu nesse dia. Isso aumentará muito sua capacidade de lembrar-se de um sonho pela manhã.
.
4 – Acorde naturalmente. Assim, em geral acordará logo após seu sonho noturno mais longo. Se estiver dormindo o suficiente, não terá de ser acordado subitamente por um despertador.
.
5 – Fique deitada por um momento e pergunte a si mesma “o que estava passando por minha mente”? Adquira o hábito de ter esse pensamento antes de se perguntar que dia é ou o que tem de fazer hoje.
.
6 – Anote seu sonho de qualquer modo que se lembrar. Se estiver com pressa, faça poucas anotações. Elas podem bastar para trazer o sonho de volta à sua momória quando você tiver mais tempo.
.
7 – Se você não se lembrar de um sonho, force-se a anotar uma frase sobre qualquer coisa que sentiu ou que lhe ocorreu quando acordou. Com o transcorrer do tempo, esse hábito convencerá sua memória de que esquecer-se de um sonho não o livrará da necessidade de botar ele no papel. Depois de 1 ou 2 semanas dando esses passos, quase todas as pessoas com quem já trabalhei começaram a se lembrar de seus sonhos. Se isso não funcionar procure outro livro sobre sonhos e se pergunte por que está ansiosa a respeito de se lembrar de seus sonhos. Mas é provável que você não esteja dando um desses passos.
.
8 – Se, como costuma ocorrer, você começar a se lembrar de sonhos demais, decida de quantos quer se lembrar e quantos quer registrar.
.
Bibliografia recomendada:
DELANEY, Gayle. O Livro de Ouro dos Sonhos – All about Dreams, Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.