Tag

Solução de Problemas

Browsing

O sonho lúcido pode ser uma ferramenta poderosa para solução de problemas. Quando sonhamos, o cérebro está funcionando de uma maneira diferente do estado desperto. A criatividade ganha um espaço gigantesco, com um recuo considerável da lógica, possibilitando insights espetaculares. Isso acontece mais especificamente nas fases REM do sono.

Os Sonhos Lúcidos podem servir de Laboratório de experimentos. Podemos acessar impressões que nosso subconsciente mantém guardado. Na imagem Amadeus Cho, considerado por Reed Richards a 7a pessoa mais inteligente da Terra. Um dos personagens mais divertidos da Marvel 🙂

Um experimento fascinante é buscar a computação do cérebro no estado mental dos sonhos. Como é um conhecimento bem difundido, a atividade cerebral nas fases REM do sono é especialmente ativa. Praticamente tão ativa como no estado desperto, produzindo sonhos intensos, vívidos de emoção e de estímulo aos sentidos.

Ora, uma vez que durante o estado desperto, a mente esteja debruçada na busca por uma solução de alguma questão ou problema, passa a ser bem interessante, obter sugestões que nosso subconsciente possa oferecer. Possivelmente intuições que possam ter passadas despercebidas quando acordados.

São bem famosos os exemplos de cientistas(Kekulé, Mendelev…), músicos(Paul Mcartney), inventores(Elias Howe), filósofos(Descartes, Russel), escritores(Mary Shelley com Frankenstein, Stevenson com O Médico e o Monstro) e pintores(Dali…) que conseguiram obter resultados espetaculares a partir dos seus próprios sonhos.

“Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” – Augusto Kekulé, 1865.

       O Experimento.

 Problema a ser tratado:
Uma pessoa está em negociação, em função de uma reestruturação que está acontecendo na empresa. A empresa para qual trabalha está oferecendo uma proposta, contratando a empresa dela para que preste serviços. As negociações estão difíceis, com a empresa contratante cedendo muito pouco.

Meu experimento foi o de questionar meu subconsciente para que me desse uma resposta perante o problema: “Qual a melhor forma de apresentar nova contra-proposta?”

Eis o sonho-experimento que tive(na mesma noite):

    “Num ônibus eu estava de short de pijama. Estranhei muito a situação e olhei para a mão. Meus dedos estavam menores e tortos. Fui inundado com minha consciência. 
Vi a pessoa(versão do meu subconsciente) que tinha o problema na minha frente e não resisti em comentar com ela, mostrando as mãos…  parti de imediato para o experimento que era questionar meu subconsciente sobre: “como deveria ser feita A Proposta ?”

    O questionamento seria feito para o subconsciente, então fui até o fim do ônibus procurando pelo dono da empresa contratante. Vasculhei o ônibus sem êxito, mas encontrei um macaco, numa poltrona de passageiro. Questionei o brother que era bem parecido com um chipanzé, o qual respondeu com humor contagiante. Senti
algo engraçado. Caminhei mais pelo ônibus.


    Encontrei um homem com trajes bem formais, uma maleta de executivo e vi que era “O Sócio”. Questionei ele e a resposta foi que a mudança que acontecia, fazia sair de uma zona de conforto. O investimento seria preciso…  “

“O Sócio” que apareceu como resultado ali do meu subconsciente. Na imagem, O Observador, da excelente série Fringe… eeeeeiii!! Será que eu estava sendo “observado”?!?




   Tive então um falso-despertar.


Repassei o sonho-experimento pra pessoa que havia me solicitado. Até agora me sinto bastante fascinado com a experiência. Que talvez não seja tão útil no final das contas para o caso prático em si, mas mostra ser bem possível trabalharmos problemas com auxílio da consciência nos sonhos/sonhos lúcidos.

Parece-me mais eficiente para situações que conhecemos com mais profundidade os elementos e variáveis que estão envolvidas na situação-problema.

         Durante o estado mental dos sonhos, somos capazes de pensar de forma diferente. Como o cérebro está funcionando de outra maneira, é inevitável a chegada de sonhos psicodélicos, narrativas inusitadas e insights supreendentes. A literatura, áreas da ciência, da filosofia, da música e muitas outras estão carregadas de exemplos magníficos.
        Um dos sonhos mais fascinantes na história das invenções foi o de Elias Howe. Fazia algum tempo que o inventor buscava uma maneira de mecanizar o processo de costura. Até que numa noite foi acometido de um pesadelo, no qual se encontrava preso por uma tribo. Recebeu o ultimato: “Ou você faz uma máquia que costure nas próximas 24h ou morrerá!”

Elias Howe teve através de um pesadelo a resposta para um problema que revolucionou a  indústria do vestuário.

          Fracassou assim como na vigília. Finalmente quando a tribo se reuniu ao redor dele, descendo as lanças em sua direção, observou que haviam buracos em forma de olhos na ponta das lanças. Despertou suando na iminência de ser atingido pelas armas pontiagudas!…
          “Enquanto ficava ali tremendo, lembrando do sonho, lembrou-se daqueles buracos estranhamente colocados e compreendeu que, se colocasse um buraco naquela posição em sua agulha de costura sua idéia para a mecanização poderia funcionar. Este sonho levou a uma revolução na indústria do vestuário.”


Bibliografia:
PARKER Jennifer e ENNIS Maeve. Fique por dentro dos Sonhos. Cosac & Naify Edições, 2ª ed. 2001: São Paulo.


          

  Existem algumas teorias e hipóteses bem fundamentadas sobre as funções do estado mental dos sonhos. Afinal, por que sonhamos???
   Sabe-se que na cadeia evolutiva, até os répteis, o estado REM do sono não acontecia. Estado REM(movimento rápido dos olhos) é a fase do sono que concentra os sonhos mais intensos e vívidos.  É normalmente nessa fase que nós podemos ficar conscientes que estamos sonhando e ainda assim não acordar.
Durantes as fases REM que ocorrem de 4 a 6x por noite sonhamos mais intensamente e a ciência ainda desbrava arduamente esse território, procurando entender as causas e objetivos do evento do estado mental dos sonhos.
   Experiências laboratoriais foram capazes de revelar que suas cobaias “ensaiam” certas atividades quando estão sonhando. Ratos por exemplo, ativam a região do hipocampo quando estão sendo desafiados a enfrentar um labirinto e essa mesma região é reativada quando estão na fase REM do sono. Assim, uma idéia é a de simulação e preparação para enfrentar a realidade.
   Outras experiências com voluntários humanos, apontam para que talvez os sonhos funcionem para o desenvolvimento de soluções criativas. São difundidos os exemplos de Kekule com sua descoberta da cadeia de benzeno num incrível sonho. Mendelev extraindo de seu estado mental do sonho, uma estruturação fabulosa quase pronta da tabela periódica… Elias Howe com sua maquina de fiar e os exemplos seguem!…
Mendelev conseguiu extrair de seu sonho uma fabulosa e quase pronta configuração da tabela periódica.
   Numa experiência com os participantes precisando resolver um problema, experimento esse efetuado por Ulrich Wagner, Jan Born e colaboradores da Universidade de Lubeck na Alemanha, foi efetuado uma tarefa psicológica conhecida como “teste de redução numérica”. O objetivo desse tipo de teste é resolver rapidamente uma curta sequencia de números.
   As cobaias humanas foram apresentadas duas vezes à tarefa. Pela noite e pela manhã. 
   Aqueles que se mantiveram despertos durante a noite conseguiram uma pequena melhora na velocidade da tarefa, mas 60% dos voluntários que puderam dormir passaram a resolver o problema em um tempo cinco(5x) menor!
  Conclusões: aqueles que puderam dormir compreenderam a regra subliminar. Ao demonstrar que o sono facilita a melhora na velocidade do problema, os pesquisadores associaram o sono a reestruturação de representações mentais, fundamentais para obtenção de novos resultados, para uma tarefa cognitiva.
    Evidentemente são alguns exemplos de experimentações acerca de algumas das muito prováveis funções dos sonhos. Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis efetuaram experimentações acerca de um papel do sono REM na função de causa de migração de memórias para fora do hipocampo, fortalecendo a função primordial do sono REM no papel de estocagem e propagação de memórias.
Pintura, Química, Literatura, Música, Invenções… a lista é grande de áreas que se beneficiaram da produção de idéias no estado mental dos sonhos.
     Um trecho fascinante que não posso me furtar de impostar aqui:
” Ora se a função primordial do sono REM é a estocagem e propagação de memórias através da ativação gênica, e se essa ativação ocorre rapidamente após a entrada no sono REM, é fácil compreender que diferenças na quantidade sono REM entre espécies devem ser menos influenciadas por fatores cognitivos que por outros fatores ecológicos e fisiológicos. Por outro lado, considerando que os mamíferos apresentam um padrão de sono bastante distinto das aves, com episódios de sono REM muito mais longos e bem menos numerosos, seria natural supor a existência de alguma outra função do sono REM, evoluída recentemente e relacionada com a duração dessa fase. Quem função seria essa?
   Uma possível resposta talvez esteja na relação do sonho com a criação de novas idéias”
Fonte:
Revista Mente & Cérebro. Dos artigos:
“Propagação, Criação e Simulação de Memórias” de Sidarta Ribeiro e Miguel Nicolelis
“O Fascínio pelos Sonhos” de Moacyr Scliar.

www.vivermentecerebro.com.br