Tag

Tempo nos Sonhos

Browsing
     Apesar do que aponta o senso comum, a percepção do tempo enquanto sonhamos parece ser o contrário do que muitos pensam: no sonho, sentimos o tempo de maneira mais lenta do que no estado desperto.
Pilotos costumam refazer mentalmente a trajetória da pista… em um sonho lúcido, pode-se percorrer a pista em um simulador que emula a realidade.
     Daniel Erlacher e outros pesquisadores, pela Universidade de Bern, verificaram uma interessante diferença de tempo, entre a execução de certas atividades no estado desperto e durante um sonho lúcido. Não foram as primeiras pesquisas realizadas na área. O próprio pesquisador já havia conseguido resultados intrigantes em 2004, juntamente com Michael Schredl. Essa pesquisa foi divulgada nesse site e pode ser conferida aqui.
     Há dez anos, Erlacher e Schredl identificaram que os sonhadores lúcidos, no momento em que estavam sonhando(e conscientes), eram capazes de executar contagens(de 1 até 10) em um período muito próximo da vigília. Porém uma diferença superior a 44,5%% acontecia quando esses mesmos sonhadores lúcidos realizavam exercícios de agachamento. Em suma: em se comparando com o estado desperto, nos sonhos, surgia uma lentidão ou percepção mais lenta do tempo.
     Nesse novo estudo, outras atividades foram cumpridas: caminhada, exercícios de ginástica e contagem de 01 até 30. Através do novo estudo, verificaram que os voluntários, executavam certas atividades(caminhada e ginástica),com uma lentidão até 50% maior do que na vigília(acordados). Imagine-se treinando nos sonhos algum tipo de esporte, como por exemplo a corrida. Quando estiver sonhando, a percepção da execução da atividade irá acontecer com essa lentidão.
Imagem do ótimo filme Cidade das Sombras
        Interessante notar que a diferença de percepção caiu quando os sonhadores lúcidos executavam contagens de 01 até 30. Foram três experimentos nesse sentido: contaram de 01 até 10, 01 até 20 e 01 até 30. A lentidão foi em média 27,2% maior do que no estado desperto.
         A possibilidade de utilizar o cérebro, no estado mental dos sonhos lúcidos, como um grande e eficiente simulador está ficando cada vez mais em evidência. Mesmo que nossa mente não seja capaz de emular em detalhes certas condições do ambiente, ainda assim, oferece a oportunidade de aprimorarmos nossas habilidades, desempenhando performances em câmera-lenta.
        De acordo com Erlacher: “É claro que há limites – você não pode melhorar a resistência , mas se você tiver bom simulador no cérebro, pode usá-lo para melhorar e estabilizar as técnicas. Eu vejo isso como um grande potencial para as disciplinas com um alto nível técnico”.

Fontes:

http://journal.frontiersin.org/Journal/10.3389/fpsyg.2013.01013/full

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3893623/

Numa interessante discussão sobre a diferença do tempo nos sonhos e na vigília(termo usado pra designar quando estamos acordados), segui em busca das fontes e últimas pesquisas.
.
Desde a década de 80 os experimentos em laboratórios do sono, conduzidos por Stephen LaBerge apontavam para a equivalência de tempo nesses dois estados. Os sonhadores lúcidos foram instruídos a efetuarem a comunicação de dentro dos sonhos, movimentando a única parte do corpo(passível de comunicação) que está livre da rigidez natural dos sonhos: os olhos.

.
Os sonhadores ao ficarem conscientes, executaram contagem de 01 a 10. Comunicando o feito para os monitores. Comprovou-se a equivalência de tempo nesses estudos em 1985:
http://www.lucidity.com/slbbs/index.html
.
Novos estudos foram retomados, agora por pesquisadores alemães, em 2004 por Daniel Erlacher – Institute for Sport and Sport Science, University of Heidelberg, Alemanha e
Michael Schredl – Sleep laboratory, Central Institute of Mental Health, Mannheim, também da Alemanha.
 

 
.
Investigaram a relação de tempo requerido para tarefas especificas: o ato de contar e execução de agachamentos, realizando-as quando acordados e durante o sonho. Participaram do experimento 5 experientes sonhadores lúcidos(faixa etária entre 26-34 anos), quatro homens e uma mulher.
.
Os resultados mostram que o tempo necessário para contar em um sonho lúcido é equivalente ao tempo da vigília. Porém, para a execução dos agachamentos foi necessário mais tempo dentro dos sonhos. Mais precisamente, em média, o tempo para executar esse exercício dentro dos sonhos foi 44,5% maior nos sonhos do que na vigília.
 

http://daniel.erlacher.de/index.php/Time_required_for_motor_activity_in_lucid_dreams

Um tema bem interessante nas conversas sobre sonhos lúcidos é sobre a percepção do tempo. Há diferença na percepção do tempo dentro do sonho e quando estamos acordados?
.
A impressão que temos é de que no sonho o tempo corre mais rápido.

.
A situação por exemplo de você se deslocar muito rápido de um lugar para o outro no sonho não é porque o tempo passa mais rápido, mas sim a trajetória que não é realizada. Muito corriqueiramente a gente simplesmente se deslocaria sem percorrer o trajeto. Ficando a impressão de tempo mais rápido…
.
Está na pagina 53 do livro “Fique por dentro dos sonhos”.
.
Citação:

“La Berge afirma ter ensinado a si mesmo e a muitos de seus alunos como se tornar competentes sonhadores lúcidos. Ele também foi o pioneiro nos métodos para capacitar as pessoas a indicarem quando se tornam conscientes de seu sonho durante o sono. Eles fazem isso movendo rápido seus olhos verticalmente. Isso levou a várias descobertas interessantes sobre sonhos, como o fato de que o tempo estimado nos sonhos corresponde ao tempo real. O que demora 5 minutos em um sonho leva 5 minutos na realidade. Se nos sonhos parece que nos movemos rapidamente de um lugar para outro é porque não sonhamos com a viagem propriamente dita.”
.
Stephen LaBerge, PHD, é o cientista da área dos sonhos lúcidos. Comprovou a existência dos sonhos lúcidos na década de 80, na universidade de Standford, conforme já exposto nesse blog em tópico anterior(abaixo da foto).