Tag

Stephen LaBerge

Browsing

Uma vez atingido o objetivo de ter um sonho lúcido, um dos problemas mais recorrentes passa a ser: como ter mais sonhos lúcidos? Nesse sentido, aqui estarão reunidos os fatores mais determinantes para aumentar a frequência da lucidez nos sonhos.

Fatores determinantes

Os fatores determinantes para ter lucidez nos sonhos já foram debatidos num vídeo do Canal Sonhos Lúcidos. Mas sempre é bom relembrar: diário de sonhos, usar uma técnica e a motivação ou propósito.

A princípio esses requisitos defendidos por Stephen LaBerge, devem compor a rotina diária de qualquer candidato a manter frequência boa de sonhos lúcidos. Além disso, quero ressaltar a importância dada pelo neurocientista Sidarta Ribeiro, referente ao despertar mais tardio ou aquela qualidade do sono que te possibilite possuir uma boa qualidade de sono.

Como ter mais sonhos lúcidos

De acordo com o neurocientista brasileiro, em seu livro Oráculo Probabilístico:

1 – Diário de Sonhos; assim sendo, crie esse hábito e o mantenha religiosamente.

2 – Reality Check durante o dia; pergunte-se “Será que estou sonhando?” Desse modo, deve-se aproveitar e olhar para mão, servindo como um bom teste de realidade.

3 – Ter boa qualidade de sono; nesse sentido é crucial conseguir chegar até as últimas fases REM do sono ou as “fases REM tardias”. Pois é nelas que nosso cérebro e mente estarão revigorados, abastecidos de toda carga necessária de neurotransmissores.

Fatores determinantes para ter mais sonhos lúcidos: diário de sonhos, bom sono, uma técnica, motivação.

Conclusão

Como resultado, a reunião dos requisitos sugeridos pelo pioneiro nas pesquisas sobre sonhos lúcidos, Stephen LaBerge, somadas ao fatores elencados por Ribeiro, certamente podem nos beneficiar com um aumento nas chances de ficar consciente nos sonhos. Por fim, o grau de eficiência das técnicas de indução sempre deve ser levado em consideração, como é o caso de técnicas como MILD, WILD, DEILD, FILD, THOLEY, Incubação, entre outras. Assim também como é o caso da técnica Mix, pesquisada por Denholm J.Aspy, pela universidade de Adelaide.

Referências Bibliográficas

1 – Reality Testing and the Mnemonic Induction of Lucid Dreams: Findings From the National Australian Lucid Dream Induction Study (2017) American Psychological Association 2017, Vol. 27, No. 3, 206–231 1053-0797/17/$12.00 http://dx.doi.org/10.1037/drm0000059.

2 – LABERGE, Stephen. Sonhos Lúcidos. 1985 pg. 08   Ed. Siciliano Livros, Jornais e Revistas Ltda. 1990(esgotada)

2 – RIBEIRO, S. O Oráculo da Noite. A História e a Ciência do Sonho. São Paulo: Companhia das Letras. 2019, p.135-140. 

Desde 2008 em atividade, o site sonhoslucidos.com agora está com uma nova mídia em atividade: agora temos um canal no youtube! Periodicamente irei apresentar um vídeo o qual servirá para enriquecer o alcance e a troca de informações entre onironautas.

Requisitos básicos para ter sonhos lúcidos:

1 – Motivação

2 – Técnicas eficientes

3 – Recordação dos sonhos

Motivação

De acordo com Stephen LaBerge, mais importante do que uma grande vontade de ter sonhos lúcidos é acreditar que vai ter. Não se deve achar que é uma das coisas mais importantes da vida. Apenas a expectativa em mente de que conseguirá será fundamental.

Técnica Eficiente

Deve-se escolher pelo menos uma técnica de indução: MILD, WBTB, Tholey, WILD, FILD, Incubação, entre outras. A ideia é manter a prática de uma das técnicas e isso vai contribuir para que a expectativa do sonho lúcido se mantenha em mente.

Diário dos Sonhos

O nível de capacidade de recordação que LaBerge está tratando é aquela de conseguir se recordar de pelo menos um sonho por noite. Fazer um Diário de Sonhos irá ajudar muito nisso e ainda mais. Permitirá desenvolver uma familiaridade com a estrutura dos seus sonhos. Cada vez mais eles lhe serão ainda mais reconhecíveis, ao ponto de até naturalmente acontecer a percepção de que está sonhando, durante um sonho.

Por fim, para reforçar a importância do Diário de Sonhos, aumentar a capacidade de lembrar os sonhos, poderá impedir de que se esqueça que teve um sonho lúcido, no caso de acontecer. Num próximo texto, irei reforçar as melhores dicas para escrever e melhorar a memória dos sonhos.

Referência Bibliográfica:

LABERGE, Stephen. Lucid Dreaming: A Concise Guide to Awakening in Your Dreams and Your Life. Sounds True Inc. 2009. p. 17-20.

    Pelo visto as “viagens” por meios tecnológicos, prometidas em filmes como Vanilla Sky, Repo Man e Vingador do Futuro já não parecem mais tão ficção científica assim… Perry Rhodan já tinha em suas histórias(desde a década de 60), a decadente civilização de alienígenas, os Arcônidas, como um povo mergulhado no vício dos “simuladores individuais”.

Vanilla Sky é um dos filmes mais conhecidos que trata do estado mental dos sonhos x realidade.

    De repente a mídia volta suas atenções para os Sonhos Lúcidos. Mas há um motivo em especial para isso: uma corrida tecnológica parece estar em andamento. Os principais projetos ganham rápida exposição nos sites especializados e na imprensa e não posso me furtar de expor de modo claro em que pé está essa encantadora corrida.

  
     Começando pela tecnologia pioneira, a Nova Dreamer, sob supervisão de ninguém menos do que Stephen LaBerge. Ganhou boa repercusão e mesmo com um preço inicial mais caro, manteve sua produção por alguns anos, até interrompê-la. A alegação é de que o projeto receberia upgrades. No site oficial se encontra a mensagem de aviso que em breve estará disponível a NovaDreamer 2.

A máscara pioneira de indução de sonhos lúcidos: Nova Dreamer.

     A máscara que está sendo mais conhecida por nós brasileiros parece ser a REM-Dreamer. André, o estudante de psicologia conseguiu uma versão dela e agora o Hallison recebeu um modelo que comprou diretamente do site ontem(vide data de publicação desse texto). O onironauta se comprometeu em relatar suas experiências, portanto aguarde novidades sobre o tema!

REM – Dreamer

    Conforme o post de sábado passado, a nova máscara que está ganhando bastante espaço na internet é a Remee. Seus criadores prometem sucesso para pessoas que ainda não tiveram oportunidade de entrar no “sociedade secreta dos sonhadores lúcidos”. rsrsrsrs

    Outra máscara que encontrei pesquisando sobre o tema foi a “The Dream Mask Pro”. Com um design bacana, promete também a indução de sonhos lúcidos.

Dream Mask Pro

   

    Em paralelo a indústria das máscaras de indução de sonhos lúcidos, estão os aparelhos I-Phone 4, I-Pod 4G e Android 2.2, com seus softwares inovadores: Lucid Dreaming App, Dream Z, Dream On… e por aí vai!… Já comentei sobre essas tecnologias aqui no blog, mas é interessante notar como está bem claro a presença de dois principais projetos trabalhando em paralelo: o das máscaras e  celulares/smart phones/aparelhos portáteis.

    O software desse aparelhos trabalha com o monitoramento dos movimentos do corpo enquanto dormimos. Capta a ausência dos movimentos, quando estamos submetidos à rigidez da fase REM do sono – momento em que sonhamos mais intensamente – e assim aciona estímulos para obtermos sonhos lúcidos ou temas específicos nos sonhos.

   Vale lembrar que a indução de um tema específico num sonho tem um nome: incubação de sonhos. Gayle Delaney – uma psicóloga renomada na área de métodos de interpretação dos sonhos – apresentou uma de suas especializações se utilizando de técnicas criadas por ela.

  
 

A Técnica MILD é uma das melhores e mais conhecidas técnicas para ter sonhos lúcidos. Criado por Stephen LaBerge, MILD significa “Mnemonic Induction of Lucid Dreams” que em português significa: Indução Mnemônica de Sonhos Lúcidos.

A técnica MILD é uma das mais conhecidas e eficientes para ter sonhos lúcidos.

Há um propósito que será  mentalmente fixado ao adormecer, mesmo no início do sono. Um ponto importante é que, para provocar o efeito desejado, é ne­cessário fazer mais que recitar distraidamente a frase. É preciso de fato ter o propósito de sonhar lucidamente.  Com isso em mente, repare como a técnica usada por LaBerge se realiza na frase: “na próxima vez que estiver sonhando, quero perceber que estou sonhando”.  Como resultado, deve acontecer um esforço da memória e imaginação. A memória do sonho que iremos recordar e imaginação para concluir a técnica.

A Técnica MILD:

1 – Programe seu despertador para tocar entre a 5a ou 6a hora de sono.

2 – Ao despertar, faça voltar a sua mente qualquer sonho que se lembre. Caso, não recorde sonho algum dessa noite, pode ser de uma outra noite ou se imaginar num sonho. Se estiver sonolento demais, saia um pouco da cama.

3 – Visualize-se voltando ao sonho que acabou de ensaiar; só que, dessa vez, veja-se percebendo que está, de fato, sonhando. Repita para si mesmo: ” Na próxima vez que eu estiver sonhando,  quero perceber que estou sonhando.” Concentre-se nessa ideia. Caso outros pensamentos apareçam, tire-os da cabeça e retorne ao pensamento dessa frase.

4 – Observe você se tornando lúcido! Retorne a lembrança daquele último sonho ( caso não tenha recordado, imaginado) assim que despertou (passo 2). Agora se veja nesse sonho, até um momento em que por algum sinal estranho, finalmente já sabe que está sonhando. Prossiga nessa fantasia, agora fazendo qualquer coisa boa, como voar.

5 – Repita o 3º e 4º passos até sentir que o seu propósito ficou claramente fixado ou até cair no sono. É crucial manter esse padrão de pensamento até cair no sono. Se tiver sendo contaminado por outros pensamentos, retorne ao passo 3 e 4.

O preparo mental dessa rotina é muito parecido com o que você adota quando resolve acordar numa certa hora e consegue.  Como se a habilidade  de ter sonhos lúcidos fosse considerada um refinamento da capacidade  de acordar dos sonhos. Isso é desenvolvido com o tempo. Todo iniciante deve começar usando um despertador não muito barulhento, nem silencioso demais.

LaBerge é taxativo sobre a importância do “começo da manhã”. Existem registros consagrados na literatura sobre o tema e em pesquisas de laboratórios do sono, bem como onironautas do calibre de Van Eeden a Garfield, apontando a esmagadora importância para o sono REM, logo nas primeiras horas da manhã.

A técnica MILD para ter sonhos lúcidos é baseada no condicionamento mental e uso das fases REM do sono.

De acordo com as pesquisas realizadas na Universidade de Stanford, por Stephen LaBerge e seus colegas, os sonhos lúcidos parecem acontecer quase sempre nos períodos REM e, como a maior parte do sonho REM transcorre na parte final de uma noite de sono, provavelmente esta é a hora mais favorável para sonhar lucidamente. Embora alguns sonhadores tenham conseguido in­duzir sonhos lúcidos usando o MILD durante o primeiro período REM da noite, parece que este método produz o máximo efeito quando é praticado no começo da manhã.

Nas palavras de LaBerge:
“Se você acha que está muito sonolento para seguir o pro­cedimento dado acima, pode tentar acordar empenhando-se durante minutos em qualquer atividade que exija uma vigilância total, como anotar o que sonhou, ler ou simplesmente sair da cama. Isso é recomendado porque foi observado que certas ati­vidades provocam sonhos lúcidos quando se vai dormir de novo. Garfield, por exemplo, verificou que “uma relação sexual no meio da noite geralmente era seguida de um sonho lúcido. Contrastando com isso, Scott Sparrow afirma que a meditação feita no começo da manhã favorece sonhar lucidamente (mas somente quando se faz a meditação pela meditação em si, não para ter sonhos lúcidos). Outros sonhadores lúcidos acham favorável ler ou escrever no começo da manhã. A diversidade dessas atividades sugere que o fator que facilita ter sonhos lúcidos num sono subsequente não é a atividade em particular, e sim um controlado estado de alerta”.

MILD para ter sonhos lúcidos

O renomado pesquisador prossegue:
“Visto que a motivação é um fator importante na indução de sonhos lúcidos, como podemos ter certeza de que o aumento de motivação não explica as melhorias que atribuo ao MILD? Nas noites em que procurei induzir sonhos lúcidos enquanto es­tava sendo monitorado fisiologicamente, só tive um sonho lúcido em sete noites de registros no laboratório, mas quando comecei a praticar o MILD tive quinze sonhos lúcidos em treze noites de registro. Deveria estar claro que esses resultados são devidos ao método e não simplesmente à motivação.”

EFICIÊNCIA

De acordo com o pesquisador a Técnica MILD parece ser especialmente eficiente, para aquelas pessoas com os requisitos de grande motivação e excelente lembrança dos sonhos, facilitando bastante para ter sonhos lúcidos. Por “Grande motivação”, entenda-se um desejo intenso de aprimorar a técnica de ficar consciente nos sonhos e por “excelente lembrança dos sonhos”, entenda-se a capacidade de acordar dos sonhos duas, três ou mais-vezes por noite e lembrar-se deles.

     “Nos meus seminários e cursos quase sempre os alunos têm bons resultados com o MILD quando satisfazem as duas condições mencionadas acima. Num curso de oito semanas, dois alunos meus aumentaram as respectivas frequências de sonhos lúcidos, de menos de um por mês a cerca de vinte por mês. No mesmo período (dois meses) a média dos alunos  teve três ou quatro sonhos lúcidos. Tudo isso deveria deixar claro que é possível aprender a sonhar lucidamente. O que um sonhador pode fazer, outros também podem.”(LaBerge)

Para LaBerge, o tempo trará o desenvolvimento de métodos de indução de sonhos lúcidos muito mais eficientes, deixando o mundo dos sonhos lúcidos disponível a to­dos os que precisarem ou desejarem.

Fonte:
LABERGE, Stephen. Sonhos Lúcidos. 1985
Ed. Siciliano Livros, Jornais e Revistas Ltda. 1990(esgotada)

   Seguindo as dicas de Stephen LaBerge, faz alguns meses que passei a dar mais atenção para minhas caminhadas. Sim, caminhadas podem estimular a indução de sonhos lúcidos, assim como outras atividades que possam provocar uma fuga da rotina ou do “automático”.
 
   A idéia é se expor a estímulos sensoriais diferentes. Quando fazemos uma caminhada, especialmente por novos lugares, podemos ser mais facilmente surpreendidos por belos ambientes, com a beleza de novos construtos arquitetônicos, árvores, animais, etc..

Caminhadas por belos ambientes, podem estimular a indução de sonhos lúcidos. Na foto, terrinha da minha ruiva amada: Três Barras – SC.

 
   O método de Tholey ressalta a importância que momentos inusitados podem ter para aplicarmos nossas reflexões “Estou sonhando ou não?”. Quando caminhamos por locais surpreendentes, a oportunidade para esse tipo de reflexão é acentuada.

   Minha quota de passeios e caminhadas em Curitiba já pareciam provocar algum estímulo interessante, mas o feriadão em Três Barras(SC), com boas caminhadas em lugares bucólicos e exuberantes, foi extremamente fértil na indução da consciência nos sonhos.

Visitar lugares novos, andar ou correr em caminhos diferentes, passear distraídamente… podem servirar para ajudar a induzir sonhos lúcidos.

   Segue o relato:

   “Em um hospital psiquiátrico, eu atendia como médico ou professor. Havia muitos pacientes e era dada bastante liberdade para eles.
  
     Percorrendo o lugar, avistei duas paredes que se aproximavam quase encostando, como numa cena famosa do filme Inception- A Origem. Ali percebi estar sonhando. Passei pelo lugar estreito e alcancei uma bela vista. Era uma cidade bem iluminada.

    Levantei vôo e decidi encontrar a casa da minha infância(meu velho experimento com memórias do subconsciente). Era uma vastidão de casas e não fazia idéia de onde pousar.

    Aterrisei próximo de uma casa e não a reconheci. Sabia não se tratar da casa dos meus 3 anos(Braço do Norte – SC).

    Resolvi voar até uma pequena casa. Voei para o alto de um penhasco. Lá abri a porta e adentrei. Os recintos eram pequenos e vazios. Estavam limpos e com pintura nova, como numa reforma recente. Fui atravessando diversas portas, boa parte delas sem maçanetas. A iluminação nos recintos oscilava, ora mais escuro e um pouco mais claro. Até que conseguir fazer tudo ficar bem nítido. Decidi sair de casa.

   Novamente na beira do penhasco, levantei vôo até um lugar ermo. Cheio de vegetação rasteira. Esse ambiente lembrava uma plantação de soja, da fazenda dos avós da minha esposa, o qual visitara no dia anterior.

   Contemplei aquele ambiente por alguns instantes. Era um vale com aquela plantas rastejantes por todo lado. Não havia muito o que fazer por ali. Voei de novo e pousei em frente da casa no alto do penhasco. Acordei em seguida.”

Ficar consciente nos sonhos pode nos deixar exaustos?
De modo algum. A diferença entre um sonho comum e um sonho lúcido é que nesse, a consciência se mantém presente. Os registros de atividades cerebrais, em laboratórios do sono, comprovam que os sonhadores lúcidos atravessam todas as fases normais do sono. Caso a pessoa tenha boa qualidade de sono, invariavelmente terá seu sono restaurador, independente de ter sonhos lúcidos ou não. Aliás o mais comum é justamente o contrário, com um despertar muitas vezes eufórico pela façanha de ter ficado consciente.

Caso esteja acordando cansado, isso pode ser um forte indício de má qualidade do sono e precisa ter sua causa investigada.

Sonhos lúcidos podem provocar dor de cabeça?
– Mais uma vez a resposta é não. Seguindo o mesmo argumento, os ciclos e fases do sono não se alteram, quando o estado mental é dos sonhos lúcidos. Qualquer tipo de cefaléia ou enxaqueca deve ter suas causas investigadas, porém não há qualquer indício de relação com sonhar lucidamente.

Dor de cabeça não tem relação alguma com sonhos lúcidos.

Sonho lúcido é uma espécie de sono leve?
Não. Sonho lúcido acontece nas fases REM do sono. E normalmente nas fases REM tardias. Desde a comprovação científica feita por Stephen LaBerge, na década de 70, pela universidade de Standford, até as pesquisas mais recentes, os sonhadores lúcidos tem seus registros cerebrais marcados nessas fases e isso está longe de ser sono leve. Quando nosso sono está em REM, estamos submetidos a rigidez do sono. Com frequencias cerebrais típicas, atonia muscular… sonhando intensamente e com os músculos paralisados.

Há risco de confundir o que é sonho e o que é “real”?
– Alguns tipos de transtornos psíquicos ou psicológicos talvez devam ser melhor averiguados. Nunca li algum artigo ou pesquisa/estudo sobre o tema. Mesmo assim, caso seja a sitação, é conveniente conversar primeiro com o respectivo profissional que acompanha seu caso.
– Se não há transtornos dessa natureza, algum tipo de barbitúrico que possa causar alguma disfunção psíquica ou neurofisiológica… em suma, se a saude mental está ok, então é correr pro abraço!

Sonhadores lúcidos são pessoas mais evoluídas?
Não. Aqui eu concordo 100% com a psicóloga Ph.D Gayle Delaney. Não existe relação alguma, de acordo com a doutora:
(…)sonhos lúcidos não têm nada a ver com superioridade espiritual ou psicológica. Exemplifica que tem trabalhado “com os sonhos e as vidas de gurus e outras pessoas que tem regularmente sonhos lúcidos e algumas tem pouca matuidade psicológica, pouco amor ou pouca generosidade em seus corações. Outras de fato são muito evoluídas. Algumas pessoas que se esforçam para ter o máximo possível de sonhos lúcidos fazem isso porque têm uma necessidade doentia de controlar todas as suas experiências e sabem pouco que realmente são. Elas evitam um exame sério de seus sentimentos profundos através do trabalho com os sonhos ou da psicoterapia.” *

*Fonte:

DELANEY, Gayle. O Livro de Ouro dos Sonhos – All about Dreams,
Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.