Tag

Chave para sonhos lúcidos: sonhos repetidos ou recorrentes

Browsing

Uma questão bem interessante levantada por um onironauta: Todo e qualquer sonho que temos pode se tornar um sonho lúcido(…)?” “(…)ou apenas os que realmente se tornam é que de fato poderiam, pois são diferentes em algum aspecto?”

 
Será possível identificar um padrão, em certos tipos de sonhos que os tornem mais suscetíveis a se transformarem em sonhos lúcidos? Na imagem, o EXCELENTE filme do Star Trek – Além da Escuridão.

É uma questão que invariavelmente nos leva a refletir. Será que existe um perfil especifico de sonho que somente, necessariamente esse tipo, poderia se tornar um sonho lúcido…?!

Para começar, é preciso fazer um levantamento, daqueles sonhos lúcidos anotados no “Diário de Sonhos”, buscando por algum padrão. Creio que por volta de alguns meses, já seria uma boa base para  se analisar, caçando a existência ou não de padrões, nos sonhos lúcidos anotados.

A resposta me parece avançar no sentido de que não é o tipo de sonho que vai determinar a possibilidade do acesso da nossa consciência, mas sim um conjunto maior de fatores externos.

De fato, certos tipos de sonhos, como os pesadelos, podem facilitar. Bem como aqueles sonhos com temas recorrentes, com o uso do Método de Tholey, também podem ajudar a induzir um sonho lúcido.

Temas recorrentes podem de fato auxiliar na indução de sonhos lúcidos. O método de Tholey, possui em alguns de seus passos, o uso dessa ferramenta.

Porém, a lucidez em casos como esses, irá acontecer não em função do “tipo de sonho”, mas sim por causa das técnicas utilizadas na indução, associadas é claro a esses sonhos em especial. Mas é um subconjunto de tipos de sonhos apenas. Sem as técnicas e as pesquisas do Paul Tholey, essas espécies de sonhos, por si só, não favoreceriam a indução.

Exemplificando ( casos hipotéticos ) :

Observo que em meu Diário de Sonhos, nos últimos 3 meses, venho sonhando bastante com o meu trabalho. Passo a aplicar o Método de Tholey, aproveitando-me dos temas repetitivos.

Por fim, consigo ter meus sonhos lúcidos, com base na estratégia adotada.

Numa outra situação, observo que ao assitir filmes de terror ou suspense, meus sonhos ficam mais vívidos, recheados com medo e ansiedade… passo então a aplicar o Método de Tholey, mais uma vez, aproveitando-me das emoções/temas recorrentes.

Novamente, obtenho êxito na estratégia.

Em uma conclusão precipitada, vou especular afirmando que é exatamente a verificação de existência de sonhos com temas recorrentes que determinarão ao sonhador lúcido, a possibilidade de enquadrar certos tipos de temas e assim, abrir-se-á a oportunidade de aplicar com maior eficiência o Método de Tholey. Sob essa perspectiva, fica claro que não é o padrão do sonho em si que implicará na ocorrência do Sonho Lúcido, mas sim uma análise apurada dos padrões dos sonhos, com aplicação de métodos de indução(em especial o Tholey).

O que realmente nos faz ficar mais conscientes quando estamos acordados? O que nos desperta do topor de uma rotina que nos engessa ou bitola os nossos pensamentos?

     Quando estamos tentando ficar conscientes nos sonhos, estamos tentando, de certa maneira, superar o fluxo natural do automatismo do subconsciente. Significa superar a narrativa natural do sonho e emergir, conscientes que estamos vivenciando a experiência do sonho.

     Um paralelo com o estado desperto, seria quando saímos de casa rumo ao trabalho e nos surpreendemos, ao chegar com rapidez(não vale em dia de engarrafamento, mas então aproveite e faça um reality checke! rsrs) e mal conseguimos recordar a sequencia de pensamentos que fomos acometidos… como se uma espécie de “automático do subconsciente” assumisse o comando, de modo muito parecido com os sonhos comuns.

     Os reality checks tem por objetivo romper esses automatismos, fazendo a gente se condicionar a pensar com frequencia acerca da realidade que estamos experimentando. “Como eu cheguei aqui?” ou “Estou sonhando ou não?”.

     Reparem como esses testes de realidade, repetindo eles algumas vezes durante o dia, fazem a gente refletir sobre os eventos que vivenciamos. Irão obrigar a uma inspeção da estrutura da realidade. E os sonhos são alvos fáceis frente a um escrutínio mecaniscista….

    Tenho recebido algumas queixas sobre falhas nos reality checks, seja o de olhar para  as mãos ou observar a hora num relógio. De fato, pode mesmo ocorrer de olharmos para as mãos e contemplarmos 5 dedos em cada uma das mãos… mesmo repetindo a técnica em seguida(mais raro). Também a hora no relógio, por vezes, pode aparecer bonitinha e em seguida os números terem mudado sem nos causar estranheza.

    Um boa alternativa é ir migrando de reality check, até encontrar um que seja de maior eficiência, de acordo com uma afinidade própria. Meu caso por exemplo, olhar para as mãos e espelhos.

A melhor maneira de saber qual reality check é mais eficiente para você é por meio da experimentação.

      Voltando a questão, sobre o que realmente impacta no crescimento da consciência, enquanto estamos acordados; poderíamos cogitar que tudo aquilo que nos faz sair da rotina, acabaria por servir de estímulo num enriquecimento dessa lucidez… porém, não qualquer evento, mas algo que nos levasse a reflexões mais apaixonantes…!

      Quem sabe ouvir uma música nova e encantadora? Assistir uma aula genial de filosofia? Conhecer uma pessoa diferente, com uma visão peculiar sobre a vida? Experiências intensas que de modo formidável, poderiam arrancar essa nossa consciência da correria do dia-a-dia.

      Sonhos enfadonhos, sobre coisas corriqueiras podem ser os sonhos mais detestáveis para se anotar num Diário de Sonhos. Mas fica claro que ao experimentarmos viver com mais intensidade, coisas com que temos mais afinidade ou interesse nessa vida, poderemos provocar uma carga maior de sonhos mais radiantes ou com conteúdos mais fabulosos.

Conhecer pessoas interessantes, com visões diferentes e provocantes sobre a vida… escutar uma música nova e fascinante, assistir uma aula genial… são eventos que podem contribuir para o enriquecimento da nossa lucidez. No mínimo podem auxiliar para ter sonhos mais intensos e vívidos… exatamente um reflexo do que estaria acontecendo no estado desperto 😉

      Por fim, vale lembrar que mesmo tendo muita dificuldade pra fugir da rotina, ainda naqueles sonhos bobos que repetem o próprio dia-a-dia, ainda assim, existem ferramentas como o Método de Tholey que se aproveitam disso pra ajudar na indução da consciência.

       Ontem mesmo me deparei com uma onironauta de um fórum, querendo dicas para conseguir sonhar que estava explodindo cabeças. Percebendo essa vontade louca de extravasar da menina, recomendei, sem exitar, o filme Scanners – sua mente pode destruir. Foi um filme de sucesso, do David Cronnenberg, envolvendo pessoas com poderes paranormais e alguns com poderes de literalmente fazer voar os miolos dos outros! o_O
Desejar sinceramente qualquer coisa para se fazer num sonho  e preferêncialmente aplicar os métodos de incubação de temas nos sonhos, pode servir como uma ferramenta inquebrantável de indução de sonhos lúcidos.
        Talvez um dos fatores mais determinantes para se conseguir ficar lúcido em  um sonho, seja estar visceralmente envolvido com algum desejo em especial. Todos sabemos a facilidade com que sonhamos sobre problemas graves ou conflitos emocionais sérios e sem esquecer de mencionar os verdadeiros objetos ou pessoas que desejamos.
         Pessoalmente achava irritante ficar sonhando com o meu trabalho. Muitos colegas concordavam comigo, afinal passamos uma jornada inteira de trabalho em função daquelas rotinas!… Sei que muitos talvez devam pensar de modo semelhante. Mas de acordo com algumas hipóteses e teorias dos sonhos, talvez sonhar com as atividades que estamos seriamente envolvidos, seja uma maneira de nosso cérebro, no estado mental dos sonhos, processar considerável carga de informações e nos ajudar a enfrentá-las novamente no dia seguinte. Há um estudo brasileiro feito com estudantes que passaram no vestibular e impostarei esse artigo num próximo texto. De qualquer modo, esse tema já foi abordado no texto  para que servem os sonhos.
Sonhar com frequencia com o trabalho, pode acabar servindo como meio para inserirmos nossa consciência nos sonhos.
        Afinal, o que realmente pode servir como ferramenta inquebrantável, com magnitude de força assombrosa para induzir sua consciência num sonho? Caso você esteja envolvido(a) em alguma atividade nova ou estressante, certamente há boas chances de acabar sonhando com isso. Que tal aplicar uma incubação desse tipo de sonho? Pelo método de Tholey(passo 5), podemos mesclar isso. Será apenas preciso imaginar durante o dia que está sonhando com essa atividade
         No caso de algo que realmente está lhe envolvendo, algum problema para resolver. Sugiro da mesma forma, aplicar o passo 5 do Método de Tholey. Além de continuar se aplicando na resolução desse problema, empenhando-se arduamente para chegar na solução, imagine-se no meio dessa experiência, durante um sonho. E claro, faça junto durante esse exercício de imaginação, um reality check!
         A proposta é simples. Não importa o tema que você deseje sonhar ou quer se aproveitar porque sabe que diante da sua dura rotina estressante, acabará sonhando com aquilo. A chave é antecipar o que você vai acabar sonhando e assim, programar sua indução.     

Não importa o tipo de desejeo que você tenha, mas a intensidade implicará no grau de chance que poderá envolver o suficente sua mente durante seus sonhos.
      Os desafios mais simples também podem servir de indução, mas não são menos capazes de nos catapultarem com plena consciência para nos flagrarmos em meio aos nossos sonhos. Mesmo aqueles que envolvem desejos mais mundanos… por exemplo, você deseja alguém ardentemente? Está empenhado economizando para adquirir algo? Seja uma viajem ou um carro? Trate então de incubar esses temas nos seus sonhos. Como foi o caso da onironauta querendo sonhar que conseguia fazer explodir cabeças!…
         
            

Assunto bem comum na área dos sonhos lúcidos são os sonhos repetidos ou recorrentes. Qual a importância desse tipo de sonho, com relação a consciência nos sonhos? Talvez seja uma das formas mais rápidas para conseguir a lucidez.

De tanto utilizar portas para controlar meus sonhos, elas viraram presença constante.

Entende-se por sonhos recorrentes aquele tipo de sonho, em que certos temas retornam com uma grande freqüência. Por exemplo, sonhar repetidamente com enchentes, assaltos, festas, nevascas… ou que está sempre acordando numa cidade que você não gosta!… A caracterização da repetição do sonho pode se dar tanto apenas com o tema em si ou com certos elementos.
No meu caso, costumo ter sonhos repetitivos tanto quanto ao tema(sonhos com maremotos) quanto com certos elementos(casa, animais – gatos, cachorros, espelhos).

Bill Murray surtando por sempre acordar numa cidade interiorana que detesta*

Uma vez que algumas dessas repetições se instalem em seus sonhos, a idéia é transformar a ocorrência deles numa forma de gatilho. Toda vez que retornarem, servirá para disparar a consciência nos sonhos.

Trata-se da aplicação do 5º passo do “Método de Tholey”:

“5. Se um acontecimento ou tema é recorrente em seus sonhos, como sentimentos frequentes de medo ou o aparecimetno de um cão, deve-se procurar se questionar quando desperto, sempre que se encontrar em uma situação ameaçadora ou avistar um cão. (ou no caso quando o tema do sonho acontecer quando desperto!)”

https://www.sonhoslucidos.com/2008/03/mtodo-para-aumentar-suas-percepes-num.html

Como é descrito nesse passo, a recorrência do tema pode ser algum sentimento. Medo nesse caso. E isso tem aplicação direta para confrontar pesadelos. Que já foi tema também nesse blog:

https://www.sonhoslucidos.com/2010/04/como-enfrentar-pesadelos.html

Outra situação é quando o tema ou elemento recorrente no sonho não acontece na vigília(acordado), mas teima em aparecer apenas nos sonhos. Por exemplo sonhar que está voando! É um típico exemplo de sonho frequente para muitas pessoas, mas que o fazem sem estarem concientes que estão sonhando.

São frequentes os relatos de pessoas que sonham estar voando, mas sem estarem lúcidas.

Para essas situações a aplicação do 6º passo do Método de Tholey é especial:

“6. Se, com frequencia vc tem nos sonhos experiencias que nunca ou raramente ocorrem no estado desperto, como as de elevar no ar ou voar(MEU CASO!), então deve, enquanto desperto, tentar imaginar que está tendo essas experiências, dizendo a si mesmo o tempo todo que está sonhando.”

Fonte:
*O filme é Feitiço do Tempo, para mim uma das melhores comédias com Bill Murray