Tag

O Futuro dos Sonhos Lucidos

Browsing

Eis alguns motivos fascinantes para ter sonhos lúcidos. Assim, o interesse na área é inevitável. Recentemente nosso Fórum e Grupo do Face vem recebendo nova onda de pessoas interessadas nessa “macumba doida” que é ficar consciente, durante os sonhos. Eis alguns motivos, passíveis de serem experimentados por qualquer pessoa dotada de um cérebro de Homo Sapiens:

Acionar e manter a consciência no estado mental dos sonhos, abre uma vasta quantidade de possibilidades a serem exploradas. Mesmo que o maior front das pesquisas estejam nos laboratórios de sono, ainda assim, cada sonhador lúcido, pode desenvolver seus próprios experimentos. Para isso, basta um bom colchão, travesseiro e aquela merecida noitada de sono.

=> Quem não quer brincar de deus na sua própria realidade? Uma vez atingida a consciência durante os sonhos, deixamos de ser tragados pelo fluxo natural dos sonhos, sob a égide do subconsciente e passamos a poder navegar por livre escolha e até controlar aquele universo mental.

=> Ou explorar a própria mente de uma maneira tão esmagadora? Quando se consegue ficar consciente no sonho, adentramos toda uma realidade criada por nossa mente. Ali passamos a ter acesso a um tipo de mundo, dotado de memórias, subconsciente, criatividade, emulação do cotidiano de nosso estado desperto…

=>Experimentar desenvolver habilidades artísticas?

=>Resolver problemas? Kekulé encontrou a solução para seus estudos com a cadeia de benzeno em seus sonhos. É dele a célebre: “Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” *

=>Aprimorar habilidades locomotoras? Existem estudos, já com resultados pioneiros acerca do aprimoramento de habilidades motoras, através dos sonhos lúcidos.

=>Conhecer mais sobre seu subconsciente? Nossos sonhos são totalmente estruturados pelo nosso subconsciente. Toda informação para criar aquele mundo advém não de nossa consciência, mas do que fomos capazes de armazenar em nosso cérebro. Claro que vai ser mais interessante chegar lá estando em paz com esse lado interno…

=>Transformar o cérebro num surpreendente “oráculo probabilístico” .

Touro Sentado experimentou um cálculo de previsão assombroso, em seus sonhos, de uma realidade próxima e possível. Foi um dos raros e sublimes momentos da História em que os índios humilharam militarmente os invasores brancos.

=>Quem sabe recuperar memórias perdidas no estado desperto?

=> Experimentar “Supersonhos Lúcidos“?

=>Superar traumas ou enfrentar pesadelos?

Parece bem claro que o ritmo do interesse por essa área de estudo/desenvolvimento de habilidade tende a acelerar ainda mais. Com tantas possibilidades, fica difícil não querer pelo menos experimentar que brincadeira mais doida é essa.

Considerando se tratar de um caminho de acesso direto à mente, livre de estímulos do estado desperto, com possibilidades fascinantes de mergulho em memórias, criatividade, desenvolvimento de habilidades… fica difícil não imaginar como será aproveitado todo esse potencial no futuro. Dentre essa miríade de novas fronteiras a serem desbravadas, uma das mais relevantes é a compreensão da consciência.

A consciência já foi alvo em recentes estudosCom o auxílio de experientes sonhadores lúcidos, submetidos a exames de ressonância magnética no cérebro, eles acionavam e sustentavam a presença da consciência durante o estado mental dos sonhos de REM. Fase do sono essa em que normalmente estamos inconscientes.

Sonhador lúcido sendo submetido a exame de ressonância magnética, para pesquisa sobre as áreas ativadas no cérebro durante os sonhos conscientes.

Sobre a descoberta de Augusto Kekulé:
Eu estava sentado à mesa a escrever o meu compêndio, mas o trabalho não rendia; os meus pensamentos estavam noutro sítio. Virei a cadeira para a lareira e comecei a dormitar. Outra vez começaram os átomos às cambalhotas em frente dos meus olhos. Desta vez os grupos mais pequenos mantinham-se modestamente à distância. A minha visão mental, aguçada por repetidas visões desta espécie, podia distinguir agora estruturas maiores com variadas conformações; longas filas, por vezes alinhadas e muito juntas; todas torcendo-se e voltando-se em movimentos serpenteantes. Mas olha! O que é aquilo? Uma das serpentes tinha filado a própria cauda e a forma que fazia rodopiava trocistamente diante dos meus olhos. Como se se tivesse produzido um relâmpago, acordei;… passei o resto da noite a verificar as consequências da hipótese. Aprendamos a sonhar, senhores, pois então talvez nos apercebamos da verdade.” – Augusto Kekulé, 1865.1

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Friedrich_August_Kekul%C3%A9_von_Stradonitz

   A impressão que eu normalmente tenho, logo após ter um Supersonho Lúcido, é de que os jogos do futuro serão assim. Não existe game ou qualquer droga capaz de reproduzir o que nosso cérebro é naturalmente capaz de fazer, especialmente considerando, a ausência de efeitos colaterais.

   O mais próximo do que esse futuro poderá ser, foi apresentado em Vanilla Sky e o Passageiro do Futuro. Também o gênio da ficção científica Phillip Dick nos apresentou simulações fascinantes com Vingador do Futuro e Os Três Estigmas de Palmer Edricht. Matrix também nos trouxe algo bem interessante.

   Mas como ainda estamos apenas engatinhando nessas tecnologias mirabolantes, resta-nos aproveitar o que encontramos no presente, ou seja nossas tecnologias já desenvolvidas.

Cena do ótimo filme “O Passageiro do Futuro”, baseado num livro do Stephen King.

Métodos de Indução


   Nossos métodos de indução, desenvolvidos por LaBerge, Tholey e várias outras, derivadas dessas(ou não) por diversos sonhadores lúcidos experientes, servem como uma das principais ferramentas de indução.
Vamos citá-las, pois todas estão bem difundidas pelo blog: MILD, Tholey, WBTB, WILD, DEILD, CAT, FILD, VILD E SSILD.

   Além das técnicas de indução, temos várias outras surgindo a todo momento, por criação de novos ou experientes sonhadores lúcidos. Nesse ponto é importante ressaltar a importância da troca de experiências que procuramos fazer no Fórum e no Grupo do Face.

A troca de experiências entre os sonhadores lúcidos segue como uma das mais poderosas ferramentas no desenvolvimento da habilidade de induzir sonhos lúcidos. 

Máscaras de Indução


   Outra linha interessante que já está no mercado, são as máscaras de indução. Aparentemente elas lembram qualquer máscara tapa-olho de dormir, comumente usados em viagens de avião ou mesmo para dormir em quartos não tão escuros. Essas máscaras já foram analisadas aqui no blog. Eu mesmo adquiri a versão européia REM – Dreamer e assim que tiver os resultados com ela irei apresentar aqui.
    A tão falada Remee, apesar de barata, parece que deixou muito a desejar no sentido de ser um retrocesso tecnológico e não apresentar recursos que a Nova Dreamer e a REM – Dreamer já possuiam.

Em português o filme foi denominado “Sonhando Acordado”. Trata por meio de um drama o tema dos sonhos lúcidos e problemas de relacionamento. 

Suplementos
   
   A galantamina(já tratada por aqui) segue sendo vendida nos EUA como suplemento, enquanto aqui no Brasil ainda é vendida como remédio e com retenção de receita médica. Ainda estou tentando entender direito porque isso acontece. Não acredito que a medicina/bioquímica possam ser áreas tão pouco científicas e divergirem de modo tão gritante, num tema que é delicado.
   Em todo caso já experimentei o suplemento e de fato, em 5 experimentos, consegui ficar consciente tendo um Supersonho Lúcido, um sonho lúcido normal com média duração e nos outros 3 apenas lembrei bem dos meus sonhos.
   Ainda farei experiências, envolvendo um controle mais rígido e provavelmente, numa segunda fase, envolvendo a máscara de indução.

Aplicativos


  Através do I-Phone e do Android, é possível se utilizar de programas que podem monitorar e/ou estimular a indução de sonhos lúcidos. Também já abordei o tema aqui no blog, mas ainda não realizei experiências com eles. Acho incrível os relatórios que podem ser gerados pelos programinhas e ainda estou recebendo feedbacks de sonhadores lúcidos sobre suas experiências com esses recursos.

     A velocidade do desenvolvimento tecnológico é surpreendente. Num piscar de olhos e uma avalanche de notícias anunciam que cientistas japoneses começaram a “ler” os sonhos. Achei que as notícias estavam atrasadas, pois já havia informado aqui no blog que cientistas da Universidade da California em Berkeley, tinham conseguido reconstruir imagens mentais, através dos registros de atividades cerebrais:
Seus Sonhos Gravados como num Filme

Na imagem, cena do ótimo filme Source Code – Contra o Tempo.

     Essa decodificação pioneira dos sonhos aconteceu na verdade no Japão, pelos laboratórios do Instituto Internacional de Pesquisas de Telecomunicações Avançadas (ATR) de Kyoto. Através da tecnologia de Máquina de Ressonância Magnética, relatos dos voluntários no laboratório e o estabelecimento de padrões entre os registros das atividades e esses relatos. Com uma eficiência de 60%, o algoritmo criado foi capaz de recriar os objetos originados dos sonhos.

Neo tentando entender se estava dentro da Matrix, desperto, sonhando, em coma… ou  partido dessa pra melhor!…

     A primeira vista a impressão que tenho é de mais uma “corrida tecnológica”.Dois lugares distantes no planeta, aventuram-se em desbravar espetacularmente uma área que trará implicações interessantes, também para a pesquisa dos sonhos lúcidos. Especialmente porque já podemos imaginar um possível elo entre essa tecnologia um pouco mais desenvolvida e o monitoramento de sonhadores lúcidos realizando uma nova diversidade de experimentos.

Fonte:
http://articles.latimes.com/2013/apr/05/science/la-sci-mind-reading-dreams-20130405

   
   

    Um estudo pioneiro, conduzido por Daniel Erlacher(Universidade de Heidelberg) e Michael Schredl(Universidade de Bern), trouxe novas fronteiras para serem exploradas na área de estudo dos sonhos lúcidos. A pesquisa aponta a fascinante possibilidade de aprimoramento de exercícios que envolvam habilidades motoras, através dos sonhos lúcidos. Já citei o Sidarta Ribeiro por aqui que em entrevista ao Globo Repórter no ano passado, faz referência a esse estudo.

Os Sonhos Conscientes poderão contribuir para formação de legiões de novos Super Atletas? Imagem  extraída do  “Blog do Rodman”.

   Sonhos noturnos podem ser considerados um tipo de simulação do mundo real em um elevado nível cognitivo. No caso dos sonhos lúcidos, o sonhador é capaz de induzir, manipular ou controlar a narrativa do sonho de acordo com sua vontade e fica livre para tentar fazer o que desejar. No mínimo o sonhador lúcido deixa de ser um mero partícipe carregado pela correnteza da narrativa do sonho comum. Ele sempre estará sabendo que tudo é meramente construção mental própria ou apenas seus sonhos.

   Em um estudo piloto, a possibilidade de praticar uma atividade envolvendo habilidade motora foi estudada. Quarenta participantes foram convidados a participar de um grupo de prática de sonho lúcido, um grupo apenas com a prática no estado desperto  e um grupo de controle.
A atividade envolvendo coordenação motora foi o arremesso de moedas de 10 centavos em um copo e acertar o máximo possível das 20 tentativas. A performance no estado desperto foi medida ao anoitecer e na manhã seguinte. Foi pedido aos 20 voluntários que praticassem a atividade durante seus sonhos lúcidos. Desse grupo, apenas 7 conseguiram realizar o experimento em seus sonhos lúcidos. Esses apresentaram uma considerável melhora no desempenho, aumentando a média de acerto de 3.7 para 5.3; enquanto os 13 voluntários que não conseguiram realizar no sonho lúcido tiveram queda na média de acertos de 3.4 para 2.9.

Mercenário, o vilão personagem da Marvel, com assombrosas habilidades de mira.

    Comparando os grupos, a atividade física demonstrou maior aumento na performance para aqueles que tiveram êxito ao conseguirem realizar o experimento nos sonhos lúcidos. Houve um aumento considerável nas estatísticas se comparado com o grupo que não sonhou ou o grupo de controle.
Trata-se de uma pesquisa inicial, pioneira e vários outros fatores precisam ser considerados, como a motivação e que podem ter interferido na pesquisa. Para esclarecer as variáveis, será importante novos estudos a serem conduzidos nos laboratórios de sono.

Fontes:

      O estado mental dos sonhos é pródigo em contribuir para soluções de problemas enigmáticos, criatividade em pinturas exuberantes, idéias para livros com histórias monumentais, melodias de músicas encantadoras e muito mais.

      Existem diversos outros exemplos, os quais rotineiramente gosto de citar: Kekulé, o matemático hindu Srinivasa Ramanujan, Mendelev, Mary Shelley com Frankenstein, Wagner com Ring Cycle, o poema de Kubla Khan… Salvador Dali e o Mr.Hyde de Robert Louis Stevenson!… São exemplos fascinantes que nos inspiram a explorar o fascinante mundo do estado mental dos sonhos.

O escritor Robert L. Stevenson foi despertado de seu pesadelo por sua esposa, pois o marido gritava. Ao ser desperto  questionou: “Por que me acordou? Eu estava tendo um ótimo conto com um monstro.” De acordo com a senhora Stevenson, o marido acordara logo após a primeira transformação.

      Entrementes, vale ressaltar um denominador comum entre a esmagadora maioria desses casos fantásticos: esses brilhantes sonhadores estavam sempre focados nas suas áreas.

     Durante o estado desperto, O autor do Médico e o Monstro, Robert L. Stevenson estava revisando uma obra sua, na qual eram, possivelmente, os primeiros passos para concretização do “Estranho caso do Dr. Jerkyll e Mr. Hyde”. Mary Shelley também estava voltando suas atenções, em vigília, para contretização de Frankenstein…

Frankenstein foi obra de Mary Shelley, após sonhar com um cientista horrorizado com o terrível ser que ele mesmo havia criado.

… René Descartes foi um exemplo magistral. Virou de ponta-cabeça o modo de pensar da humanidade. Nas palavras desse filósofo, na sua obra Meditations on the First Philosophy:
“Agora estou acordado, e percebo algo real; mas como minha percepção não é suficientemente clara, ao dormir desejo que meus sonhos possam me representar o objeto da minha percepção com mais verdade e clareza”.

    Os sonhos podem servir como uma máquina fabulosa, um computador magnífico, capaz de fazer nossa mente trabalhar de uma maneira diferente do estado desperto, onde por vezes, poderá resultar em soluções, insights ou criações até então não imaginadas durante a vigília.

Será possível atingir uma fórmula ou assinatura mental, na qual teremos acesso ao estado consciente nos sonhos, onde poderemos manipular simulações, aprimorando o estudo sobre objetos do nosso interesse?

   Interessante notar como tudo isso reflete a própria maneira de funcionar nosso cérebro, durante os sonhos. Reparem na natureza dos reality checks: interruptores, a quantidade de dedos na mão, a precisão de um relógio digital(com segundos) ou com ponteiros(idem).

    Sabemos que podemos sonhar as coisas mais psicodélicas ou surreais. Podemos atravessar paredes, saltar sobre prédios, voar ou nos transformar em qualquer criatura que habite nossa imaginação. Porém a lógica e o mecanicismo da vigília terão pouco espaço. Será praticamente impossível ler qualquer página de livro num sonho. Igualmente para o marcador de segundo num relógio. Caso tenha contado dez dedos na sua mão, olhe para o lado e observe novamente suas mãos!

  Um elemento primordial do estado mental dos sonhos que é corriqueiramente desprezado: as emoções. Especialmente os sonhos presentes na fase REM. Nesses sonhos, estaremos a mercê de uma carga de emoções muito mais intensa do que no estado desperto.

Aprender a refletir mais sobre as emoções que sentimos no estado desperto, pode se revelar numa poderosa ferramenta de indução de sonhos lúcidos.

      As emoções podem se revelar, como a mais poderosa ferramenta de indução de sonhos lúcidos. Na medida que somos obrigados a lidar com elas em nosso estado desperto, podemos tentar refletir com mais frequência, sobre o que realmente se passa conosco nessas situações. Sabemos que elas tendem a ecoar em nossos sonhos.

      Quanto maior for o impacto delas no estado desperto, proporcionalmente maior serão as chances de surgirem enquanto sonhamos. O psicoterapeuta alemão Paul Tholey sabia muito bem o que estava fazendo, ao sugerir em seu método, para nos questionarmos, refletirmos durante o estado desperto sobre esses sentimentos. Beverly D’Urso provavelmente obtém sua grande frequência de sonhos lúcidos aplicando isso. Parafraseando a doutora, é necessário uma vida mais lúcida, para obter sonhos lúcidos.

   
   
Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Strange_Case_of_Dr_Jekyll_and_Mr_Hyde

http://en.wikipedia.org/wiki/Frankenstein

      Existem pesquisas fascinantes sendo realizadas em algumas universidades e institutos especializados. Aqui mesmo no Brasil, Sidarta Ribeiro, Sérgio Rolim e Bruno Grego, são protagonistas em estudos na área, pela UFRN. Suas pesquisas avançam desbravando sobre as instigantes características desse estado mental. As áreas do cérebro que estão envolvidas, a presença da consciência e a grande intensidade  das experiências visuais…

 
     Experimentos realizados pela Universidade de Mainz, trazem fantásticos resultados, nos quais, pela primeira vez, sonhadores lúcidos estão conseguindo responder a comunicações iniciadas pelos pesquisadores. Trata-se da tese de doutorado de Stelen J.(2006). Através de estímulos sonoros específicos, os sonhadores lúcidos foram capazes de responder aos estímulos, utilizando-se de movimentos dos olhos.

     Pesquisas realizadas por Dane J. ainda na década de 80, foram capazes de demonstrar que os sonhos lúcidos não acontecem apenas nas fases REM do sono.

     Apenas controlar o sonho é só a lasca da ponta do iceberg. A grande conquista está em conseguirmos desenvolver a consciência no estado mental dos sonhos. É aí que as atuais grandes pesquisas caminham. Tanto as grandes pesquisas, como muitos onironautas ao redor do mundo, possivelmente… em casa!…

     Assim como sonhadores lúcidos em laboratórios do sono, estamos conseguindo acessar nosso cérebro num estado diferente da vigília. Quando estamos acordados, ele funciona de uma maneira, porém enquanto sonhamos, podemos vislumbrar situações que não acontecem no estado desperto. Nosso pensamento lógico abre terreno para um estado mental criativo sem paralelos… e conexões diferentes, muito provavelmente:

     “Os sonhos são fontes de grandes descobertas ou soluções para problemas científicos, bem como criações artísticas magistrais: Elias Howe com a revolução na indústria têxtil, Mendelev com a tabela periódica, Kekulé com a cadeia de benzeno, Mary Shelley com Frankenstein, Paul McCartney com Yesterday… o sonho que salvou o filósofo Russell  de cometer suicídio, os três sonhos numa noite de Descartes que impactaram por séculos no pensamento ocidental!… Que frutos podemos almejar ao obtermos livre acesso, num estado tão poderoso da nossa mente? A própria consciência pode ser alvo de intensos estudos.”




     Resultados estimulantes, surgem de pesquisas referentes ao aprimoramento das habilidades em atividades que envolvem coordenação motora. Existe também uma linha de pesquisa, explorando possível relação dos sonhos lúcidos, para com o auxílio no tratamento de algumas psicoses, como a esquizofrenia. Questiono-me frente aos possíveis efeitos de sonhos lúcidos,  envolvendo grande recompensa e prazer… com relação a alguma possível contribuição no tratamento de doenças relacionadas ao eixo “psico-neuro-imuno-endócrino”.

Fontes:

https://www.sonhoslucidos.com/2011/11/o-que-sao-sonhos-lucidos-uma-nova.html

http://www.lucidologia.pl/ 

http://archiv.ub.uni-heidelberg.de/ojs/index.php/IJoDR/article/view/20

Strelen J (2006) Acoustic evoked potentials in lucid dreaming (in German). Ph. D. thesis, University of Mainz