Tag

sonhos lúcidos

Browsing

Essa noite eu tive um sonho lúcido ou não? À primeira vista pode parecer uma questão simples. Contudo, gosto dessa dúvida porque ela sempre será recorrente se você é um interessado no tema dos sonhos lúcidos. Por isso… é possível ter um sonho lúcido e não lembrar dele? Ou “se você não lembra se ficou lúcido, você não ficou”.

Memória

Primeiramente, reparem nas duas últimas frases. Desse modo, já é possível notar a presença de uma palavra em especial: “lembrar”. Sendo assim, por maior que seja o grau de lucidez que você atinja no seu sonho lúcido, sempre estará sujeito a sua capacidade de recordação ou como anda sua memória referente aos sonhos. Por outro lado, também será importante dar boa atenção para a qualidade do sono. Afinal, uma qualidade ruim de sono, sempre poderá comprometer suas lembranças oníricas.

Além disso, existe um fator químico importante para dar atenção, por ser capaz de interferir na retenção da memória dos sonhos, especificamente na região do hipocampo: a noradrenalina. Por isso é importante saber que ela é responsável pela nossa capacidade de prestar a atenção. Mas durante a fase REM do sono será muito baixa e ao despertarmos, seremos inundados por essa substância, transferindo nossa atenção aos novos eventos do estado desperto.

Formas de Despertar

Por outro lado e referente a capacidade de recordação do sonho, a maneira como despertamos, também pode interferir o quanto conseguiremos lembrar do que sonhamos. Dessa maneira, os resultados com voluntários em laboratórios do sono, conforme destaca Hobson[1], apresentam um percentual de 95% de sonhos relatados, sempre que essas pessoas foram acordadas durante a fase REM do sono. Sendo assim, deve-se destacar ser importante não se distanciar do momento em que as experiências oníricas acontecem. Ou seja, quanto mais próximos acordarmos das nossas fases REM do sono, mais chances teremos de reter nossos sonhos na memória ao despertar.

Por isso minha recomendação: sempre que acordar, evite se mexer e imediatamente já comece a recordar o que sonhou e já anote. Nesse sentido, será fundamental manter um bom ritual para acordar; experimente manter um notebook ou algum tipo de ferramenta de anotação bem próximo para que você possa alcançar, com pouco movimento do corpo.

Referências Bibliográficas

[1] HOBSON, A. Dreaming: a very short introduction. New York: Oxford Press Inc. 2005. Kindle Edition. location, 369.

A questão se existe ou não perigo em ter sonhos lúcidos, surge com certa frequência entre os interessados pelo tema. A princípio, podemos dizer que perigos físicos não existem. O sonho lúcido apenas se diferencia do sonho comum pela capacidade de percebermos que estamos sonhando. Porém há certas questões que merecem ser debatidas.

Pesadelo lúcido

Fonte da imagem

Mesmo controlando o sonho, podemos nos deparar com nossos piores medos. Estar lúcido pode tornar a experiência ainda mais intensa. A boa noticia, repetimos, é que não se corre risco ou perigo físico… quanto ao psicológico, não podemos garantir o mesmo. Existem casos, principalmente no início da prática, em que a novidade de estar consciente no sonho, provoca reações fortes, e por vezes, carregadas com estranhamento e em outras situações, com medo.

Reações fisiológicas

Fonte da imagem

Acontece que, mesmo durante o sono, o corpo físico pode responder aos estímulos vindos de dentro do sonhos. Afinal, com o sexo não seria diferente e, ao se ter um orgasmo no sonho, o corpo físico responderá ao mesmo, resultando em fluídos… ou não, afinal pelo menos nas experiências em laboratório de sono, esses resultados molhados não ocorreram!…

Paralisia do sono

Fonte da imagem

Em uma minoria de casos, normalmente quando a pessoa já possui um histórico de paralisia do sono, ela de fato pode voltar a acontecer com a prática do sonho lúcido. Entretanto, ela é mais comum de acordo com a técnica que está sendo aplicada. Técnicas que envolvem a indução direta da consciência, a partir do estado desperto para o sonho… atravessando o sono sem perder a consciência até atingir a realidade onírica, como por exemplo: as técnicas WILD, VILD, FILD.

Imagine ver e ouvir coisas surreais e, mesmo após despertado e não poder fazer nada, nem mover um dedinho. A princípio Porém é possível fechar os olhos, se concentrar e voltar para dentro do sonho. Para saber mais sobre a paralisia do A princípio sono acesse nosso post sobre clicando aqui.

CONCLUSÃO

Ainda não existem provas de quaisquer perigos que a a prática do sonho lúcido possa oferecer. Fato é que os monges tibetanos praticam há séculos os sonhos lúcidos sem até hoje registrarem um único prejuízo, seja físico ou mental. E não é a toa, o interesse de pesquiadores por esses experientes praticantes do oriente. O biólogo Francisco Varella e o filósofo da mente Evan Thompson são bons exemplos desse desbravamento. Por fim, vale ressaltar que a prática em si dos sonhos lúcidos não oferece o perigo, mas sim o praticante, caso não se informe adequadamente, poderá é claro incorrer em erros, como por exemplo querer praticar alguma técnica esdrúxula de privação de sonhos… o que sempre é contraindicada.

Uma recomendação especial: caso tenham interesse em alguma página que trate de significado dos sonhos ou algum dicionário do gênero,

recomendo a https://www.segredosdosonho.com.br/

Referencias Bibliograficas

VARELA, F. J., Rosch, E., & Thompson, E. The embodied mind: Cognitive science and human experience. Cambridge, MA: MIT Press, 1993.

THOMPSON, E. Waking, Dreaming, Being: NewLight on the Self and Consciousness from Neuroscience, Meditation, and Philosophy. New York: Columbia University Press, 2014.

Em primeiro lugar a questão máxima: Qual é o primeiro passo para ter sonhos lúcidos? Acertou quem pensou naquela cama saborosa: a necessidade mais básica para quem se interessa por sonhos lúcidos é ter boa qualidade do sono. Contudo, em tempos de pandemia isso tende ficar fragilizado. Os sonhadores lúcidos ou onironautas de laboratórios de sono, sabem muito bem disso e se utilizam de bons hábitos de higiene de sono .

Nesse sentido, sempre achei curioso investigar o perfil dos sonhadores de laboratório. Outra curiosidade¹ desses sonhadores lúcidos experientes é que dormem rápido. A partir do momento em que deitam para dormir, por volta de cinco minutos já estão entrando em estado de sono. Isso mostra como estão afiados em dormir bem.

Photo by NeONBRAND on Unsplash

Qualidade do Sono

O sono fragilizado pode trazer consequências graves. Isso definitivamente não é algo que vai ajudar tanto a saúde como melhorar as chances de ter sonhos lúcidos. A razão dos sérios prejuízos para as chances de ficar lúcido nos sonhos vou explicar agora.

Começando pelo prejuízo nas chances de ter sonhos lúcidos. Qual o impacto de uma noite mal dormida? Lembre-se de que estamos tratando sobre suas chances de fazer a consciência surgir nos sonhos, com intensidade próxima ou equivalente ao estado desperto e ainda manter ela (a lucidez) durante esse estado mental. Ora, se naturalmente as vezes já parece fácil ser arrastado pela narrativa do sono, ser enganado em algum momento de lucidez, imagine com noites de sono em atraso.

Em outras palavras, nossa mente, assim como nosso corpo, ficam debilitados quando estamos dormindo mal. Há um enfraquecimento debilitante em diversos fronts. E mais: os maiores e melhores sonhos lúcidos costumam acontecer nas últimas fases de sono. Por volta da 6ª hora de sono a coisa começa apenas a esquentar! Daí para diante, passando pela 7ª, 8ª hora ou mais, pode-se atingir mais de 30, 40, 45 minutos dos nossos sonhos mais intensos e vívidos. Quer chegar no recheio do bolo? E chegar com todo apetite? Dormir bem é a melhor ideia.

Image by yabadene belkacem from Pixabay

Com relação ao prejuízo na saúde. Dormir mal provoca danos² ao sistema imunológico, cardíaco, hormonal, circulatório, entre outros. Uma noite de 4 horas de sono, para um adulto jovem e saudável, é capaz de destruir 70% das células “killer”/assassinas do sistema imunológico. O abalo cardíaco também se faz presente. Imaginar como esses danos ocorrem em quem é um jovem adulto bem condicionado já traz uma sensação ruim, agora imagine em quem não é…

Diante da péssima ideia de continuar prejudicando boas noites de sono, elenquei as principais dicas de higiene do sono orientadas por especialistas e pesquisadores: https://sonhoslucidos.com/higiene-do-sono/ e também está incluído um teste para averiguar a qualidade desse sono.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1 – Reality Testing and the Mnemonic Induction of Lucid Dreams: Findings From the National Australian Lucid Dream Induction Study (2017) American Psychological Association 2017, Vol. 27, No. 3, 206–231 1053-0797/17/$12.00 http://dx.doi.org/10.1037/drm0000059.

2 – WALKER. M. Por que nós dormimos. A nova ciência do sono e do sonho. Rio de Janeiro: Intrínseca. 2018

Desde 2008 em atividade, o site sonhoslucidos.com agora está com uma nova mídia em atividade: agora temos um canal no youtube! Periodicamente irei apresentar um vídeo o qual servirá para enriquecer o alcance e a troca de informações entre onironautas.

Requisitos básicos para ter sonhos lúcidos:

1 – Motivação

2 – Técnicas eficientes

3 – Recordação dos sonhos

Motivação

De acordo com Stephen LaBerge, mais importante do que uma grande vontade de ter sonhos lúcidos é acreditar que vai ter. Não se deve achar que é uma das coisas mais importantes da vida. Apenas a expectativa em mente de que conseguirá será fundamental.

Técnica Eficiente

Deve-se escolher pelo menos uma técnica de indução: MILD, WBTB, Tholey, WILD, FILD, Incubação, entre outras. A ideia é manter a prática de uma das técnicas e isso vai contribuir para que a expectativa do sonho lúcido se mantenha em mente.

Diário dos Sonhos

O nível de capacidade de recordação que LaBerge está tratando é aquela de conseguir se recordar de pelo menos um sonho por noite. Fazer um Diário de Sonhos irá ajudar muito nisso e ainda mais. Permitirá desenvolver uma familiaridade com a estrutura dos seus sonhos. Cada vez mais eles lhe serão ainda mais reconhecíveis, ao ponto de até naturalmente acontecer a percepção de que está sonhando, durante um sonho.

Por fim, para reforçar a importância do Diário de Sonhos, aumentar a capacidade de lembrar os sonhos, poderá impedir de que se esqueça que teve um sonho lúcido, no caso de acontecer. Num próximo texto, irei reforçar as melhores dicas para escrever e melhorar a memória dos sonhos.

Referência Bibliográfica:

LABERGE, Stephen. Lucid Dreaming: A Concise Guide to Awakening in Your Dreams and Your Life. Sounds True Inc. 2009. p. 17-20.

Um requisito básico para aumentar suas chances de ter sonhos lúcidos, sempre é a boa qualidade de sono. Não existe fator mais fundamental que isso. Sem uma boa noite de sono, sua mente ficará fraca. Você não chegará nos melhores momentos que lhe darão as maiores oportunidades de ficar lúcido no sonho. Sim, é nas fases finais do seu ciclo de sono, quando mais frequentemente acontecem os sonhos lúcidos. Tecnicamente chamadas de “fases REM tardias”. Entre a 7a e 9a hora de sono.

Photo by Kate Stone Matheson on Unsplash

Refletindo sobre essa necessidade, não apenas para ter sonhos lúcidos, mas a qualidade de vida em si, aqui está um texto com dicas importantes para ajudar a melhorar a sua qualidade do sono:

– Somos criaturas de hábitos. Procure dormir e acordar sempre próximo do mesmo horário.

– Dormir mal a semana inteira para compensar no fim-de-semana é um fenômeno social péssimo, conhecido como “social jetlag”. Os danos para saúde são comprovadamente perversos: problemas cardíacos, obesidade, diabetes etc..

– Vá para cama apenas para dormir e para o sexo. Condicione-se de que a cama não deve ser utilizada para outras atividades. Reforce esse hábito.

– Alarme não apenas para acordar. Use alarme para lembrar que está se aproximando o horário do sono.

– Exercícios físicos são de fato importantes. Porém, evite exercícios até 2 ou 3 horas antes de deitar. Deve-se desacelerar o metabolismo.

– Cafeína e Nicotina prejudicam. A cafeína de DEZ a 14 horas para terminar de sair do corpo. E ela ocupa o lugar da adenosina que é preciosa para nosso sono regenerador.

giphy (1)

– Bebidas alcoólicas não ajudam o sono. Apesar da analgesia elas interferem negativamente na neuroquímica do seu cérebro e causando despertar após cessar os efeitos do álcool.

– Evitar refeições pesadas em horário próximo do sono. Isso pode interferir negativamente, perturbando seu sono.

– Caso sinta que algum medicamento possa estar prejudicando o sono, converse com seu médico. Quem sabe alguma mudança de horário possa ajudar.

– Sonecas sim! Mas não após 3h da tarde. Depois desse horário, poderá causar dificuldade para iniciar o sono de noite.

– Relaxe antes de dormir. Construa uma rotina que seja mais adequada as suas necessidades para indução do sono. Banho quente pode ajudar. Fique longe de atividades que exijam muita concentração ou que possam desencadear stress ou adrenalina.

– Quarto escuro, fresco e livre de TV e aparelhos eletrônicos.

– Luz do dia. Sempre que puder, pois irá melhorar a percepção biológica do transcorrer do dia.

– Na situação de ficar ansioso ou preocupado, levante. Realize nesse momento incrivelmente chato, atividades de preferência monótonas. Exemplos: lave uma louça, arrume o guarda-roupa, limpe e arrume seus livros, talvez outro banho quente…

Mas…

… caso você perceba estar difícil dormir ou seguir as dicas elencadas por aqui, talvez seja hora de procurar um médico do sono. Existem exames relacionados a distúrbios e uma boa conversa com seu médico poderá lhe ajudar.

No próximo post, ficará a disposição um novo teste de Débito de Sono.

Por enquanto deixo o antigo link para uma autoavaliação e outro para os resultados:

https://sonhoslucidos.com/sonhoslucidos/calcule-o-debito-do-seu-sono/

https://sonhoslucidos.com/sonhoslucidos/qualidade-do-sono-resultados-da/

Referências Bibliográficas:

COREN, Stanley:Ladrões de Sono. Cultura Editores Associados. São Paulo: 1996.

Neurociência da Mente e do Comportamento
Robert Lent, coordenador – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008

RIBEIRO, S. O Oráculo da Noite. A História e a Ciência do Sonho. São Paulo: Companhia das Letras. 2019, p.376.

WALKER. M. Por que nós dormimos. A nova ciência do sono e do sonho. Rio de Janeiro: Intrínseca. 2018.

As pesquisas sobre o cérebro humano nas últimas décadas trouxeram dados, capazes de causar otimismo entre seus estudiosos. A exemplo de Matthew Walker ¹, neurocientista, em seu livro recentemente publicado no Brasil, com o título Por que nós dormimos – a nova ciência do sono e do sonho:

” É possível que sonhadores lúcidos representem a próxima iteração na evolução de Homo sapiens”. Será que no futuro esses indivíduos serão preferencialmente selecionados em parte com base nessa habilidade onírica incomum – uma habilidade que pode lhes permitir direcionar o holofote criativo da resolução de problemas no sonho para os desafios despertos enfrentados por eles mesmos ou pela espécie humana e tirar proveito de seu poder de maneira mais deliberada?”

livros
Recentes publicações de neurocientistas renomados, parecem demonstrar certo otimismo com as possibilidades futuras acerca dos sonhos lúcidos.

Trata-se de uma afirmação ousada e dotada de muito otimismo. Mas que caminha bem acompanhada. Em seu livro, O Oráculo da Noite, também com lançamento recente no Brasil, o neurocientista brasileiro Sidarta Ribeiro ² faz suas colocações sobre o tema:

” O desbravamento da lucidez onírica abrirá novos caminhos para a criatividade, a invenção e a descoberta humana, com riquíssimas possibilidades ainda por explorar.”

De fato existem pesquisas animadoras, com relação a possíveis benefícios dos sonhos lúcidos. Algumas delas já foram objeto de atenção nesse site. Tratam-se de resultados sobre sonhadores lúcidos que foram capazes de realizar treinamento envolvendo habilidades motoras durante os seus sonhos. O aumento da performance ficou evidenciado nesses primeiros estudos e certamente novas pesquisas serão realizadas.

Particularmente sempre fui fascinado com a hipótese dos sonhos lúcidos contribuírem para compreensão da consciência, processos criativos, memórias do inconsciente e resolução de problemas. Vários pesquisadores, filósofos da mente, como Revonsuo, Metzinger, Evan Thompson, Jenifer Windt, entre outros (incluídos neurocientistas, e psicólogos ), voltam suas atenções e estudos para esse estado alterado de consciência. Trata-se de uma área de estudo promissora para a compreensão do próprio sonho em si e para avanços nas pesquisas sobre a consciência.

montanha humana
Image by Stefan Keller from Pixabay

Dica no livro O Oráculo da Noite para ter sonhos lúcidos:

” O primeiro passo é retomar o sonhário (Diário de Sonhos). Além disso é importante aplicar técnicas capazes de elevar a percepção do estado onírico, como o hábito de indagar-se frequentemente, no transcorrer do dia: Será que estou sonhando? Essa pergunta pode acompanhar a visão de um objeto específico, como a própria mão.

Um breve período de autossugestão antes de dormir também facilita o aprendizado do sonho lúcido através da mentalização da experiencia que se quer incubar. É ainda mais útil despertar de madrugada para e realizar a autossugestão na iminência dos últimos episódios de sono REM da noite.”

Observação: a dica do Sidarta Ribeiro está perfeitamente de acordo com as técnicas de indução que divulgamos no site. Acrescentamos apenas que esse despertar durante a madrugada seja por volta da 5a ou 6a hora de sono ou por volta de DUAS horas antes do despertar.

Referências Bibliográficas:

1 – WALKER. M. Por que nós dormimos. A nova ciência do sono e do sonho. Rio de Janeiro: Intrínseca. 2018, p.254.

2 – RIBEIRO, S. O Oráculo da Noite. A História e a Ciência do Sonho. São Paulo: Companhia das Letras. 2019, p.376.