Tag

Cura de Doenças e os 5 sentidos

Browsing

     Madrugada de sexta para sábado, dia 19 de maio de 2012. Hora indeterminada… alarme de segurança tocando forte na XV de novembro em Curitiba. Há alguns dias atrás o mesmo alarme destruíra uma noite de sono minha, resultando numa terrível dor-de-cabeça. Abro a janela, louco de raiva, tentando identificar a origem do incansável alarme… liguei para a polícia alegando perturbação da ordem pública, questionei a portaria e desabei na cama com uma montanha de cobertor e travesseiros sobre mim.

Alarme de Segurança tocando na madrugada é pra acabar com o sono de qualquer  bom de cama.

     Pouco depois o alarme voltara e eu não sabia mais o que fazer. Dessa vez porém, havia algo estranho. Tinha pessoas no meu quarto! E era de madrugada… olhei para minhas mãos já sentindo se tratar de um sonho. Uhuuuuuuuuu!!!! Não cheguei a sequer contar ou reparar algum defeito nos dedos. Eu sabia sim estar sonhando. Desejei que sobre minha cama uma mulher aparecesse. Pelo bem da pesquisa científica tentaria o orgasmo… olhei para minha cama e lá estava ela. Era uma morena bonita e após algumas tentativas e toques bem agradáveis acordei. 🙁

Na minha cama, eis que apenas desejando uma mulher para obter o orgasmo no sonho lúcido, eis que surge uma estranha e linda morena.

    Acordei com uma música muito triste, sobre a guerra do Vietnã. O local era um lugar bem estilo pântano ou um grande alagado… Não entendia a letra da música que tocava. Mas a melodia era bem emocionante. Parecia dizer algo sobre a guerra, a morte e os sacrifícios humanos… era tudo muito intenso!

    Olhei para minhas mãos tomado pela lucidez. Lá estava eu consciente no sonho de novo. Comecei a dar alguns saltos e saí dali. Fui parar num lugar cheio de prédios. Desejei aumentar de tamanho e cresci. Enquanto ia parar num lugar desértico, tentava lembrar de alguma experiência que queria fazer. Lembrei da experiência proposta no Fórum, acerca dos cinco sentidos.

O deserto no sonho tinha uma pequena vegetação rasteira, onde encontrei a pequena e cheirosa florzinha cor-de-rosa. Foto extraida do blog do professor Marciano: 

http://professormarcianodantas.blogspot.com.br/

    É impressionante como grande parte dos meus sonhos lúcidos, especialmente os mais longos ou como eu gosto de chamar “Supersonhos Lúcidos“, são mantidos por meio de uma dinâmica de movimento. Parece uma poderosa ferramenta, conseguir manter em mente um certo caminho a seguir, lembrando de planos que fez no estado desperto, experiências que planejou fazer no estado mental dos sonhos conscientes.

     Eu já experimentei muitas vezes o tato tocando diversas superfícies, a audição com músicas embriagantes, o paladar com suculentas melancias, a visão com a força das cores vibrantes de jardins e belas paisagens… agora então era a vez de experimentar o olfato!…

     Num salto grande fui parar num lugar com uma pequena vegetação rasteira. Queria muito experimentar o olfato, cheirar uma flor. Porém só havia um matinho bem mixuruca e rasteiro.

     Posso não ser ainda um sonhador lúcido com alta frequência de sonhos conscientes, mas tenho um bocado de cartas nas mangas para saber explorar esse fascinante estado mental. Oh yeah baby!!

      Dei mais um salto, desejando ardentemente, encontrar e cheirar uma flor. Quando aterrisei não olhei diretamente toda vegetação rasteira que ali estava. Fui passando a mão sobre elas até que olhei de lado e encontrei umas flores pequenas. Serviria para mim. Aproximei-me e… o cheiro era bem gostoso e intenso! A flor era pequena, cor-de-rosa, lembrava muito as flores da época da minha infância, as quais via com frequência na casa do meu velho amigo Ramon. Todavia eu não lembro de ter cheirado elas. Essa do sonho, cheirava a algo levemente adocicado, suave e gostoso! Acordei.

Nem acredito que achei as tais florzinhas que sonhei. O nome da danada é Maria Sem-Vergonha ou Maria Delicada. A característica em especial que me marcou muito na infância era que as pequenas capsulas, próximas da flor, estouravam ao tocar ou apertar um pouco. Botei no google: “sementes que estouram” e eis que veio o belo blog: 

http://mariaterezabedinmaneck.blogspot.com.br/2010/07/maria-delicadamaria-sem-vergonha.html

      Mas acordei num carro… viajando… e uma mulher ruiva dirigia.  Linda com o cabelo esvoaçante. Sentei-me atrás dela. O banco convenientemente não impedia que eu a tocasse. Foi uma relação sexual prazerosa. Atingi o orgasmo finalmente. Acordei. Apalpei-me procurando algum resultado desconfortável e notei que  não estava tomado pela umidade rsrsrrssrs

     Quais dos cinco sentidos você lembra de sentir com mais frequência nos sonhos? Para a maioria das pessoas, a resposta imediata é a visão. Mas nem sempre esse sentido é o predominante. O sonho é considerado principalmente visual, mas os outros sentidos também aparecem sim. Essa frequência de percepção nos sonhos vai de acordo com as características da pessoa. Um músico pode sonhar bastante com sons e música, já um cego terá um sonho extremamente auditivo e tátil…
     Pintores como Salvador Dali tinham sonhos de uma riqueza visual criativa absurda. Cientistas e inventores podem sonhar com a solução de seus problemas e escritores como Stephen King e Mary Shelley com histórias tão intensas que viraram obras-primas.

No estado mental dos sonhos, conseguimos intensificar nossa criatividade  para limites além da imaginação  da vigilía.

     Tive minha quota de experiências além da visão: tátil e auditiva. Já relatei em outro texto sobre as músicas fantásticas e embriagantes que fiz sair de uma guitarra sem nem mesmo saber tocar. Curioso  para experimentar a sensação das mãos tocando superfícies, pude sentir a aspereza de uma parede e a solidez do chão. Esses dias, ao responder o questionamento de um onironauta, fui presenteado na noite seguinte por um sonho em que eu sentia uma capacidade absurda para a pintura.

     Minha habilidade para a pintura era tal que minhas mãos pareciam descobrir algo que já estava no papel, como se eu apenas retirasse, com minhas mãos, o véu que encobria a obra de arte. Minha obra de arte foi um réptil gigante e amedrontador, muito parecido com um Tiranossauro Rex, com um nível de detalhamento intenso, com dentes monumentais e afiados!… Olhos que fitavam a todos que contemplassem a pintura.

Quais poderiam ser os resultados se pudéssemos trazer parte do estado mental dos sonhos para a vigília? Habilidades formidáveis como as desenvolvidas pelos “Savants”?

    É possível se emocionar muito num sonho lúcido. Vai depender do estado emocional do onironauta. Alguém que passa por alguma tragédia ou trauma pode ser acometido de terríveis pesadelos e nesse caso, a capacidade de ficar consciente pode ajudar muito. Sonhar que está alegre por exemplo… já tive sonhos lúcidos tão eufóricos que fiquei com medo de ter algum derrame cerebral durante o sonho e refletia durante o sonho sobre isso!…

    Beverly D’Urso que é uma das maiores sonhadoras lúcidas do mundo e faz atualmente pesquisas relacionadas as possibilidades de cura através dos sonhos lúcidos. Isso é algo bem curioso e instigante.
É fato que a disposição mental, a fé ou a religiosidade podem contribuir muito na melhora ou na amenização da dor de algumas doenças. Pessoas acometidas de doenças reumatológicas por exemplo, talvez possam futuramente obter algum benefício dessas pesquisas.

É conhecido para alguns sonhadores lúcidos, a possibilidade de  trazer  certos benefícios emocionais de um sonho no estado consciente. Sensações intensas de alegria ou euforia podem ser trazidas pra vígília… 

    Nosso fabuloso corpo possui o que se chama “eixo psico-neuro-imuno-endócrino” e conseguir uma assinatura mental positiva frente a certas doenças, talvez possa ajudar bastante na cura.
Os sonhos lúcidos podem ajudar muito na busca por esse estado mental. Mas esse assunto precisa de pesquisas aprofundadas e me comprometo a trazê-las num futuro próximo.
😉